auravide auravide

As verdades escondidas nas memórias


Facebook   E-mail   Whatsapp

A sequência de traumas psíquicos da experiência infantil, associada às experiências de outras vidas, são uma valiosa fonte de informações que podem permanecer ocultas no inconsciente profundo.
São fatos "esquecidos" nas memórias cerebral e extracerebral, que guardam as origens de nossos medos, inseguranças e bloqueios, geradores de diversas patologias que assolam a sociedade pós-moderna. Entre elas a depressão em primeiro plano, seguida da síndrome fóbica e da síndrome do pânico.
Geralmente, é em estado alterado de consciência que estes históricos acontecimentos emergem à luz da consciência, trazendo inestimável contribuição ao processo terapêutico e iluminando o caminho do autoconhecimento para o indivíduo que passa pela experiência regressiva orientada e assistida por profissional capacitado e habilitado.

Neste sentido, a regressão de memória é uma excelente opção na busca de verdades que encontram-se escondidas no inconsciente profundo, à medida que a técnica utilizada investiga e agiliza respostas que dizem respeito às queixas que a pessoa leva ao consultório, que são as bases estimuladoras de seu desconforto físico, mental ou emocional.
No entanto, a experiência em estado alterado de consciência, deve passar pela vontade ou consentimento da pessoa, e jamais ser algo induzido, que vá contra princípios ou conjunto de crenças do indivíduo em acompanhamento psicoterapêutico.

O caso que abordaremos a seguir informa com precisão as motivações que levaram a pessoa a desenvolver a depressão, que se manifestou quando o indivíduo tinha 53 anos de idade, sendo uma sequência de acontecimentos traumáticos que foram abalando o seu emocional e alimentando sentimentos de perda, desamparo, mágoa e medo, até desenvolver o estado ou quadro depressivo.

REGRESSÃO: VIDA ATUAL

1)  "O pai está bravo porque acordamos ele na sesta. Agora ele põe o meu irmão de castigo e me dá umas palmadas".
2)  "Caí da bicicleta e me machuquei. Estou com os joelhos e cotovelo ralados. Ai que dor! Mas a mãe vem ao meu auxílio".
3)  "Estou numa rua com o amigo Serginho. Carrego uma bola de futebol, mas o Serginho está escuro na imagem".
4)  "Vejo-me caindo na piscina do clube. Tenho 2 anos de idade. Afundo mas minha mãe mergulha e me salva. Sinto muito medo e a mãe está muito nervosa".
5)  "Agora aviões de guerra passam próximo de onde estamos. Sinto medo e vou pra perto da mãe, que me abraça".
6. "Agora vejo uma capela onde tem duas crianças, aias de um casamento. Vejo o meu amigo Serginho como noivo. Mas é uma cena confusa, pois ele está casando com uma ex-namorada que não casou com ele. No casamento vejo familiares e amigos que já morreram. Sou criança e apesar deles me chamarem pra capela, não entro porque sinto um desconforto, um sentimento de medo. Agora vejo a irmã do Serginho fora da capela. Ela sorri e me chama pra brincar".

REGRESSÃO: VIDA PASSADA

"Vejo um carro antigo. São desportistas que desfilam em carro aberto. São jogadores de futebol que se dirigem ao estádio para serem homenageados e durante o percurso são aplaudidos pelas pessoas que se concentram nas ruas.

Sou filho de uma pessoa influente. Encontro-me ao lado dela e visto calça curta, estou de boné e tenho 11 anos. Agora dão um tiro de canhão, é uma conquista importante para o clube e a cidade. Muitas pessoas vem cumprimentar o meu pai. Agora tocam um hino e chega uma carruagem que traz um nobre casal. Eles sobem pela escadaria do estádio e se dirigem a um local acima de nós".

Passa o tempo: "Tenho 18 anos e me vejo incorporado ao clube. Estou de terno e sou um aprendiz administrativo".

Passa o tempo: "Tenho 29 anos, filha e esposa. Tornei-me jogador de uma equipe verde e branco, o Celtic, e exerço liderança sobre o grupo de jogadores".

Passa o tempo: "Sou um idoso ainda forte e atuante. Sou um patrono do clube. Tenho posições firmes e sou respeitado por ser uma pessoa correta, mas percebo que as pessoas sentem um pouco de medo de mim. A filha casou e já tenho dois netos".

Sentimento predominante: firmeza de caráter, honestidade.

COMENTÁRIO

Esta pessoa me procurou com sinais de uma leve depressão. Sua infância foi marcada por um pai autoritário e ausente afetivamente. Sua mãe foi a sua referência afetiva feminina. No entanto, fica evidente a lacuna de referência afetiva masculina, que não foi devidamente identificada ou substituída durante a sua infância. Basta verificarmos que nas suas memorizações da vida atual, sempre estava a figura materna para protegê-lo e cuidá-lo.

A visualização da capela onde ocorria o casamento do Serginho, seu melhor amigo, que faleceu precocemente, evidencia o sentimento de perda afetiva e luto não resolvido associado ao sentimento de culpa, pois no interior da capela encontravam-se somente pessoas falecidas, inclusive seus pais, entre outros familiares e figuras importantes de sua infância. Fora da capela, apenas ele e a irmã de seu melhor amigo, que ainda é viva, o que representa um amor não correspondido por iniciativa dele, dela ou de ambos, mas que repercute no atual momento de vida como uma relação que não ficou bem resolvida.

No que diz respeito à memorização da vida passada, é importante informar que a pessoa tem um passado como desportista na vida atual, tendo inclusive, atuado no departamento técnico de equipes expressivas do cenário nacional.

Portanto, a sua experiência pregressa relacionada às atividades clubísticas, sintonizam pela via das tendências e talentos que trazemos internalizados, às atividades clubísticas desempenhadas na vida presente, embora o tempo, os clubes e os personagens estivessem inseridos em dinâmicas diferenciadas.

Ao conectarmos as informações oriundas da regressão com as informações registradas da vida atual, verificaremos que a "teia informativa" fecha-se perfeitamente no sentido de revelar o que havia no "esconderijo" do inconsciente, ou seja, as verdades escondidas nas memórias.

Texto revisado
Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 11


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

foto-autor
Conteúdo desenvolvido por: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva (TRE), Psicoterapia Reencarnacionista e Terapia de Regressão, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose, e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: [email protected] | Mais artigos.

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Autoconhecimento clicando aqui.

Veja também © Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade










Receba o SomosTodosUM
em primeira mão!
 
 
Ao se cadastrar, você receberá sempre em primeira mão, o mais variado conteúdo de Autoconhecimento, Astrologia, Numerologia, Horóscopo, e muito mais...


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa