auravide auravide

ESTÃO SEQÜESTRANDO A NOSSA AUTO-ESTIMA



- Pôxa, cara. Agora estou iniciando um projeto com que sonho desde os meus 20 anos. Estou animado, mas às vezes vem o medo, a angústia de que tenho que ganhar dinheiro, ter segurança...
- É, amigo, isso é normal. Mas você teve segurança nestes anos todos trabalhando naquilo que não queria?, perguntei ao meu amigo de longa data.
- É lógico que não! Perdi vários empregos! Estressei-me e com isso acabei engordando! Prejudiquei completamente minha saúde! E posso dizer que sobrevivi, mas nunca me realizei.
- Então, o medo de realizar um projeto novo que estamos muito a fim, e o medo de manter a estabilidade ilusória de um trabalho que não gostamos nem um pouco é o mesmo?
- Sim, respondeu, meio murcho. É tudo medo...
- Você sabe que, mesmo com medo, que é natural, podemos fazer tudo o que queremos, não é? E que somente aquilo que nos toca o coração é que dará prazer, satisfação e retorno financeiro... Então, por que insistimos em fazer o que não queremos, achando que é mais seguro, e você sabe que não é?
- Ah, isso eu aprendi com você! Repetimos os pensamentos e atitudes que ouvimos dos nossos pais, família, amigos, televisão, propaganda... E todo mundo repete que não existe segurança, que o mundo é um perigo, que tudo está perdido, que temos que ter uma casa e nos trancar dentro, que existe um monte de pessoas mais preparadas que eu querendo o meu emprego, que a camada de ozônio vai acabar, que a água vai acabar...
- É isso! Medo, medo, medo, medo. Apesar da mídia toda falar que o mundo está um perigo, eu e você estamos aqui batendo um ótimo papo, absolutamente seguros!

O medo é uma reação normal, biológica, que veio se desenvolvendo no homem há 6 milhões de anos, como forma de sobrevivência da espécie. Originalmente, todas as reações que o medo provoca – aumento do batimento cardíaco, injeção de adrenalina e opióides na corrente sangüínea, contração muscular, etc – eram destinadas a preparar o homem-macaco para se defender ou fugir. O medo que sentimos hoje é igualzinho, sem tirar nem pôr, ao medo que o nosso vovozinho macaco sentia quando via uma serpente venenosa.

Qual é a diferença? Ah, amigos, a diferença é bem simples: hoje não vemos mais serpentes, tigres, ursos no meio do caminho, prontos a nos atacarem. Então, a tendência é procurar perigo em outras coisas. E a mídia e a sociedade em geral são “craques” em induzir perigos na mente humana! E tudo isso para comercializar o medo. Ganhar dim-dim.

Nestes dias passaram na TV o caso de um seqüestro prolongado. Qual é a mensagem subliminar que todos os noticiários passaram? Você, amigo, que está sentado no sofá, será o próximo... A insistência dos aspectos negativos da vida faz o medo que, em escala controlada é um simples mecanismo de defesa, passar a interferir prejudicialmente em toda a nossa vida. Você não tem mais coragem de procurar a felicidade, o prazer... Achar um novo amor? Ah, isso é impossível – todo mundo é picareta! Largar o emprego? Nunca! Vou morrer de fome! Mudar de casa, de cidade? Como? Mamãe mora aqui perto, é tão seguro... Largar amigos e parentes que não acrescentam nada na nossa vida? Não! Não quero morrer solitário!

O homem nunca é solitário! O homem é o universo manifestado na Terra. Está unido a tudo e a todos. O seqüestrador, a seqüestrada, eu, você e o jornalista somos um só. Basta não olhar com os olhos carnais e abrir a visão espiritualista, que a unicidade de tudo brilha imediatamente! Ou pelo menos compreender que qüanticamente não existe separação, nem existe matéria! Somos ondas de energia e informação que se entrelaçam, mas nossos sentidos não percebem, nem foram feitos para perceber isso.

Convido ao amigo leitor não permitir que seqüestrem a sua auto-estima. Não acredite no que vem de fora. Acredite no que vem do âmago de você, da sua essência. Perceba seus pensamentos e emoções, e deixe-os ir... Eles não são você. São nuances ilusórias da manifestação do homem na Terra. Por isso, sinta seus sonhos e vá atrás! A vida na matéria é muito curta e por isso deve ser vivida com intensidade, desafio e prazer! Aceite o medo como uma sensação normal do corpo físico, mas não como uma realidade. A realidade não é isso. A realidade é a potencialidade infinita, a interligação de tudo e todos, a inexistência da morte, a essência da vida!

Aruanan
www.nokomando.com.br

Texto revisado por Cris
Publicado dia 27/4/2007

  estamos online

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 56



foto-autor
Autor: Alex Possato   
Terapeuta sistêmico e trainer de cursos de formação em constelação familiar sistêmica
E-mail: alexpossato@hotmail.com | Mais artigos.

Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade











auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa