Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade

POEMAS DE AMOR – POR KÁTIA DRUMMOND


Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp


MINHA ALMA GÊMEAS

Se artista, não sei.
Talvez arcanjo.
Cupido esculpido em mim.
Tatuagem de dragão,
um fugaz camaleão,
fogo de palha, água viva,
anjo torto, ave cativa
na iluminada manhã.
Espírito de Tupã.
Minha alma gêmea é assim.

É palhaço e carpideiro.
É domador e leão.
Deus, vestido de diabo.
Ardiloso como um gato,
submisso como um cão
ladrando no meu jardim.
Maltrapilho como um pobre,
cortejado como um nobre.
Vilão do cinema mudo.
Lendário ser absurdo.
Minha alma gêmea é assim.

Esse menino traquina
mais parece uma menina,
com seus cabelos de seda
e seus lábios de carmim.
De dia, ele me persegue.
De noite, ele me procura,
como a lua em noite escura.
Translúcida água pura.
Minha alma gêmea é assim.

Ele segue o meu caminho,
acompanha a minha trilha.
Às vezes é minha mãe,
minha irmã e minha filha.
Meu infiel companheiro
está comigo o tempo inteiro.
Vive todinho pra mim.
Dublê de homem e profeta,
de poeta e de pintor.
O mais audaz construtor.
Hóstia e vinho. Carne e sangue.
Minha alma gêmea é assim.

Eu já nem sei se sou ele.
Ou se ele eu em mim.

Kátia Drummond
Salvador Bahia Brasil.

Publicado em:




As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.


Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa