auravide auravide

Massagem Ayurveda (ayurvédica) - parte II

por Erick Schulz

Publicado dia 11/6/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


A massagem ayurveda (ayurvédica) pode ser aplicada em qualquer pessoa, portanto que seja definido anteriormente o biotipo (dosha) da pessoa que irá receber o procedimento. Para o caminhar tranqüilo do atendimento, o profissional deve estar informado a respeito do estado de saúde real do seu cliente, para que assim possa realizar um trabalho harmonioso e alcançar os resultados adequados.

De acordo com os ensinamentos ayurvédicos a massagem é recomendada como prática diária, assim como comer e dormir. Ela equilibra o corpo e a mente, atuando nos níveis físico e psíquico. O hábito regular da massagem vitaliza o sistema circulatório, aumentando a circulação dos fluídos vitais e as trocas em nível celular, ajudando a remover toxinas, melhorando a pele, músculos e nervos, oxigenando as células, auxiliando corpo e mente a obter e manter equilíbrio e saúde. Promove uma respiração mais profunda, atua no sistema linfático, sanguíneo e nervoso, estimula o intestino, sendo excelente para prisão de ventre; é anti radicais livres, melhora o apetite e ajuda o sono profundo.

O sistema linfático aumenta a circulação em até seis vezes após a massagem. Importantes enzimas que compõem a linfa, como a histaminase e neurotransmissores, como a serotonina, fundamentais para o relaxamento muscular e nervoso, são liberadas em profusão durante a massagem.

A obstrução do fluxo de prana (energia vital) no organismo são as causadoras da maioria das dores pela visão do ayurveda. A fricção que é causada durante a massagem gera calor no organismo e automaticamente a desobstrução desses canais; existe assim a liberação do fluxo, aliviando dores, tensões e um melhor fluxo energético no organismo.

A medicina ayurveda deixa bem claro que a massagem ainda nutre o organismo, ajuda em problemas mentais e emocionais, rejuvenesce, revigora e revitaliza, ajudando na virilidade masculina e evitando a frigidez feminina.

Existem poucas contra-indicações para a massagem, mas todas sempre precisam ser muito bem observadas. O excesso de ama (toxina) no organismo é algo com que sempre se precisa tomar cuidado, por exemplo: febres, resfriado, constipação. Outros fatores devem ser observados como a diabete, pressão sanguínea, problemas de pele, osteoporose, entre outros. É recomendável a orientação médica experiente antes de receber massagem.

Materiais usados na Massagem

Na massagem ayurveda é recomendada a utilização de óleos vegetais prensados a frio ou ervas para alcançar melhores benefícios. Os óleos são nutrientes para a pele, pois contêm proteínas e carboidratos que são absorvidos pela epiderme, retardam o envelhecimento proporcionando a prevenção à secura no organismo, devolvem vida à pele e evitam radicais livres.

Quando o óleo - ou a erva - é aplicado na pele a absorção se dá através dos espaços intercelulares e alcança os tecidos mais profundos, incluindo ossos, sangue, músculo e outros. A massagem é um condutor direto e ajuda na absorção dos óleos e ervas através da pele e no tratamento de todos os sete Dhatus (tecidos do corpo).

1. Rasa Dhatu (Plasma e Linfa) contém os nutrientes que advêm da comida digerida e nutrem todos os tecidos, órgãos e sistemas.
2. Rakta Dhatu (Sangue) governa a oxigenação em todos os tecidos e órgãos vitais e mantém a vida (em específico, os glóbulos vermelhos).
3. Mamsa Dhatu (Músculo) cobre os órgãos vitais frágeis, desempenha os movimentos das articulações e mantém o vigor físico do corpo.
4. Meda Dhatu (Gordura e tecido conjuntivo) mantém a lubrificação e oleosidade de todos os tecidos.
5. Asthi Dhatu (Ossos) dá suporte à estrutura do corpo.
6. Majja Dhatu (Medula óssea e Nervos) preenchem os vãos ósseos e transportam os impulsos motores e sensoriais.
7. Shukra e Artava Dhatu (Tecidos Reprodutores): o conteúdo e produto desses tecidos é Ojas (essência Vital e Imunidade). Ojas é produzido durante a nutrição de todos os tecidos e é um subproduto de Shukra/Artava Dhatus.

Os óleos e ervas deverão ser escolhidos de acordo com o tipo de desequilíbrio predominante no paciente, de acordo com as estações do ano e em função das necessidades particulares de cada indivíduo. Em todas as literaturas clássicas do ayurveda sempre é enfatizada a utilização correta dos óleos e ervas na massagem.

As ervas que são utilizadas são as mais variadas possíveis, tudo de acordo com o biotipo e função de cada uma, mas temos as mais conhecidas como o vacha, conhecido no Brasil como vacandi (acorus calamus) ou ginseng brasileiro (pfafia paniculata). A massagem com os pós de ervas medicinais serve como dissipador das energias magnéticas e eletromagnéticas condensadas. As ervas citadas têm uma função muito importante, pois penetram na pele, auxiliando na ativação da circulação sanguínea, tendo propriedades curativas, aumentando a temperatura do corpo e eliminando gordura e diminuindo medidas do corpo. Massagem com pó de ervas é mais indicado para kaphas.

Na realização da massagem poderão ser utilizados diversos tipos de óleos vegetais, como o óleo de mostarda, de rícino (mamona), gergelim, coco, amêndoas, germe de trigo, neem, ghee.

Óleo de Mostarda (brassica alba) – É um óleo muito popular em toda a Índia, pois é utilizado tanto na culinária como na medicina ayurveda. Alivia dores musculares e diminui kapha no organismo. Aumenta o calor corporal e, nos casos de dores articulares e reumatismo, a associação do óleo de mostarda com a cânfora traz bons resultados. É estimulante, alivia congestão e a lentidão corporal.

Óleo de Gergelim (sesamum indicum) – É um dos óleos mais populares do Oriente. Muitas vezes é utilizado como formulação de óleos medicinais. Ele é indicado para os Vata, aumentando o Pitta e para os Kaphas poderá ser utilizado em uso moderado. Muito utilizado para alterações do sistema nervoso, inchaços, pele seca (aumento de vata), nutrição dos cabelos e reumatismo. É tônico nutritivo, emoliente, rejuvenescedor. Utilizar o óleo de gergelim nos pés acoplado a uma massagem antes de dormir, relaxa e induz ao sono profundo.

Óleo de Coco (cocus nucifera) – utilizado no mundo todo como base para cosméticos e sabonetes. Ótimo para pitta. Na Índia é muito usado para queimaduras, eczemas e micoses por sua propriedade antissética. Nutre os pulmões e a pele, reduz as inflamações e ajuda muito a psoríase e eczemas.

Óleo de Amêndoas (prunus amygdalus) – É muito utilizado na Índia para crianças e idosos, tem propriedades mornantes e sabor doce. Deve-se colocá-lo no sol por 40 dias para aumentar suas propriedades terapêuticas; muitas vezes é misturado com leite e usado como tônico pelos lutadores indianos. É ótimo para os músculos e pele, aumenta a vitalidade, bom para os rins, alivia as dores de tensões musculares. É expectorante e emoliente.

Continua...

Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 3

foto-autor
Sobre o Autor: Erick Schulz   
Erick Schulz - Vice Presidente da Associação Brasileira de Ayurveda, Diretor do Instituto de Cultura Hindu Naradeva Shala e Emissário Instrutor da Milenar Escola Iniciática Hindu Suddha Dharma Mandalam.
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Não se trata do que eu devo nem do que eu quero...
artigo Infeliz
artigo O sagrado
artigo Tenha uma vida afetiva abundante

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa