auravide auravide

Aumente sua chance de se curar de doenças graves

por Rosana Ferraz Chaves

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Já faz tempo que queria conversar com vocês sobre esse assunto tão desgastante e polêmico, em especial quero falar sobre câncer.

Vejamos a evolução dos tratamentos de cura que essa doença desenvolveu desde os grandes avanços da medicina até aqui.

Da parte médica pouca coisa mudou, do ponto de vista do paciente. Conforme o tipo de câncer que a pessoa desenvolve, o tratamento continua sendo cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

Ouvir do médico a notícia de que a pessoa está com câncer já é o prenúncio de muito sofrimento com possibilidade de morte, mas pensar no efeito colateral do tratamento é que acaba matando o lado mental do paciente.

A toxidade da químio e rádio é tão alta, que faz a pessoa acreditar que o câncer é causa todo aquele desgaste físico e sofrimento, mas não.

Tanto que no passado as pessoas morriam de câncer sem saber que tinham a doença. Claro que alguns tipos de câncer causam dor, mas também conheço várias pessoas que nunca tiveram dor alguma e descobriram o câncer já em fase terminal.

O grande desgaste físico e mental dos doentes por câncer é causado mais pelo tratamento, do que pela doença.

Fora da medicina muitas teorias proliferaram na área de autoajuda, como por exemplo, uso da repetição de frases para obter a cura e também a metafísica da saúde ou psicossomática.

As frases nunca funcionaram para mim e para ninguém que eu conhecesse ou desconhecesse, porque nunca li nenhum relato verídico de uma pessoa que teve uma doença grave e se curou repetindo frases.

Já pela psicossomática que atua mostrando possíveis causa mentais que originaram doenças, nem sempre conseguimos nos encaixar nos pressupostos e quando nos encaixamos, isso não muda nada.

Por exemplo, vejamos o que a metafísica da saúde nos fala sobre as causas mentais da rinite: pessoa que se afeta facilmente pelo ambiente, se irrita por qualquer coisa, principalmente com o modo de agir das outras pessoas”.

Você aí que está lendo e passa por episódios de rinite, seja sincero: você se encaixa inteiramente nesse perfil? Será que as crianças que passam pela rinite são assim? Você conhece ou convive com alguém que tem rinite e é exatamente desse jeito?

Vamos assumir que para todas as perguntas, as respostas sejam sim e vamos assumir que todos que têm crises de rinite sejam exatamente desse jeito.

Saber que você é uma pessoa “que se afeta facilmente pelo ambiente, se irrita por qualquer coisa, principalmente com o modo de agir das outras pessoas”, fará você pensar diferente?

Vou perguntar de outra maneira: saber que você é diabético porque “é uma pessoa muito amarga com a vida”, o fará enxergar a vida de outro jeito? Creio que não.

Saber que massas e doces engordam não nos tira a vontade de comer isso.

No caso do câncer, afirmar que toda pessoa que tem essa doença é cheia de mágoas e rancores, não muda nada na vida delas.

Animais também têm câncer. Será que a convivência com humanos os fizeram ter muitas mágoas e rancores? Mas e os animais selvagens?

Falam que a cobra é traiçoeira e tem até parte com o lado negativo, mas será que cobra tem câncer?

Tem várias pessoas que você conhece que são rancorosas e magoadas e nem por isso desenvolveram câncer. Ou não?

Quando falamos em “pessoa amarga” isso sequer tem uma resposta linear no cérebro, porque amargo tem a ver com sabor e o cérebro não consegue associar sabor com atitude.

Nos atendimentos com reprogramação mental já atendi algumas pessoas com câncer e estudei o relato de muitas pessoas com outras doenças, mas minha cobaia sou eu. Já tive doenças muito graves, como tumor no cérebro e hemorragia gástrica e consegui me curar, usando alguns princípios que vou explicar aqui.

Pela experiência que tenho, percebi que para conseguir aumentar a chance de cura para qualquer doença, a pessoa precisa prestar atenção em três aspectos muito importantes:

1) Aceitar a doença, seja ela qual for. Não julgar as causas, não se culpar e nem culpar a Deus, porque rejeição só traz desconforto mental e revolta. Aceitar a situação é o começo da cura.

2) De acordo com a sua consciência, pergunte a si, o que de pior essa doença lhe trouxe. Não pense na morte, porque para morrer, basta estar vivo. E você que não está doente, pense numa doença muito grave. O que ela poderia lhe trazer de pior? Essa resposta é chave da sua cura. É esse questionamento interno, que é só seu, que pode prevenir, remediar e curar doenças.

3) Mesmo que seu tratamento seja doloroso e cheio de efeitos colaterais, tente separar o tratamento, dos sintomas da doença. Essa é a melhor forma de diminuir os sintomas. Separe as duas coisas. No caso do câncer, a doença nem sempre traz dor. O que desgasta é a toxidade dos remédios usados para curar. O segredo é entender que o tratamento vai ter começo, meio e fim. Que é apenas uma etapa da cura. Desassocie doença de tratamento, porque isso vai lhe ajudar muito a se recuperar mais rápido.

Aprenda a viver um dia de cada vez. Alguns dias serão amenos, outros, tormentosos.

Toda vez que você sai do seu normal, sua imunidade fica baixa e é isso que abre as portas do seu corpo para qualquer doença.

Por que umas pessoas pegam covid e são assintomáticas, enquanto outras morrem em poucos dias? Essas que resistem estão com o corpo mais saudável. Mente e corpo são manifestações da mesma espécie.

Quando um vírus encontra um pulmão e um corpo já debilitados, a chance de cura diminui muito.

Doenças pulmonares podem ser causadas por tristeza e pela ação de agentes químicos, como cigarros ou drogas. As chances de cura são poucas, nesses casos, então se cure antes que algum vírus invada seu corpo. O que o (a) deixa triste?  O que o(a) deixa alegre? Por que você resolveu começar a usar alguma droga?

Volte para o seu normal.

Mas qual é o seu normal? Acordar, tomar banho, tomar café, se irritar assistindo os telejornais, se estressar no trânsito, ou com o preço das coisas, trabalhar o dia inteiro num lugar chato, cercada(o) de gente chata, suportar ainda a obrigação de lavar, passar e cozinhar para uma família que não lhe ajuda em nada e depois de um dia exaustivo, ter uma noite feliz com seu(a) parceira(a)?

Qual é o seu normal verdadeiro?

O primeiro efeito de uma doença grave na sua vida é lhe fazer parar e repensar. Não espere ficar doente para fazer isso.
Texto Revisado

 

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 21

foto-autor
Sobre o Autor: Rosana Ferraz Chaves   
Oraculista, sensitiva e escritora. Se dedica aos estudos de anjos, baralhos e tarots antigos, ministra cursos de oráculos, neurolinguística. Desenha mandalas e cria perfumes mágicos em seu atelier. Autora do livro Magid - O encontro com um anjo.
E-mail: rosanafch@yahoo.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.
Publicado dia 12/12/2020 em Autoajuda

Veja também
artigo Posicionamentos
artigo As Cartas de Cristo
artigo Quando eu te vejo, em espírito e verdade...
artigo Destilar Emoções

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa