auravide auravide

A riqueza da primavera

por Flávio Bastos

Publicado dia 12/9/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


"Olhai os lírios do campo... como eles crescem, não trabalham nem fiam; e eu vos digo que nem mesmo Salomão, com toda a sua glória, se vestiu como um deles".
Jesus Cristo


Quando imaginamos uma cena paradisíaca, a nossa mente começa a criar uma imagem idealizada conforme a nossa concepção de "paraíso". Imaginamos, por exemplo, um lago sereno onde em seu leito espelha-se frondoso bosque. Suas margens, repletas de flores multicoloridas atraem uma infinidade de espécies de borboletas e beija-flores. Pássaros, na mata, completam a sinfonia do lugar.

Costumamos idealizar em nossas meditações, em nossos exercícios de relaxamento mental, cenas de um paraíso natural que parecem-nos inatingíveis conforme a beleza de nossas criações mentais. No fundo, é a imagem mental que formamos do "céu" enquanto lugar que julgamos ir após o desprendimento do espírito.

No entanto, o paraíso está mais próximo de nós do que imaginamos, pois encontra-se na riqueza multicolorida da primavera, no perfume das flores que desabrocham frenéticamente e invadem de contagiante energia as florestas, os bosques, os campos, os recantos naturais e os canteiros e vasos de flores próximos a nós.

A primavera, para quem tiver "olhos de ver" a interdimensionalidade de seu encanto, é um presente do Criador. Há nela renovação, pureza, música no ar, cores, energia vital e amor...

Não existe na natureza nada mais autenticamente vital e que espelhe a grandeza da existência humana no seu sentido evolutivo, do que a estação das flores. A riqueza da primavera expressa o que há de mais sagrado, pois o Criador nela parece se manifestar, como querendo nos dizer: "Sigas o curso natural da vida e serás feliz".

O olhar interdimensional da vida é a visão que contempla, harmoniosamente, as realidades paralelas que se interconectam e se manifestam em todos os lugares e sob todas as formas, seja na alegria ou na tristeza, no estéticamente "feio ou bonito", no sofrimento e na felicidade, pois aí, entre o concepção humana de equilíbrio e desequilíbrio, percebe-se a sutileza das Leis Naturais que regem o Universo.

A primavera é rica em detalhes que (normalmente) não percebemos sem o olhar interdimensional. No entanto, nunca é tarde para despertar em nós a ótica que contempla e analisa a existência humana no seu sentido psico-filosófico mais profundo: a transcendência.

Pétalas da Primavera

Essas pétalas
que desprederam-se das flores,
enviam o perfume que destilam
para o Alto, sempre mais Alto
em reverência ao Criador...
E depois se espalham pela Terra,
em sinal de agradecimento
pela cor e beleza, aroma e vida,
com que o mundo as fez,
belas e brilhantes.

Emmanuel


Psicanalista Clínico e Interdimensional
flaviobastos
Atendimento online/messenger

Texto revisado por: Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 18

foto-autor
Sobre o Autor: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Psicoterapia Holística, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Não se trata do que eu devo nem do que eu quero...
artigo Infeliz
artigo O sagrado
artigo Tenha uma vida afetiva abundante

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa