auravide auravide

Busque o que há de mais verdadeiro em si mesmo!



"A felicidade vem do íntimo. Não depende de fatores externos ou de outras pessoas. Nós nos tornamos vulneráveis e podemos ser facilmente feridos quando os nossos sentimentos de segurança e felicidade dependem do comportamento e das ações de outras pessoas. Nunca transfira o seu poder para outra pessoa". (Brian Weiss)

Geralmente, os caminhos da vida são difíceis de serem percorridos, cheios de obstáculos e traiçoeiros atalhos que podem se tornar jornadas exaustivas para muitos peregrinos que cerram seus olhos para valores que não acabam no final da estrada.

Se partíssemos da certeza de que somos seres espirituais numa experiência física, cujo objetivo é a evolução individual e da humanidade, seríamos pessoas mais preparadas para o enfrentamento de muitos desafios que a vida exige. No entanto, muitos de nós, sem a percepção do perene e da imortalidade da alma, apequenam-se diante da existência ao trilharem um caminho sombrio, repleto de dúvidas e inseguranças.

As doenças da alma que assombram a mente e desequilibram o indivíduo são geradas por fatores cármicos, genéticos ou somatizados pela incapacidade da pessoa libertar-se do labirinto em que se encontra. Inevitavelmente somos a consequência do que fomos, e esse processo vital de longo curso tende a se intensificar, ao menos que em algum momento desse fluxo vital, agreguemos valores que quando praticados, proporcionam leveza à alma e a cura de suas dores.

Não por acaso, vários líderes espirituais, que por aqui passaram, deixaram suas mensagens de alerta a respeito do egoísmo como sendo a principal causa de nossas vicissitudes e de desgraça coletiva relacionada à fome e à miséria material. O egoísmo, quando associado ao orgulho e à intolerância, gera o ódio e a violência, que representam a paralisia no processo evolutivo de um indivíduo ou de um povo-nação. Dessa forma, por mais que criemos ilusões a respeito da política como meio de solução de problemas, mais nos decepcionamos porque a mudança para um mundo melhor de se viver, passa pela mudança interior de cada ser dotado de inteligência e de uma formidável capacidade de expansão da consciência. A política existe em nosso benefício, porém, nada ou pouco podemos fazer quando predomina a ignorância.

Durante a minha experiência como psicoterapeuta interdimensional, passei por muitas situações em que o paciente, incrédulo com a sua experiência regressiva de memória, mantinha-se em silêncio como a elaborar com maior ou menor carga emocional, informações pregressas relacionadas a fatos que ocorreram na atual vida, mas que tinham simbiótica ligação com aquela(s) vida(s) passada(s).

Posteriormente, na fase de elaboração do conteúdo regressivo, outra constatação que comumente ocorria era o pesar pelo desperdício de oportunidades do "despertar" surgidas ao longo das vivências, mas que foram rejeitadas em prol da satisfação do ego.

As centenas de regressões realizadas me deram a certeza e a segurança em afirmar que o desafio de cada ser humano é curar as suas dores íntimas, transformando-as em prazeres da alma. Fato que o despertar da consciência, gerado por uma percepção mais aguçada da cadeia de interligações que representa a vida no contexto universal, é capaz de proporcionar.

Só poderemos sair da "matrix" do eu, quando também apurarmos a percepção do senso da verdade e justiça que trazemos internalizado, mas geralmente superado por interesses egóicos. A predominância do eu inserido no contexto existencial, conforta e acomoda o indivíduo na zona de conforto. Mas, por outro lado, limita drasticamente a sua visão na forma mais livre e abrangente, que é indispensável ao seu processo evolutivo.

O despertar da consciência nada tem a ver com a fé cega ou com o falso moralismo, mas com o que há de mais profundo e verdadeiro em cada um de nós, que é a prática do bem fundamentada em valores humanos e acrescida de apurado senso de verdade e justiça. Nessa busca, podemos passar uma vida nos iludindo com "falsos profetas" ou evoluindo com o exercício do que há de mais real e sagrado em nós mesmos, a essência, o self.

Portanto, independente de dogmas religiosos ou políticos, faça diferente e busque o que há de mais verdadeiro em si mesmo, em sintonia com a vida, verdade, justiça e evolução.

Texto Revisado

Publicado dia 10/11/2018
  estamos online

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 4



foto-autor
Autor: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Psicoterapia Holística, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: flavio01bastos@gmail.com | Mais artigos.

Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade











auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa