auravide auravide

VÉSPERA DE MIM

VÉSPERA DE MIM
Facebook   E-mail   Whatsapp

Hoje é véspera de mim.
Amanhã, quando amanhecer,
Terei um filho que verei crescer,
Serei pra sempre muito mais que assim,
E vestirei meu contentamento,
Passado a limpo por forte tormento,
E em grande orgia de despojamento
Será queimado o meu testamento.

Hoje é véspera de mim.
Amanhã, quando amanhecer,
Todo aprendizado será um mistério,
Vai requerer de mim,
Um novo olhar mais sério,
Deixando claro, que querer saber,
Aumenta um lado que nunca se vê
E, lapidado o aprimoramento,
Toda verdade vira sacramento.

Hoje é véspera de mim.
Amanhã, quando amanhecer,
Convidarei, para minha ceia,
Todos aqueles que foram você.
Deixei de fora e, não sei porque,
Qualquer vestígio de exclusividade
Varrendo o sótão de uma vida e meia,
E se doer, recorro-me à saudade.

Hoje é véspera de mim.
Amanhã, quando amanhecer,
O meu jardim irá florescer.
Serei então, num prévio momento,
Muito mais bela que em qualquer espelho,
Convido a todos para depois, e agora,
Estarei só, em pré solenidade.
Profundamente, pensarei se é certo,
A liberdade de se estar por perto
Se estar por vir
é sempre mais que outrora,
Ou se partir
é sempre mais que agora.

Elane Tomich

https://www.prosaepoesia.com.br

Recebido de Hellen Katiuscia de Sá


Facebook   E-mail   Whatsapp




As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa