Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
Home > Autoconhecimento
Uma história sobre o medo de amar novamente

Uma história sobre o medo de amar novamente

por Rosana Ferraz Chaves

Eu assisti um filme bastante interessante. Havia uma família, pai, mãe, um menino e uma menina. Um dia o pai levou o menino de carro a algum lugar e durante o trajeto, o carro sofreu um acidente e ambos morreram.

A partir desse dia, a mãe que era uma médica, resolveu que faria de tudo para proteger a filha que restava.

Quando a filha ficou doente, a mãe ficou apreensiva. A criança pequena teve quatro eventos sucessivos com infecções.

Como a mãe era médica, ela questionou o pediatra da filha para saber a causa das sucessivas doenças, mas o médico apenas informou que se tratavam de viroses, coisa normal em crianças.

Insatisfeita com o diagnóstico e com as causas, a mãe resolveu fazer vários exames por conta própria e como nada era muito conclusivo, ela mesma deu o diagnóstico de que a filha tinha uma sensibilidade diferente, uma doença raríssima que fazia seu corpo não ter nenhuma proteção contra infecções e vírus.

Por conta dessa doença, a filha viveu até os dezoito anos de idade protegida numa casa muito limpa e estéril, com a presença de uma enfermeira-babá e da mãe.

A menina jamais saiu de casa ou teve contato com outras pessoas.

Os estudos eram feitos à distância, até o dia em que um novo vizinho se mudou ao lado de sua casa. Esses novos vizinhos tinham dois filhos da mesma idade da menina e um deles, se interessou por ela.

Os dois se comunicavam primeiro gesticulando pelo vidro das janelas, depois pelo celular e um dia, com a ajuda da enfermeira e sem a mãe por perto, pessoalmente, na sala da casa da menina doente.

Apaixonados, ousaram se beijar. Como nada aconteceu, a menina doente começou a pesquisar mais sobre a doença. Ela descobriu que havia uma possibilidade de ao ter contato com os outros, adquirir os anticorpos que protegeriam sua vida, mas quando a mãe descobre o que aconteceu, a menina muito assustada, passa mal.

Após esse episódio ela conclui que o prazer não vale a pena, já que pode trazer dor e sofrimento e ela resolve se afastar de tudo, novamente.

Ela se isola, mas quando vê o namorado se mudando, percebe que mesmo com a dor, o amor vale a pena sim.

Ela ousa sair de casa e vai procurar o namorado. Ela o convence a ousar mais ainda e realizar seu sonho de conhecer o mar.

Eles fogem de casa e passam três dias juntos, fazendo tudo o que ela jamais ousaria fazer.

Tudo dá certo, até que no terceiro dia, ela adoece. O coração dá uma parada e ela precisa ser hospitalizada. Quando a menina acorda já está em casa, em sua cama e sua rotina de doentes.

Dias depois do episódio, a médica que a atendeu no pronto socorro entra em contato, para avisar sobre o resultado dos exames. Ela informa para a menina doente, que a causa de tudo aquilo foi uma infecção. A menina diz à médica que tinha uma doença muito grave e muito rara, e que ela não tinha nenhuma proteção contra infecções.

A médica afirma que isso seria impossível, porque se assim fosse, o resultado do laboratório seria outro e ela teria morrido, e que ela não tem a temida doença.

Ela então questiona a médica. Se ela realmente não tinha aquela doença grave, porque então havia adoecido.

A resposta da médica: “Porque pessoas sãs ficam doentes o tempo todo”.

Inconformada, ela resolve pesquisar a doença nos antigos exames laboratoriais que a mãe tinha guardado e lá ela descobre que em nenhum deles, jamais apareceu aquele diagnóstico que a deixou presa por dezoito anos.

Furiosa ela constata que a mãe havia mentido para ela, para protegê-la.

A mãe deu o diagnóstico que foi útil para manter a menina nas condições mentais ideais para que ela se visse como doente, inferior, fraca e impotente diante da vida. Quanto mais impotente a menina se visse, mais poder a mãe teria sobre ela.

O interessante dessa história é que a maioria dos nossos pais fez isso conosco, de forma inconsciente, para nos proteger.

Então tem muita coisa que você vive hoje que não é real.

Talvez você também se sinta doente, em alguma área da sua vida, por se considerar indefesa, imprópria ou incapacitada.

Talvez isso tenha sido útil no passado e agora, não mais. O nome disso é programação mental.

Desconfie daquilo que não está dando certo, porque pode ser apenas um modo equivocado de enxergar a si mesma.

Não culpe seus pais. Eles fizeram isso com a cabeça e com os recursos que eles tinham na época. Agora é com você.
Texto Revisado

Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   horoscopo  
 
Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp



Autor: Rosana Ferraz Chaves
Visite o Site do autor e leia mais artigos.
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Avaliação: 5 | Votos: 5
Atualizado em 04/11/2019

Veja também
Você sabia que homens também são vítimas de Abuso Emocional?
Prece do vigilante da luz no burilamento consciencial
Quando nos curamos trazemos paz ao mundo
Como lidar com o Abuso Emocional?

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.






Energia do Dia
03 - CHUN - DIFICULDADE INICIAL
O início de todas as coisas é freqüentemente trabalhoso e difícil. Mas basta manter-se paciente e perseverar.
Consulte o I-ching


Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa