auravide auravide

PASTORAL

Facebook   E-mail   Whatsapp

Tu me encantaste
e eu me esqueci
que eras um sensual fauno silvestre.
Teus únicos desejos: cabriolar
nos montes, deitar nos bosques
com ninfas inocentes, embriagar-se
em deliciosos vinhos e seduzir as jovens
náiades das fontes e nascentes.
Eu te ofereci a vida
tecida com simplicidade
ao sol das manhãs.
Bordada de contas de vodro
em fios de teias de aranha orvalhadas.
Desenhei delicados florais
no tapete verde das campinas
só para te ver contente.
Por não te querer triste e te fazer feliz,
colori com um arco-íris de bonitas fitas,
teu céu gris.
Te surpreendi, cada dia,
com novo albor e singular poente.
Inebriado e aceso
nas voluptuosas carícias
das deusas que atraías,
a ti, pouco importava se eu sofria.
Valor nenhum tinha
o que eu te oferecia. Mas...
Quebrou-se, enfim, teu encanto,
fauno inconseqüente,
quando o amor de um homem
conheci, um dia.

Claudette Grazziotin

Facebook   E-mail   Whatsapp




As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa