auravide auravide

Desacelere sua Vida!

por Vanessa Mazza Furquim

Publicado dia 9/4/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Se você acelerar demais a vida pode acabar chegando na reta final muito rápido e, então, quando estiver lá, se perguntará porque quis tanto este momento, a ponto de não ter reparado em nada do que estava à sua volta, sem ter sentido o brilho do sol ou os aromas doces de um momento que poderia durar para sempre na sua memória.

Desacelere, pois, o tempo é imortal e não corre de forma linear como nossos relógios e calendários insistem em nos fazer acreditar... Você pode ser capaz de sentir o presente em sua totalidade, a ponto dele expandir frente aos seus olhos e só existir silêncio, conforto, plenitude e paz.

Afinal, o presente é um espaço onde você pode ser você mesmo, sem carregar máscaras, sem estar alerta, pronto para reagir a qualquer provocação ou acusação, e o presente também é um momento no qual você pode se sentir estimado pelo Universo, necessário e significativo.

Porém, esses sentimentos são possíveis apenas quando você relaxa e descarrega o peso dos seus ombros que geralmente é composto pelo fardo das outras pessoas, que você insiste em tomar como seu.

É interessante perceber como o mundo de hoje nos moldou para sermos competitivos, a querermos sempre mais, mesmo que na maioria das vezes não saibamos bem porque queremos isso ou aquilo. No final das contas vivemos condicionados a ter reações em cadeia, sem expressarmos nossas reais identidades. Muitas vezes penso que vivemos como máquinas 24 horas por dia ligadas no automático e que pensam, sentem e se comportam de acordo com algum manual pré-programado.

Pode parecer absurdo, mas peço que repare na sua vida. O quanto de você mesmo tem colocado no seu cotidiano? Por exemplo, quando desgraças coletivas acontecem, todos repetem as mesmas frases, as mesmas condolências, se comovem e agem da mesma forma. Porém, quando uma desgraça pessoal bate à porta, as mesmas pessoas podem agir de forma endurecida, irresponsável, cheia de revolta ou negação.

A mesma mulher que chora pela morte de uma menina estranha, pode ser aquela mesma que, à noite, no mesmo dia, espanca sua filha por não ter tempo ou paciência para lidar com suas brincadeiras. Ou o homem que passa o dia inteiro pregando religião, é aquele que abandonou seu pai num asilo e nunca o visita "porque seu pai não merece perdão".

Sim, somos cheios de contradições, mas no final do dia, não há real dilema entre o que é certo ou errado e, sim, aquilo que você é e aquilo que não é. Em outras palavras: existe você querendo representar um papel e o seu eu verdadeiro querendo emergir a qualquer custo.

Veja que, mais grave que nossas mazelas cotidianas, está nossa hipocrisia em repetirmos coisas que não acreditamos, em afirmarmos que somos isso ou aquilo, quando na verdade somos completamente diferentes, em nos sujeitarmos a situações humilhantes ou que nada têm a ver como nosso modo de ser, simplesmente "porque as coisas devem ser assim" e, pior, uma pessoa se mostrar bondosa quando é egoísta e uma pessoa acabar recebendo a alcunha de ruim, quando em seu coração existe pureza de sentimentos.

De certa forma, parte da culpa em termos nos sujeitado a esse tipo de vida insana, em que não há espaço para nossa beleza interior e nossa autenticidade, essa vida na qual saímos todos juntos, no mesmo horário, pegando as mesmas vias, sofrendo os mesmos problemas, sem no entanto, nos ajudarmos mutuamente, é com certeza nossa.

Isso porque quando temos oportunidade de parar, relaxar, de sermos autênticos, de procurarmos uma via diferente, mesmo que com isso possamos receber críticas - afinal, sempre existe inveja e raiva quando alguém percebe que outra pessoa teve mais coragem do que si própria - negamos a nós mesmos esse prazer e essa paz, por termos medo de não pertencermos ao grupo.

Bobagem!

Imagine que a idéia da vida acelerada que vivemos hoje, materialista, corrupta, desigual, cheia de padrões pré-estabelecidos que todos tentam seguir, foi um dia introduzida, criada e auto-afirmada um milhão de vezes até se tornar verdade absoluta, incontestável, como um dogma maior ainda do que aqueles da Igreja Católica.

Entretanto, se você a partir de hoje se tornar consciente, desacelerar, viver sua própria verdade e manifestar sua individualidade sem apegos, com certeza encontrará mais alegria em viver. E, tendo mais alegria, você fará seu trabalho melhor, será mais generoso, ajudará mais gente - sem parecer falso e artificial e sem ter sido coagido direta ou indiretamente por alguém ou pela sociedade. Além disso, as pessoas gostarão mais da sua companhia, você terá menos doenças e sua mente ficará mais clara, portanto, você decidirá melhor e mais rápido.

Não é esse o tipo de vida que você gostaria de estar levando agora?

Por fim, pense se a sua vida atual está lhe trazendo resultados positivos ou não e esqueça o moralismo! Nem sempre o que parece "certo" traz benefícios para você e para os outros. Há muita coisa a ser vista, sentida e aprendida. Só você pode trilhar seu caminho, no ritmo apropriado para o seu desenvolvimento.

Pare de correr! Você não precisa se tornar ninguém, nem chegar a lugar algum. Você precisa ser quem você é e estar exatamente aqui e agora. Aceite isso e veja como tudo mudará ao seu redor.

Acesse meu site: www.vanessamazzafurquim.com


Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 140

foto-autor
Autor: Vanessa Mazza Furquim   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   


Veja também
artigo Qual é a sua ambição?
artigo Porque estamos novamente falando da Era de Aquário?
artigo O Universo num Corpo Humano
artigo A noite escura, de são joão da cruz

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa