Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

A Tolerância é a fruta madura

por Christina Nunes
A Tolerância é a fruta madura

Publicado dia 10/6/2004 em Almas Gêmeas

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Que não se entenda nisso um posicionamento radical quanto ao assunto, de vez que existem situações e situações, praticamente em razão direta de cada ser humano vivente; desejo tecer, contudo, considerações acerca da dosagem necessária da tolerância em qualquer tipo de compromisso amoroso mais sério, quando das ocasiões das diferenças, em favor, sobretudo, do crescimento mútuo, e daquela constatação de que é possível, sim, dar uma demonstração objetiva da possibilidade da união entre pessoas que discordam, ou mesmo entre aquelas diametralmente opostas no seu perfil humano, na exemplificação daquele amor maduro que mostrará aos nossos filhos a máxima de que "ter razão não é tudo", quando visamos objetivos maiores.

Hoje em dia, apela-se muito facilmente para o divórcio. Não questiono, no âmbito sagrado de cada histórico individual, todos os casos em que esta medida se mostra uma bênção, para sanar consequências graves nos relacionamentos problemáticos, em virtude de violência, vícios, ou naquele parâmetro de convivência potencialmente destrutivo para ambas as partes, onde nenhum dos dois cresce como pessoa, e ainda angaria traumas sérios em decorrência de sequelas emocionais. Faço alusão, aqui, àquele tipo de fragilidade pouco afeita à perseverança, ao se investir numa relação a dois, que invoca, a pretexto de tudo e de nada, a legendária saída do "cada um para o seu lado".

Num mês, se ama desesperadamente. No seguinte, porém, a propósito de uma diferença de gostos por uma pasta de dentes, nada mais vale a pena: todas as qualidades potenciais de ambas as partes envolvidas, literalmente, desaparecem de todas as considerações possíveis, e aquilo que antes fora uma certeza de amor eterno, se transforma na mais absoluta incapacidade para se aturar o outro por mais um minuto que seja.

É importante não amesquinharmos um sentimento tão sublime e poderoso quanto o amor - quando é amor, diga-se! - porque, principalmente numa relação sólida envolvendo filhos, há que se transmitir, por conta deste "amor", e em favor da integridade emocional das crianças, exemplo do real potencial de algo que, antes de tudo, implica em abnegação, tolerância, entendimento e naquela disposição nobre de se realçar no outro as suas qualidades (e todos as têm; não se deve confundir diferenças com defeitos), para a devida valorização de uma relação que pode e deve ser nutrida em favor da constatação de que é possível, sim, a consagração dos valores familiares nos dias que correm.

Não concebo amor genuíno sem tolerância. É esta a exata lição que aprendemos no decorrer das vidas sucessivas, que nos lançam em novos tipos de interação com aqueles adversários aparentemente "irremediáveis" do passado. Juntamo-nos novamente a estes seres, num contexto diferente de circunstâncias - os antes maridos como irmãos; as antes amigas como mães - porque é justo neste compartilhar estreito de convivência que aprenderemos a lidar, sob um novo enfoque, e movidos por um gênero de afetividade diverso, com aquelas características responsáveis, no passado, por dissenções aparentemente insanáveis. Aprenderemos, por exemplo, que o amor entremeado pela tolerância esmerada de uma mãe compreenderá muito mais facilmente, e sem "rompimentos definitivos", aquele padrão de comportamento para com o qual demonstramos tanta impaciência em épocas em que aquele que hoje é um filho amado se apresentava, talvez, como um mero amigo ou conhecido.

A tolerância é entranhada no amor, sem remissão. Não há para onde apelar, se ansiamos um mundo embasado na paz e na reciprocidade fraterna de sentimentos. E o exemplo deve partir, em princípio, do círculo estreito dos nossos relacionamentos familiares.

Neste sentido, a família permanece como a célula da sociedade. Não na visão egoísta de só se amar os nossos consanguíneos; mas no entendimento pleno de que, se com os nossos próprios consortes não conseguimos emprestar às nossas atitudes as bases sólidas da compreensão mútua, da estima, e da compaixão fundamentada na humildade lúcida e consciente das nossas próprias limitações, para se compreender devidamente as do outro, não haverá meio de sonharmos com uma sociedade estruturada nestes princípios, já que cada elemento interessado, a priori, não estará pronto para realizá-lo no seu restrito universo particular.

A tolerância é o fruto maduro do amor verdadeiro.

Com amor,
Lucilla e Caio Fábio, espírito
"Elysium"
https://www.elysium.com.br

Lucilla é autora do romance psicografado lançado este mês, "O PRETORIANO", pela editora MUNDO MAIOR (www.mundomaior.com.br). Leitura fácil e envolvente, de autoria espiritual de Caio Fabio Quinto, o conteúdo trata de uma das vidas passadas vividas pela médium e pelo seu mentor, na Roma de Júlio César, de cujos exércitos Caio foi um dos comandantes, narrando lances de convivência no cotidiano dos personagens, ricos de ensinamentos ilustrativos da Codificação Espírita de Kardec, das leis de causa e efeito, e do aprendizado espiritual que a todos nós envolve no decorrer do nosso trajeto evolutivo durante as reencarnações terrenas.
Os direitos autorais estão revertidos às obras assistenciais da FUNDAÇÃO ANDRÉ LUIZ, no amparo aos deficientes.
Aos interessados, maiores informações para compra no site da editora, ou no da FUNDAÇÃO ESPÍRITA ANDRÉ LUIZ: link
Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   horoscopo


Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 241

Sobre o Autor: Christina Nunes   
Chris Mohammed (Christina Nunes) é escritora com doze romances espiritualistas publicados. Identificada de longa data com o Sufismo, abraçou o Islam, e hoje escreve em livre criação, sem o que define com humor como as tornozeleiras eletrônicas dos compromissos da carreira de uma escritora profissional. Também é musicista nas horas vagas.
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Transcomunicação Instrumental
artigo A liberdade de ser
artigo Você sabe quais os benefícios de um atendimento de radiônica?
artigo Do Oran Mor aos corações apaixonados pela Luz

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.





horoscopo


auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa