Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 

Soneto de Amor


Facebook   E-mail   Whatsapp   chat aura

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói e não se sente;
é um contentamento descontente;
é dor que desatina sem doer.

É um querer mais que bem-querer;
é solitário andar por entre a gente;
é um não contentar-se de contente;
é cuidar que se ganha em se perder.

É um estar-se preso por vontade,
é servir quem vence o vencedor,
é ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode o seu favor
nos mortais corações conformidade,
sendo a si tão contrário o mesmo Amor?

O cultivo do Amor parece uma arte perdida, porém sabe-se que é preciso restabelecer as alegrias da alma.
Esse soneto de Luís de Camões, poeta português, é de 1895, mas nos mostra como o Amor permanece o mesmo nos corações. É necessário somente reconquistarmos a fé e a esperança no novo, no homem, na vida.
E viva o Amor!


Publicado em:

Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   horoscopo



Veja também
Irei recomeçar
Eu posso sempre mais
Tudo tem o seu tempo
O amigo de todas as horas



As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.





horoscopo



Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa