auravide auravide

Impressões Pessoais 1



Há algum tempo uma amiga foi à minha casa e notou, talvez um pouco surpresa, uma mesa baixa que uso como pequeno altar com um Buda e incenso a meio, em frente à qual me sento, tentando centrar-me num estado de meditação durante alguns minutos por dia. “Você já não é católica?”, perguntou-me ela.

Acredito que para a maior parte das pessoas haja um certo receio sobre as coisas estranhas em que eu andaria "metida"... afinal, é o desconhecimento que leva à rejeição e muitas vezes desrespeito de outras visões das coisas.

Fui educada de forma extremamente católica: tenho tudo o que devia ter e mais alguma coisa, desde o batismo à profissão de fé, Crisma etc. Estive 5 anos num colégio de freiras (em regime de estudo externo, num liceu misto), fui até catequista - o que mais do que falar sobre a Igreja Católica me ensinou a manter fechadas numa sala, desassossegadas crianças de 6 anos. E, apesar de achar que a Igreja Católica tem suas limitações, no Natal e em épocas festivas continuo ir às celebrações dominicais com a família.

Mas como questiono tudo (fiquei parada na idade dos porquês...) e gosto de conhecer sempre mais do que me dão a conhecer, foi no Budismo que encontrei muitas das filosofias com que me identifico mais e foi com os Livros da Cabala que me pus a pensar em muita coisa.

Todas as correntes de fé ou de religião são feitas por homens e, à semelhança deles, têm defeitos e incongruências. Dentro do próprio Budismo há ramos bastante extremistas que defendem a necessidade do sofrimento humano; isso de forma mal interpretada pode dar lugar a alguns dissabores para não dizer atrocidades.

Vejo-me como uma eterna aprendiz de gente e da vida. Avalio tudo de forma consciente e com sentido crítico optando pelas posições com que mais me identifico. Claro que isto é uma maçada porque dá muito trabalho, mas nasci com esse “bichinho carpinteiro” que me faz querer olhar a floresta de longe e não olhar apenas para uma árvore sem perceber a verdadeira dimensão de um determinado lugar.

A certa altura já se trata de algo mais do que usar a mente. Quando falamos de fé falamos de um “encaixe” no nosso sentir mais profundo, num despertar para as coisas menos mundanas e mais transcendentais. A fé que tenho não é a fé em doutrinas, religiões ou seitas, é a fé na nossa notável capacidade para o pior mas também avassaladoramente para o melhor. E muitas vezes esta fé esmorece e precisa ser alimentada e estimulada.

Se perguntarem: “Em que é que você acredita, afinal?” Respondo que acredito numa força ou energia superior mas que também nós somos seres divinos, só que colocamos no exterior todas as culpas para o que de bom e mau nos acontece.

Acredito que as lutas pelo “meu Deus que é único e mais verdadeiro que o seu”, o que faz correr rios de sangue, não são mais que uma incapacidade de aceitar que não temos uma única verdade, como crianças na escola que defendem o seu pai como o melhor e mais forte de todos os pais (e se virmos bem, para as crianças os adultos também são como deuses). É esta aprendizagem que nos obriga a ser mais tolerantes.

No final, acredito num plano maior que nos envolve. Como uma nuvem que faz de nós gotas da chuva caindo sobre a terra fértil e que mais tarde sob o processo de evaporação à nuvem retornam numa verdadeira unicidade de tudo.

Mas isto é a minha convicção pessoal e friso a quem me lê que não pretendo com os meus textos qualquer tipo de moralismo, mas uma forma de partilha do que povoa isso que é tão nosso e que se chama: a minha forma de olhar as coisas.

Espero que tenham gostado...

Texto revisado por Cris
Publicado dia 12/11/2007

  estamos online

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 3




Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade











auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa