auravide auravide

A QUEM NOS TEM OFENDIDO

por Silvana Giudice

Publicado dia 13/10/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Sem dúvidas, perdoar é um desafio. Sentimentos como culpa, raiva, hostilidade são acionados quando nos sentimos humilhados, agredidos e, principalmente, quando não entendemos porque fizeram isso com a gente. Com certeza, uma "mistura" de sensações que nos causam dor e sofrimento e colocam à prova nossos limites e capacidade de superação e de compreensão.
Perdoar não é ser apático com os erros alheios ou aceitar de forma passiva tudo o que nos fazem. Muito menos, fugir da realidade, negando os sentimentos ou reprimindo mágoas.
Acredito que o ato de perdoar está ligado a um temor religioso. Crenças e dogmas antecipam-se à nossa íntima razão e discernimento e ofuscam o real significado da palavra perdão.
Perdoar para ser perdoado... bonito, socialmente nobre e divinizado! Será que perdoamos mesmo quando, "vira e mexe", recordamos aquilo que alguém nos fez?Perdoamos quando, "vai e vem", provocamos a pessoa envolvida naquele episódio no estilo: "Você lembra o que fez comigo naquele dia?"
Desprender-se mentalmente pode ser um caminho construtivo para perdoar. Evitar a sobrecarga mental do "eu deveria ter falado isso"... ou revidado daquela maneira... e outras idéias repetitivas e que fazem que cada vez que geramos imagens, sintonizemos os mesmos sentimentos negativos. Uma excessiva exaustão física, mental e emocional.
Dessa maneira não sofremos uma vez pelo episódio, mas sucessivas vezes a cada nova lembrança.
O distanciamento pode nos motivar a perdoar com maior facilidade, porque deixamos de nos alimentar com emoções alheias, das desforras ou até das relações doentias. É desligar-se desses fluidos que nos amarram em crises existencias e que nos tornam dependentes psicológicos desses fatos acontecidos, mas que sobrevivem e se alimentam de nossa memória.
A prece também pode se revelar uma excelente terapia, que nos reabilita a paz e a harmonia perdida. Serenos, podemos entender através da compaixão e do amor incondicional.
A "retirada estratégica" dessa conexão psicológica torturante com os envolvidos pode fazer com que tenhamos habilidade e disposição para perceber o processo que está por trás dos comportamentos agressivos das pessoas.
Enfim, perdoar significa esquecer... e esquecer significa aplacar a dor da nossa alma.
Silvana Giudice
Terapeuta holística

Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 40

foto-autor
Sobre o Autor: Silvana Giudice   
Psicoterapeuta Reencarnacionista Numerologia Pessoal- Empresarial- Vocacional Terapia Floral Tarô Aconselhamento Endereço- Tatuapé- proxima Metrô Carrão telefone- (011) 3586-8885 e 98706-0806 Tatuapé- São Paulo mais informações- [email protected]
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Qual é a sua ambição?
artigo Porque estamos novamente falando da Era de Aquário?
artigo O Universo num Corpo Humano
artigo A noite escura, de são joão da cruz

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa