auravide auravide

O que o amor faria neste caso?

O que o amor faria neste caso?
Facebook   E-mail   Whatsapp

Talvez você ainda não tenha ouvido falar sobre isso, mas a grande verdade da vida é que “tudo se resume ao amor”.
Nada na vida é mais importante, ou mais determinante, do que um ato de amor, voltado para si próprio ou para as pessoas com quem você se relaciona.

Diz a Bíblia: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. (Marcos 12-31)

Pode ser que você não compreenda ainda o significado real desse mandamento. Nem faça ideia do quanto isso pode afetar a sua vida...

Mas vou lhe propor alguns exercícios que lhe mostrarão a importância de usar o amor como o mediador de todas as questões em sua vida – das mais simples às mais complexas. Isso vai lhe dar uma nova perspectiva de vida e vai trazer-lhe muito mais felicidade do que você já teve ou sonhou.

O princípio aqui é bastante simples: sempre que você estiver frente a uma situação que o coloque em dúvida, ou vacilação, pare por um momento e pergunte a si mesmo: “O que o amor faria neste caso?”

Vamos treinar um pouco?

Antes de dar uma bronca em seu filho, mesmo que você tenha razão para fazê-lo, pare e pergunte a si mesmo: “O que o amor faria neste caso?” Ao responder a essa pergunta, você lembrará que ama o seu filho e que sua bronca precisa ser de modo a ajudá-lo a aprender a partir daquela situação. Então, a sua repreensão não conterá mágoas e nem sentimentos inadequados àquele acontecimento. Seu filho sentirá o seu amor, mesmo enquanto você o repreende, e aprenderá de modo tranquilo com as suas palavras.

Antes de reclamar da comida que sua esposa preparou, pergunte a si mesmo: “O que o amor faria neste caso?” Então você lembrará que ela preparou o seu jantar com carinho e dedicação e, se ele não saiu como você gostaria, isso não significa que ela o está atacando, ou que não o ama. Você entenderá que isso é algo que apenas aconteceu, e que não é algo contra você, mas sim apenas uma casualidade. Você será capaz de agradecer, com sinceridade, pelo esforço dela em preparar o seu jantar. E isso vai dar a ela condições de se aprimorar como esposa, assim como à você dará a chance de se aprimorar como marido.

Antes de você esbravejar com a atendente da lanchonete que errou no seu pedido, pergunte a si mesmo: “O que o amor faria neste caso?” Imediatamente você compreenderá que ela não o está agredindo, mas que provavelmente deve estar cansada, com algum problema que a preocupa e que a fez distrair-se. Ao responder a essa pergunta, você será paciente e pedirá a ela, com um sorriso gentil no rosto, que corrija o erro. E ela entenderá que, apesar de ter errado, existem pessoas que são capazes de perdoar e de serem gentis.

Então, vamos lá: pense em outras situações em que você pode usar a pergunta “O que o amor faria neste caso?”:

Quando alguém lhe dá uma fechada no trânsito e você sente vontade de explodir com ele;
Quando seu chefe lhe dá uma bronca por um erro que você não cometeu;
Quando você cobra de si mesmo algo importante que deixou de fazer;
Quando um amigo faz algo que o prejudica e você tem vontade de revidar;
Quando você chega cansado em casa, depois de um dia duro de trabalho, e seu filho lhe pede para brincar com ele;
Quando sua esposa reclama com você pelo dia duro que ela teve em casa com as crianças, mas você está preocupado apenas com os seus problemas no escritório;
Quando seus filhos pedem para você levá-los ao zoológico no domingo, mas a sua vontade é de jogar futebol com os amigos...

Deu para perceber como a pergunta “O que o amor faria neste caso?” pode fazer toda a diferença do mundo?
Então, de novo: tudo se resume ao amor. Quando você trata a tudo e a todos, inclusive a si mesmo, com amor, a vida adquire uma nova perspectiva. Quando você declara a si mesmo o seu amor pelo mundo, por si mesmo e pelas pessoas, nada fica suficientemente ruim para atormentá-lo ou para fazer com que você se sinta mal ou aja de maneira egoísta.

Experimente. Faça algumas experiências dessas no seu dia de hoje. Garanto que você chegará ao final do seu dia sentindo-se muito mais feliz.

Gilberto Cabeggi é escritor, autor do livro
“Todo Dia É Dia de Ser Feliz”, pela Editora Gente.




Facebook   E-mail   Whatsapp




As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa