auravide auravide

Na linha do horizonte, uma ilha...



Prisioneira do amor,
na sua desdita,
olhar posto no mar
ao barco indiferente,
por socorro, sua dor
desesperada grita.
E a ilha? Tão bela!
A ilha tão próxima
mas tão distante,
à sua frente,
que segredos esconde,
que belezas encerra?
Será que ela guarda solidão
ou alegria?
Que instigante mistério
fala ao seu coração,
prende o olhar fascinado
que incansável a fita?
Contrariando sua sina,
para a ilha encantada
estende sua mão;
sonha liberdade
na esperança contida
que ela seja real,
não miragem, ilusão.
Antes que a noite
a cubra de breu,
lança um beijo de lua;
e, ao marulho das ondas
na pedra tão fria,
algas enroscando-se
na sua solidão,
com perfume acre e úmido
de maresia,
para o mar e para a ilha,
caminho e enigma,
sua alma escreve
uma doce canção.

Claudette Grazziotin
Ilustração: Pôr do Sol, Itaguaçú, Felipe Abreu
Florianópolis, SC - BRASIL
16/11/2006 - 18:25

Texto revisado por Cris
Publicado dia 6/7/2007

  estamos online

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 5




Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade











auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa