auravide auravide

A possessividade nos relacionamentos

por Academia Mental

Publicado dia 28/4/2008 em Almas Gêmeas

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Toda relação, seja ela amorosa, profissional, com os filhos, amigos etc., se as pessoas envolvidas não tiverem um amadurecimento para enxergar o outro como uma pessoa, com desejos, vontades e buscas próprias, esse relacionamento se torna algo que sufoca e limita.
Com isso, ocorre um momento em que um ou outro não suporta mais a situação e não consegue impedir a invasão, passando a se sentir manipulado.

Na realidade, as pessoas em geral, têm carências muito grandes e atribuem ao outro a busca e a satisfação de seus próprios desejos e vontades, ambos passam a ser um objeto na relação, que mais tarde, facilmente serão descartados. Na medida em que permitimos perder a possibilidade de expressão de quem somos, acreditando que sendo aquilo que o outro gostaria, seríamos totalmente supridos das nossas carências, impossibilitamos qualquer satisfação pessoal.
A satisfação está relacionada em podermos buscar o que queremos, conseguindo superar os obstáculos e percebendo que o outro não pode fazer isso por nós. Sempre num relacionamento de possessividade existe alguém que aparentemente controla, colocando todas as suas vontades, e outro que se submete.
Normalmente quem se submete começa a se sentir sufocado, só que por trás dessa submissão existe a idealização de que o outro poderia dar conta de todas as suas questões. Por outro lado a outra pessoa também sente essa submissão como algo que lhe dá certo poder, mas ao mesmo tempo inconscientemente existe um desprezo em relação à pessoa submetida.
Esse relacionamento gera uma relação de dependência e codependência, pois ao mesmo tempo, por um lado, quem aparentemente domina e também quem se submete, não consegue entrar em contato com as suas questões pessoais e mantém essa relação exatamente para encobri-las.
As pessoas em geral buscam encobrir o seu vazio existencial dentro de relações que geram a dependência e a codependência.
Ex: a dificuldade de entrar em contato com aquilo que se quer, ocupando esse lugar com a vontade do outro. Um faz a vontade do outro sem mesmo querer, um manda e o outro obedece. A dependência e a codependência não deixam espaço para um relacionamento, o tempo todo existe uma limitação e, na verdade, permanece uma vontade que não é nem uma vontade, sendo uma necessidade de se sentir importante. Vale refletir, “quanto nos anulamos quando mandamos, e quanto nos anulamos, quando nos submetemos”.

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 40

foto-autor
Sobre o Autor: Academia Mental   
Consultorio Walkiria Rovai Psicologa CRP /0613624 R Itacolomi 333 cjs 61 e 116 Higienopolis-São Paulo tel. 32588347 cel 991328936
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Não se trata do que eu devo nem do que eu quero...
artigo Infeliz
artigo O sagrado
artigo Tenha uma vida afetiva abundante

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa