auravide auravide

Escolha não julgar


Facebook   E-mail   Whatsapp

Acredito que um dos exercícios mais difíceis que tenho me proposto a fazer nos últimos tempos é o "não julgamento". Num tempo em que todos querem julgar ou ter certeza sobre algo, e ninguém tem certeza de absolutamente nada, isso fica ainda mais forte.
 
Hoje, enquanto caminhava pelo calçadão da praia, vi pessoas sem máscara sentadas na areia. Isso ainda é proibido por aqui, mas as pessoas estavam lá, sentadas com seus filhos. E, sim, o meu primeiro impulso foi julgar.
 
Foi dizer aquelas velhas máximas "que absurdo, não pensa nos outros". Confesso que pensei nisso tão forte, a ponto de virar um Storie. E sim, ainda não acho justo, mas a grande verdade é que não sei a história daquelas pessoas. Não sei nada sobre cada uma delas, não sei como foram parar lá e nem o que faz com que acreditem que a praia - ou qualquer outra aglomeração - é realmente segura. Aproveitei o momento para refletir e para não julgar. Apenas acompanhar os acontecimentos.
 
Em poucos minutos apareceram os carros da polícia expulsando os banhistas. Um a um, eles iam se levantando e saindo da praia. E, novamente, o meu julgamento lançou um "bem feito", no miolo da minha mente. De novo eu retrocedi, pensando em não julgar. De novo eu não sei o que é bom ou ruim. De fato eu também não sei de nada.
 
Há quem diga que a praia é perigosa como qualquer outro lugar, outros que não. Há quem diga que não tem sentido fechar a praia e outros que dizem que a aglomeração pode transmitir o vírus. O que eu sei? Nunca me sentei na bancada de um laboratório para saber como as coisas funcionam, pelo menos não tão profundamente. Que opinião minha poderá ajudar ou atrapalhar o andamento das coisas?
 
E não são só nesses assuntos que não devemos julgar. Mesmo que o assunto fosse algo que eu domino, ainda assim não posso me prender a julgamentos. Julgamentos que eu manjo tudo e o outro nada, ou o contrário. Estamos todos na escola da vida, cometendo erros e acertos que só saberemos depois dos acontecidos. Depois que tudo passar, teremos o ranking de decisões acertadas e nem tanto. E sim, um monte de gente vai dizer "eu sabia e falei isso desde o início". Mas e aí? O que faremos com essa enxurrada de informações?
 
São só opiniões. Não existe, como sempre nos fizeram acreditar, o certo e o errado. Existe o funcional e o não funcional e com certeza julgar as situações, principalmente, sem as decidas informações, é bem complicado. Mas eita exercício difícil esse gente. Sigamos em frente!!
 
Texto Revisado

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 22


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Conteúdo desenvolvido por: Andrea Pavlo   
Psicoterapeuta, taróloga e numeróloga, comecei minhas explorações sobre espiritualidade e autoconhecimento aos 11 anos. Estudei psicologia, publicidade, artes, coaching e várias outras áreas que passam pelo desenvolvimento humano, usando várias técnicas para ajudar as mulheres a se amarem e alcançarem uma vida de deusa.
E-mail: [email protected] | Mais artigos.

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Autoconhecimento clicando aqui.

Veja também © Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade










Receba o SomosTodosUM
em primeira mão!
 
 
Ao se cadastrar, você receberá sempre em primeira mão, o mais variado conteúdo de Autoconhecimento, Astrologia, Numerologia, Horóscopo, e muito mais...


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa