auravide auravide

DEPRESSÃO x PERSISTÊNCIA

por Carmem Calmon Lacerda

Publicado dia 14/9/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Há, atualmente, um movimento mundial em busca de tratamentos paliativos, curativos, "ah, qualquer coisa serve", que atue na depressão, esse mal que parece estar corroendo a população mundial.

Mulheres são ainda o maior foco de ataque, mas homens começam a procurar tratamentos, adolescentes com desequilíbrios terríveis derivados dessa desarmonia, crianças que têm medo extremo devido à situação delicada das famílias de hoje, nas quais se encontra até pai que joga filha da janela.

Muitos estão pensando: “Mas isso sempre aconteceu... é que hoje temos TV, jornal e muitos meios de divulgar toda a maldade humana e tudo pelo que passamos ao longo da vida”.

ENGANO. O ser humano está em constante evolução, sim, e infelizmente, nos últimos tempos essa evolução me parece maléfica.

Porém, independentemente do fator provedor, o que trago é muito interessante do ponto de vista terapêutico, não apenas pela eficácia e simplicidade, mas pela forma como foi comprovado com estudos contundentes a respeito e, principalmente, por eu mesma poder dar meu testemunho a respeito.

O CASO: Tudo começou com o desencanto da pergunta íntima: “Meu Deus (a gente tem que parar com essa mania de perguntar a Deus o porquê das coisas ruins...), como vou fazer pra sair disso?” Meu ISSO, era algo que me corroía, estava presenciando o desabar de um ser: uma mulher feliz, realizada como mãe, como pessoa, como profissional, literalmente grata por fazer o que ama e amar o que faz, em todas as áreas da vida.

AS CONSEQUÊNCIAS: Via que já não tinha a mesma LUZ, o desânimo tomava conta de meus atos, me sentia compelida a não parar, não parar. Achava, no fundo, que se parasse não recomeçaria, então, limpava a casa o tempo todo, limpava meu espaço toda vez que ia lá, cursos um atrás do outro, traduções, trabalho... trabalho... Onde ouvi que o ócio é oficina do diabo? Então, vamos ao trabalho. E depois, tanta fadiga que o mínimo gritinho de alguma criança, por puro deleite, conseguia a façanha de me aborrecer. Eu que sempre amei crianças de todos os tipos e modelos!

Finalmente percebi que ao cobrar um cuidado que não havia ensinado provocava tudo menos o tal cuidado!

O RESULTADO: Desencanto: “Cadê minha mãe, esposa, amiga, etc? Quem é essa chata?”
Raiva: “Putzzz, ela sempre fez tudo e agora reclama de tudo, que saco...”

... não vale a pena narrar essa parte!

A DESCOBERTA: Decidida a me cuidar, fui às pesquisas. Tudo muito promissor, segui o tratamento aromaterápico de praxe que faço em minhas clientes. Porém, ao aprofundar os estudos comecei a distinguir vários tipos de depressão e não várias desarmonias emocionais como muitos olham.

Síndrome de pânico = depressão pós-traumática; agorafobia = depressão pós- traumática; depressão leve = lamento do corpo diante de situação transitória; depressão moderada = tendência à cristalização de uma depressão ou trauma que tende a não ser deixada para trás como evento que passou. Depressão severa = a tal doença desesperadora que leva a pessoa ao fundo do poço.

Mas nesses entremeios vi uma nova perspectiva: o olhar de um psiquiatra lançava luz em minhas pesquisas e me falava do transtorno bipolar. Os altos e baixos agora estavam mais claros para mim.

A AJUDA: Sim, eu fiz e faço esse tratamento. Sim, parece milagre. Sim, milagres existem. Mas... NÃO, não foi milagre, ou ao menos, não apenas milagre, pois a palavra coloca mérito no acaso, em Deus, e tira o mérito dos tratamentos e principalmente da necessidade de uma pessoa doente procurar auxílio. Na hora de fazer, ter em mente que nos mostram o caminho, mas a gente prossegue se quiser. Creio que Deus atua aqui, apoiando e segurando, mas não fazendo pela gente...

Às vezes se quer, mas não se consegue. Procure um profissional, não faça como fiz: além de sofrer os males da depressão, sofrer os males do descuido, principalmente porque geralmente somos nós, as super-mulheres de barro que ensinamos nossos mais que perfeitos homenzinhos e homenzões que somos imbatíveis e auto-suficientes.

E caso precisem e queiram, me procurem, aqui, por e-mail, telefone, visitem o site link Vivam e cuidem-se. Não sejamos derrotados por algo que consome a todos, mas que não é nenhuma fogueira invencível.

O SEGREDO: Não existe segredo nem mágica. Alimentação medicinal, meditação, ômega 3, aromaterapia, um bom (boa) amigo (a), um bom amor, um bom terapeuta, outros bons itens... isso tudo forma um tratamento que não é como um medicamento paliativo: você não vai sair pulando feliz por aí após 72 horas quando a cápsula começar a fazer efeito; você estará no caminho das pedras no início, no caminho das flores depois, pois você estará no caminho da reconstrução de um ser: você mesmo. E não existe nada mais belo do que se redescobrir saudável e feliz. Apesar de tudo, com tudo, feliz de poder batalhar por mais um dia de felicidade...

SIM! Juntos somos fortes, SOMOS TODOS UM.

Um beijo de conforto.

Krika

Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 27

foto-autor
Sobre o Autor: Carmem Calmon Lacerda   
Trabalho e estudo Aromaterapia, Florais de Bach e Califórnia, Terapia do Barro (GEOTERAPIA) e Shiatsu Emocional. Sou Reflexoterapeuta e Fitoterapeuta. Muito confiante e feliz com o meu trabalho, faço com estudo e amor.
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Treinando a não-mente
artigo Horário
artigo Ativação dos sentidos interiores
artigo Amigos extrafísicos

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa