auravide auravide

Culpa e Perdão

por Gilberto Cabeggi

Publicado dia 22/6/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Perdão implica culpa. Onde há culpa há necessidade de perdão. Caso contrário, não há o que perdoar...

Mas o que significa haver culpa?

Por acaso seria uma conseqüência inevitável do fato de termos cometido um erro? De termos tomado uma decisão errada e, por conseqüência, termos tomado um caminho errado? Não!

Todas as nossas decisões são tomadas, certas ou erradas, com base nas condições em que nos encontramos naquele determinado momento de decidir. Tudo depende do nosso preparo e das condições em que nos encontramos naquele momento. E se entendam como condições o nosso estado momentâneo material, mental e espiritual.

Cada situação que enfrentamos e que nos exige uma decisão nos encontra em determinado momento da vida sob determinadas condições de preparo. E decidimos sempre com base nessas condições. Portanto, se decidirmos corretamente, excelente... Porém, se errarmos, só podemos dizer que fizemos tudo dentro daquelas condições, talvez insuficientes para acertarmos. E então, onde caberá a culpa?

É óbvio que teremos de viver as conseqüências de nossas decisões, certas ou erradas, e assim nos prepararmos melhor para as próximas decisões. Mas, também saberemos, com o viver dessas conseqüências, que Deus nos deu ombros fortes o suficiente para suportar a carga dessas conseqüências... Mesmo que, e principalmente, se tivermos decidido errado!

Mas, então, onde cabe a culpa?

A culpa somente existe como responsabilidade por um ato errado e prejudicial - a si mesmo e a seu próximo - quando sua decisão é tomada sem amor no coração. Sim, porque onde não há amor, quem comanda é a soberba, o falso-orgulho e o egoísmo. E, agora sim, por atos baseados em decisões tomadas com esses sentimentos você terá responsabilidade total. E as conseqüências precisarão ser reparadas por você mesmo, e ninguém mais. Pois, então, é aí que se instala a culpa. E aí que aparece a necessidade do perdão.

Agora, se suas decisões são sempre tomadas com amor no coração, elas terão respeito ao próximo e a si mesmo. E mesmo que seus resultados se revelem como um desvio do seu caminho, jamais se caracterizará como um erro onde caiba o sentimento de culpa.

Lembre-se, portanto, de fazer o melhor que você possa, dentro das limitações que você vive em cada momento. Porém, decida sempre tendo o amor como seu conselheiro. E fique certo de que o Senhor estará ao seu lado para viver com você o seu crescimento pessoal e espiritual, e para dar-lhe forças para seguir adiante.

Não há culpa porque o que aparenta ser um erro, com o tempo se mostrará como a melhor opção. Desde que, é claro, o amor esteja sempre presente em seu coração a cada nova decisão que você tomar.

Gilberto Cabeggi
Escritor, autor do livro “Todo Dia É Dia de Ser Feliz”, pela Editora Gente.
Quer ganhar o livro "Todo dia é dia de ser feliz", de Gilberto Cabeggi, autografado pelo autor? Cadastre-se gratuitamente no site link e concorra nos sorteios semanais.

Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 17

foto-autor
Autor: Gilberto Cabeggi   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   


Veja também
artigo Não se trata do que eu devo nem do que eu quero...
artigo Infeliz
artigo O sagrado
artigo Tenha uma vida afetiva abundante

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa