auravide auravide

Ambiente familiar: lugar de evolução!

por Flávio Bastos

Publicado dia 24/9/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Informam as leis divinas e as leis humanas que à medida que um casal gera ou adota legalmente um filho, ele se torna responsável pelo desenvolvimento integral dessa criança. Ser responsável na maternidade ou na paternidade é o natural direcionamento de quem assume tais funções.

Já ouvi comentários de pessoas que se dizem reencarnacionistas que nada tem a ver com o "aspecto consciente" do compromisso de educar filhos, como por exemplo: "Se existem vilões na relação pais-filhos é porque um dia os vilões foram vítimas...".

A Divina Lei de Causa e Efeito não é a lei do "toma lá da cá" ou a do "olho por olho, dente por dente". As leis da reencarnação, no que diz respeito ao reencontro de espíritos em um núcleo familiar, são bem claras no sentido de alertar-nos de que quem veio nas funções materna ou paterna, independente do que ocorreu no remoto passado, deve assumir a responsabilidade que lhe cabe em relação ao espírito-filho, ou seja, é uma nova oportunidade de recomeçar com bases alicerçadas na consciência de que a função de pai ou de mãe possui uma amplitude bem maior do que antes imaginávamos.

Construir um ambiente familiar fundamentado nas relações interpessoais de nível aceitável é o principal objetivo de quem reencarnou com o compromisso de edificar uma família. Quando alcançamos um nível de equilíbrio nas relações familiares, tudo de ruim que aconteceu no pretérito envolvendo esses espíritos perde a sua força porque a finalidade do reencontro que é o resgate pela energia do amor envolvente, foi contemplada.

A responsabilidade não assumida ou negligenciada dos pais biológicos ou substitutos, além de manter a sintonia com o remoto passado permeado de prováveis desajustes nas relações entre esses espíritos, também provoca sequelas psíquicas que irão se manifestar mais tarde em forma de patologias.

Portanto, na condição de mãe ou pai, a forma como encaramos esse compromisso com os filhos, encontra-se na razão direta de como construímos ou deixamos de construir um ambiente familiar saudável. E nessa relação de energias interdimensionais entre o "ontem" e o "hoje", estabelecemos um ambiente terapêutico que eleva o nível das relações humanas e do autoconhecimento, ou criamos condições para que as energias deletérias contribuam para a proliferação (ou a continuidade...) de relacionamentos conturbados que geram enfermidades de toda ordem.

A cada ano que passa o homem volta-se cada vez mais para a educação como fator de prevenção contra o surgimento das mais diversas psicopatologias. Essa conscientização vem acompanhada de lenta evolução espiritual pela qual passa o planeta Terra, que começa a ser considerado a partir do terceiro milênio um mundo de seres em processo de regeneração.

O flagelo psíquico-espiritual resultante da maternidade ou paternidade negligenciada ou não assumida, antes de ingressar na área da saúde mental, passa pela área da educação. E antes de ingressar na área de competência da educação institucionalizada, passa pelo âmbito da célula familiar cujo núcleo são os pais ou substitutos...

A missão de educar é somente comparável em grau de importância com a auto-responsabilidade. Talvez seja a prova de maior exigência para o espírito, à medida que o futuro do filho dependerá em grande parte, das experiências por ele vivenciada nas relações mãe-pai-filho.

Portanto, sob a ótica das leis da reencarnação, "ninguém é vilão de ninguém". Simplesmente exercemos papéis transitórios no teatro da vida. E quando em família nos cabe o papel de mãe ou de pai, os papéis devem ser desempenhados com a consciência do dever a ser cumprido.

Na estrada da vida, sempre é tempo de amar e nunca é tarde para recomeçar.

Psicanalista Clínico e Interdimensional.
Atendimento online/MSN: visite o site do autor

Texto revisado por: Cris


Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 45

foto-autor
Sobre o Autor: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Psicoterapia Holística, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Não se trata do que eu devo nem do que eu quero...
artigo Infeliz
artigo O sagrado
artigo Tenha uma vida afetiva abundante

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa