auravide auravide

Estrela cadente

por JOAQUIM SATURNINO DA SILVA

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Quando ainda muito pequeno, ao ver uma estrela cadente pela primeira vez, o menino perguntou o que era. Seu pai contou-lhe que era uma estrela que mudava de lugar no céu e que, por parecer cair, recebia o nome de estrela cadente. Disse mais: que no momento em que isso ocorria, poderíamos formular um desejo e este seria atendido pela estrela.

O tempo foi passando e o menino sempre fazendo pedidos, toda vez que via uma estrela cadente. Coincidência ou não, seus desejos acabavam por se realizar.

Certa vez, a mãe do menino ficou gravemente enferma. Depois de vários dias vendo a mãe acamada, o menino foi se entristecendo. Uma noite, porém, ao ver uma estrela cadente, ele formulou, com todas as forças de seu pequeno coração, o desejo de que sua mãe sarasse.  E assim, depois de suas orações daquela noite, o menino adormeceu.

No dia seguinte, bem de manhã, foi acordado pela mãe que havia levantado porque, para a alegria do menino, não estava mais doente.

Assim o menino prosseguiu sua vida, sempre formulando pedidos às estrelas cadentes.

Já um tanto mais velho, certa vez na escola, a professora passou a explicar sobre os meteoritos, fragmentos de asteroides que se incendiavam ao entrar na atmosfera terrestre e pareciam estrelas que caiam, o que deu origem ao nome de estrela cadente. Em suma, estrelas cadentes não existiam, eram apenas fragmentos de meteoritos incandescentes.

O menino ficou muito triste com aquela descoberta e, a partir daquela data, a magia nunca mais funcionou. Os pedidos não foram mais atendidos pelas estrelas cadentes.

Como fazer algum pedido para o que não existe ou não se acredita mais?  Essa dúvida matou a mágica, morrendo para ele o poder realizador das estrelas cadentes.

Mas o menino seguiu sua vida. As dificuldades passaram a ser superadas, por ele, pela fé inabalável em um Deus magnífico, que se Lhe revelava através dos milagres das coisas simples da natureza.

 A Deus ele passou a dirigir seus pedidos, almejando pequenos milagres. O vazio da inexistência das estrelas cadentes foi superado. E os saltos quânticos voltaram a acontecer, a magia estava de volta.

Muitos anos depois, já adulto, na faculdade, um professor reconhecido como grande intelectual   propôs-se a explicar aos seus alunos (e a ele, entre eles), a impossibilidade da existência de Deus. E disse que, cientificamente, poderia provar...

Sem esperar pelas próximas palavras, o adulto menino se levantou e saiu da sala de aula, decidindo-se pela recusa total àquela aula.
Texto Revisado

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 4

Autor: JOAQUIM SATURNINO DA SILVA   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   
Publicado dia 18/11/2020 em Autoconhecimento

Veja também
artigo Posicionamentos
artigo As Cartas de Cristo
artigo Quando eu te vejo, em espírito e verdade...
artigo Destilar Emoções

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa