auravide auravide

Descubra algo que está à espera de ser despertado em você


Facebook   E-mail   Whatsapp

Esse sentimento de solidão que aperta o coração, sentir a garganta apertada, esse vazio, essa angústia é compartilhada por muitos, seja qual for a causa pessoal. A comunicação rápida e massiva da tecnologia torna isso ainda mais evidente: um sentimento de insatisfação, como se tudo se tornasse descartável e ficamos com um "e agora?", sem encontrar o que buscamos, sentindo-nos vítimas do desamor.

Muitas vezes nos sentimos assim mesmo estando rodeados de pessoas, condicionados pelas velhas tristezas e as proteções que usamos para não sofrer. Então, o que podemos fazer? A única maneira que eu conheço que realmente preencheu esse vazio e eliminou para sempre a sensação de solidão em mim foi me conhecendo profundamente e expandindo o amor-consciência dentro de mim.
É por isso que eu compartilho tudo isto, porque eu sei que funciona para aqueles que estão à procura de mais. É muito difícil para os seres humanos confiar e estar abertos a receber amor.
No fundo, não nos sentimos nem dignos nem merecedores, e embora não sejamos conscientes e pensamos que dizemos que queremos receber o amor, os padrões e bloqueios automaticamente são ativados. Eu sempre sugiro que todo mundo escolha uma maneira de se conhecer, de se amar, de se abraçar.

Eu compartilho a minha maneira, você pode encontrá-la num livro se quiser, mas cada um tem que escolher uma coisa que abra o caminho, uma perspectiva que faça sentido. Por sorte, vivemos num momento em que podemos encontrar as coisas muito mais facilmente que antes, então, a única coisa que resta é se atrever a tentar. Esse é o ponto: você se abrir para experimentar o que pode levá-lo a um maravilhoso território único e desconhecido, para o qual não há mais mapa do que o sentimento em si, e é o caminho para si mesmo, para o coração.
Se não estamos abertos a receber, não conseguimos ver aquilo que vem, o presente que querem nos dar e, finalmente, fechando uma porta. Outras vezes, ficamos presos no passado, nos punimos pelo que fizemos ou não fizemos. ou o que fizemos errado. Às vezes, acumulamos tanto ressentimento, que é como uma escudo de aço que não nos permite chegar mais perto, e então só fica isso: o velho sentimento de raiva, ressentimento por algo que já aconteceu. E assim fecham-se as portas à vida e novas experiências para compartilhar.
Geralmente, não percebemos que os únicos realmente machucados pelo ressentimento somos nós mesmos. E todo esse barulho é o que nos torna fracos, sem vontade, e nos afunda. A nossa mente é quem fica repetindo o passado, não nos deixa estar no presente, e não vê o futuro. O meu convite é para você soltar o passado e abraçar o presente: fresco, inocente, alegre, e com amor.

Foi isso que eu tive que descobrir para poder sair do sentimento de solidão e abandono que me afogava nos medos, até que finalmente cheguei no fundo e consegui sair. Tocar fundo é uma coisa boa, pois só há uma maneira de continuar: saindo dali, fazendo o contrário do que tínhamos feito até então, e especialmente amando aquele lugar que faz nos sentir vítimas pelo simples fato de viver.
Temos uma tendência automática que às vezes se transforma num vício: sofrer. Meu convite é para descobrir algo que está à espera de ser despertado em você por dentro, em seu coração, pelo simples fato de que você é humano. É o amor-consciência. Quando ampliamos o amor incondicional em nós e nos livramos dos medos e da bagagem que nos oprime e separa, a solidão vira um sentimento que não existe mais. Você começa a abrir-se para receber, porque está dizendo sim a si mesmo, à vida, estando presente em todos os momentos com o que é, em vez de ausente, oprimido pelo que estava encapsulado e pelo medo de que isso possa se repetir.

A consciência nunca está sozinha. Veja as crianças: elas brincam sozinhas imaginando coisas, sentem-se cheias em todos os momentos. Não pensam "seria mais feliz se eu tivesse mais amigos". Elas criam o seu próprio entretenimento. Tudo que você precisa está dentro de você.
A consciência nunca está sozinha, porque é o próprio amor, desfrutando de si mesma e vive completa nela. Você pode estar numa sala rodeado por uma centena de pessoas e se sentir sozinho, porque estar sozinho é insuportável: "Eu odeio estar sozinho, eu preciso de alguém ou alguma coisa para me distrair e me manter longe de mim mesmo". Mas se você está ancorado no amor-consciência, você pode estar sozinho sem se sentir só, você pode optar por estar com alguém, mas sem precisar de ninguém.

O que pensamos que precisamos é apenas uma ideia, porque procuramos para fora, porque nos afastamos da fonte, porque temos o hábito de ver o copo meio vazio em vez de meio cheio. O que aconteceria? – e essa é minha proposta nesse encontro – o que aconteceria se cada vez que você sente que tem algo faltando, e procura para fora sem encontrar nada, se sentindo pesado, triste, ou com um peso, o que aconteceria se você se enfocasse em apreciar as coisas mais pequeninas que o rodeiam, como a florzinha mais pequena que goza da perfeição das linhas, formas, aromas? E se apreciar uma criança brincando, o cachorro que cuida do seu osso, a mãe que toma sua bebezinha, o casal que se segura num abraço como se nada mais existisse no mundo, a nuvem que vai tampar o sol, o barulho do transito tão alto que poderia ser uma sinfonia desafinada, e assim, olhar para tudo com apreciação? Você perceberia que uma coisa no seu peito começaria a se abrir, em vez de apertar, até que uma hora talvez encontre um sorriso que sai de dentro para fora.
Apreciar é dizer sim a tudo, e talvez, apenas talvez, você perceba que tudo sai de SI e comece a atrair a atenção de outros, vibrando nessa mesma linha. Mas sem expectativas, não para obter algo, mas para viver o momento com um outro sentimento, outra cor. Apreciar o seu hoje.
Preste atenção na profundeza e verá que a solidão ficou atrás e você encontrou o seu melhor amigo. E desse jeito, sanando a separação de si, também deixará de se sentir separado do resto. Quando o amor flui de dentro de si pode dá-los a outros também, e encontrar aquilo que sempre esteve procurando em tantos lugares e pessoas, seu melhor amigo. Ele esteve sempre o esperando, sempre ali, no seu coração.
Agora deixo em suas mãos essa sementinha para seu coração fazê-la brotar.

Obrigada, até o próximo encontro.

*Tire umas férias do ser, participe com Isha dos retiros especiais de uma semana no Centro Internacional para a Paz no Uruguai clicando aqui

Texto revisado
Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 45


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

foto-autor
Conteúdo desenvolvido por: Isha Judd   
Isha é mestra espiritual reconhecida internacionalmente como embaixadora da paz. Criou um Sistema para a expansão da consciência que permite a auto-cura do corpo, da mente e das emoções. Site oficial www.ishajudd.com
E-mail: [email protected] | Mais artigos.

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Autoconhecimento clicando aqui.

Veja também © Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade










Receba o SomosTodosUM
em primeira mão!
 
 
Ao se cadastrar, você receberá sempre em primeira mão, o mais variado conteúdo de Autoconhecimento, Astrologia, Numerologia, Horóscopo, e muito mais...


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa