Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

Como lidar com o Abuso Emocional?

por Adriana Mantana

Publicado dia 3/2/2020 em Autoajuda

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Em termos de relações humanas, o conceito de abuso aplica-se a qualquer ação humana onde exista uma precondição de desnível de poder, seja ele em relação a objetos, seres, legislações, crenças ou valores. Fonte: Wikipédia.

Peguei esta definição do Wikipédia e não conseguirei abordar tudo sobre este assunto que além de vasto é extremamente complexo para eu poder tratar aqui neste texto. No entanto, espero contribuir de alguma forma com você, proporcionando algumas reflexões e insights sobre este tema que é profundamente doloroso para quem vive nesta situação.

Portanto, caso queira se aprofundar em sua situação pessoal de abuso e seguir comigo com uma tratativa terapêutica sobre a questão, fique até o final que lhe darei as instruções necessárias para isto.

Se formos parar para refletir, o abuso existe desde a tenra idade. Quando falo isto, não me refiro ao abuso físico, ou verbal, que são formas extremas de abuso. Estou dizendo aquele tipo de abuso que é leve, quase não passa por uma forma de abuso. Por exemplo: alguém diz para você mentir, dizendo que ela não está em casa. Como eu disse, é tão sutil que passa como algo normal, mas perceba: alguém está pedindo para você passar por cima da sua verdade e mentir.

Tudo começa na sutileza, assim como em um relacionamento abusivo, por exemplo. Uma proibição aqui, uma humilhação acolá e depois um tapa na cara. Claro que o abusador vai pedir desculpas depois dizendo que não sabia o que estava fazendo. Em alguns casos, acredite, ele vai culpar o demônio que tomou conta do corpo dele e ele fez aquilo (eu já ouvi isto de uma mulher que foi abusada).

Vamos aos fatos: a pessoa que se torna uma pessoa abusadora tem a sua parte sombria negada, não reconhecida e não tratada. E muitas vezes reprimiu tanto isto nela que “do nada” ela explode e abusa de alguém.

Uma coisa é corriqueira nos meus atendimentos: geralmente, quem se torna um abusador, foi abusado ou presenciou o abuso na infância.

Não quero dizer com isto que estou do lado do abusador, a questão aqui é que todos nós precisamos lidar com estes dois lados. O que faz um abusador abusar de alguém? E o que faz uma pessoa ser abusada?

Por que esta pessoa simplesmente não sai da relação?

As coisas não são tão simples assim. Se você conhece o meu trabalho de alguma forma, seja pelos textos, cursos, workshops ou atendimentos individuais, sabe que falo sempre da fragmentação emocional humana.

"- Mas, Adriana, estou chegando aqui agora ainda nem te conheço".

Para você que está chegando agora, vou me ater somente à parte sombra e à criança interior que geralmente falo com mais frequência. Ambas estão no seu inconsciente. É isto que faz você estar abusador ou estar abusada. Estou utilizando o verbo estar, porque usar o verbo SER paralisa você nesta situação. E acredito que toda pessoa que está nesta situação, é capaz de sair dela com acompanhamento terapêutico (se ela quiser, claro).

Então, vamos lá, se de repente você viu o seu pai bater em sua mãe, pode ter internalizado isto e hoje você faz o mesmo com uma mulher.

Além da fragmentação, existe o aspecto sistêmico; eu consigo ver isto junto com você no movimento da Constelação Familiar, porque eu também trabalho com a Constelação presencial ou online.
Enfim, volta do ao nosso tema, a primeira coisa, portanto, é investigar a sua história. Alguém apanhava na sua família ou sofria abuso emocional/ verbal?

Como foi a sua relação com os seus pais?
O que sente por sua mãe?

Perceba que são perguntas para você chegar até o ponto onde está sua dor ou causa-raiz do problema. Porque se hoje você está em uma relação abusiva, seja no relacionamento afetivo ou no trabalho, isto é só um sintoma de algo que geralmente aconteceu bem antes. Normalmente, encontramos isto na sua infância ou também em alguma repetição de padrão de sua família, por um mecanismo inconsciente de lealdade por algum ancestral. Ou seja, se alguma tia, avó, mãe ou alguém que você nem tem consciência passou por isto, por lealdade e amor, você repete o padrão. Por isto disse que na Constelação familiar podemos ver se isto é algo sistêmico (repetição de padrão na família).

No início do texto, eu disse que este assunto é extremamente vasto e doloroso, portanto, não tenho a pretensão de esgotar este assunto aqui.

Caso queira se aprofundar em sua questão, pode agendar um horário comigo, que posso acompanhar o seu caso de perto, com a psicoterapia e também com a constelação familiar que eu citei no texto (investigar e tratar a sua questão). Para saber como agendar sua sessão terapêutica comigo CLIQUE AQUI.

Cuide-se com mais amor e carinho!

Grande abraço.
Adriana Mantana

Texto Revisado

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 23

Sobre o Autor: Adriana Mantana   
Bióloga, Terapeuta Integral, Consteladora, Renascedora, Terapeuta ThetaHealer®, Terapeuta de Barras de Access™, Floral de Bach, Radiestesista, Operadora de Mesa Quântica Radiônica, Cromoterapia, PNL, Mestre em Reiki Usui, Hooponopono, Cristaloterapeuta, Giver Deeksha, Terapeuta de Integração Quântica do Ser® e Ativista Quântica. CRTH 4103
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Cuide da sua energia
artigo O Invisível, visível, 2
artigo Quando as Estrelas Descem Para Dançar no Coração do Homem
artigo O poder do desinteresse

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.








horoscopo



auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa