Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
Home > Autoconhecimento
Tendência a amar demais

Tendência a amar demais

por Valéria Centeville

Gisa chegou ao consultório dizendo que tinha uma "tendência a amar demais" e, por isso, seus relacionamentos "não davam certo".
Logo percebi que, na verdade, ela estava atraindo relacionamentos nos quais ela se anulava para agradar ao outro.
Perguntei aos seus mentores espirituais de onde vinha essa tendência. Eles mostraram encarnações passadas nas quais ela havia sido escrava e obedecia para não apanhar. Em outras, havia sido mulheres submissas, educadas para obedecerem aos maridos como se fossem seus donos. Em todas elas, as personalidades passadas de Gisa obedeciam e serviam para não serem castigadas.
Na encarnação atual, sua mãe também era uma mulher submissa no sentido negativo da palavra, pois ela tinha um relacionamento abusivo com o seu marido no qual ele era o abusador e ela a "vítima", que se anulava para tentar satisfazer as necessidades do marido.
Gisa estava identificada com o papel de mulher submissa num relacionamento amoroso e foi necessário desligar-se emocionalmente dessas personalidades passadas para que pudesse construir um novo papel feminino em sua encarnação atual.
As personalidades passadas foram tratadas e reintegradas na alma de Gisa. Entenderam que, na vida atual, ela não precisava se anular para ter um relacionamento amoroso.
Após o tratamento da criança interior de Gisa, ou seja, da criança que ela foi e de alguns Eus passados seus, Gisa começou a se amar mais e se respeitar mais, atendendo melhor às suas próprias necessidades. Passou a valorizar seus atributos femininos como ser muito amorosa e carinhosa e entendeu que isso é diferente de ignorar suas próprias necessidades. Começou um novo relacionamento com um homem mais equilibrado que compreendia as necessidades dela e, aos poucos, foi aprendendo a conciliar suas necessidades individuais com as do seu novo namorado.
Na medida em que Gisa se amava e se respeitava mais, o relacionamento amoroso começou a "dar certo", ou seja, ela se sentia mais feliz. E o namorado também estava feliz com ela. Até onde tenho notícias, casaram-se e foram felizes para sempre...

A Terapia de vidas passadas já ajudou muitas pessoas a construírem relacionamentos felizes.
Ela também pode ajudar você! Gostou do texto?
Então curta e compartilhe!
Gratidão, paz e amor, Valéria Centeville e Leonel Vicente -Terapeutas de vidas passadas.

www.terapiadevidaspassadas.com
www.povodooriente.net
WhatsApps 11 9 8444 9975 e 11 9 9824 2584.
[email protected]

Texto Revisado
Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   horoscopo  
 
Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp



Autor: Valéria Centeville   
Terapia de vidas passadas. Captação mediúnica. Terapia Reencarnacionista. Terapia Regressiva. Hipnoterapia (hipnose). Terapia Espiritual. Terapia Floral. Canalizações de mensagens dos mentores espirituais. Orientação espiritual. Tarô cigano. 
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Avaliação: 5 | Votos: 1
Atualizado em 17/05/2019

Veja também
Você sabia que homens também são vítimas de Abuso Emocional?
Prece do vigilante da luz no burilamento consciencial
Quando nos curamos trazemos paz ao mundo
Como lidar com o Abuso Emocional?

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.






Energia do Dia
03 - CHUN - DIFICULDADE INICIAL
O início de todas as coisas é freqüentemente trabalhoso e difícil. Mas basta manter-se paciente e perseverar.
Consulte o I-ching


Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa