auravide auravide

CRIANÇAS, EU VI!

por Eduardo Paes Ferreira Netto

Publicado dia 11/5/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Era uma manhã de domingo e o dia se pronunciava excelente. Estava no pomar à cata de alguma fruta. Pequena ave voejava inquieta e chilreando aflita em torno do ninho. Parei para ver o porquê de tal aflição. Por entre a relva uma serpente dardejava seu olhar hipnótico sobre a pequena ave.

Compadecido pela criaturinha, apanhei uma vareta e espantei o ofídio que me brindou com um olhar de revolta; esgueirou-se pela relva e sumiu. A avezinha voltou ao ninho, certamente feliz por se livrar da faminta serpente. Comentei alegre aos companheiros do monastério a boa ação cometida.

Ao cair da tarde, como de costume, nos reunimos para a meditação. O mestre, após as orações iniciais e notícias dos eventos do dia, passou a me admoestar pelo feito do qual me orgulhara: ter salvo a pequena ave da crueldade da serpente. Falou o mestre: "A natureza é de uma beleza extraordinária, mas ao a olharmos mais fundamente veremos que por trás de toda essa beleza há um mundo verdadeiramente cruel; há em todos os níveis uma presa e um predador: a ave come o inseto e este come um menor; a serpente come a ave, a águia come a serpente. Um antílope é comido por uma onça e essa pode ser devorada por uma outra serpente. Graças a esse ciclo é que a natureza se mantém em equilíbrio. Ao salvar a ave, Joseph, você interrompeu esse ciclo e essa ação, que a seu ver foi um ato louvável, é antes, motivo de recriminação. Há certamente uma atenuante - seu coração de bondade - mas a serpente pode ter morrido de fome; seu amor é descriminativo. Na natureza nenhum ser mata ou provoca sofrimento em outro por simples prazer, isso é “privilégio” do ser humano."

Saí da reunião cabisbaixo, pensativo e rememorando as ações que nós humanos cometemos com toda sorte de seres, apenas pelo prazer. Não precisamos matar para comer. A natureza nos dá tudo de bom para nos alimentar e termos uma vida saudável: frutos maravilhosos, verduras, legumes, etc. Nosso prazer podemos encontrar na música, na leitura, nas artes em geral, na companhia de familiares e amigos; não precisamos fazer sofrer os animais para nossa diversão. A paz, a felicidade e o amor que desejamos para nós deveremos levar aos demais seres da natureza; como nós, eles também têm direito à vida e à felicidade.

Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 2

Autor: Eduardo Paes Ferreira Netto   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   


Veja também
artigo Não se trata do que eu devo nem do que eu quero...
artigo Infeliz
artigo O sagrado
artigo Tenha uma vida afetiva abundante

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa