auravide auravide

NOSSA ESCOLHA



A mistificação nos leva à ignorância.
A mitificação nos leva à ausência.


É importante se ter claro que o Buscador não é aquele que sabe aonde quer chegar, mas sim aquele que sabe o que deve fazer.
É importante refletirmos sobre nossas escolhas e nossas atitudes.
É importante acima de tudo levar-se em conta nossos próprios anseios motivados pelo desejo verdadeiro.

Ao fazermos uma Escolha determinamos um leque de possibilidades e este leque de possibilidades estende-se para eventos posteriores à Escolha.
Como que se ao fazermos a Escolha nós pinçássemos em nossa história eventos que a sustentem e desta forma pinçamos também no futuro eventos que a satisfaçam. O que equivale a dizer que é possível escolher também no passado tudo aquilo que sustenta nosso caminhar em direção ao futuro.
As Escolhas que fazemos agora provocam a análise do que vivemos e nos projetam às possibilidades do que nós viveremos.

Podemos então perguntar:
- Como fazer para nos mantermos conectados à Escolha e não nos perdermos?

Em verdade a nossa Escolha diz respeito também ao nosso passado.
A Escolha diz respeito a toda nossa existência. A Escolha atualiza a existência, de modo que, ao determinarmos a Escolha, abrimos a possibilidade de acessar eventos do passado que sustentam nosso movimento, que sustentam nossas crenças e nos dão a possibilidade de compreender e acolher o que ocorre em nossa vida.
Do mesmo modo, as possibilidades futuras são pinçadas de acordo com nossa capacidade de suportar, compreender e acolher.

A Escolha é sempre no presente e, portanto, está sempre atualizada. O acesso ao passado se dá apenas para sustentar a Escolha que uma vez assim sustentada, influencia então os eventos, as relações, as atitudes e ações que a sustentarão no futuro.

Quando assumimos de fato nossa Escolha, e entregamo-nos a esse processo de sustentação, os desdobramentos dessa atitude aparecem em nossa vida e ampliamos a nossa percepção das possibilidades e oportunidades que surgem.

Sabemos que existe uma crença no 3º nível (aqui na Terra) de que somos determinados pelo passado, e nos tornamos permeáveis ao passado. Mas é importante também saber que temos uma existência toda e completa.
No momento em que optamos por viver a experiência do 3º nível, passamos por um processo que nos traz a este momento de nossa existência.
Devemos também saber que as experiências transformadoras se dão no 3º nível. A possibilidade de acessar, contatar, impregnar-se da energia disponível através das experiências se dá neste nível, daí a opção por nossa vida. A partir dessa opção inicia-se o que no 3º nível é designado de existência. Temos a partir de então a possibilidade de uma existência individualizada.
A determinação do que é passado ou futuro se dá por conceitos vigentes no 3º nível, pois se ampliarmos nossa visão de uma existência, poderemos perceber o Todo que nos é disponibilizado para experenciarmos.
O que determina o passado ou futuro, além da linearidade temporal imposta ao 3º nível é o acesso às possibilidades nessa linearidade. Vivemos constantemente escolhendo. No momento verdadeiro da Escolha saímos do passado e não estamos ainda no futuro, estamos escolhendo hoje aqui e agora. Feita a Escolha nos remetemos então às possibilidades do passado, como se pudéssemos pinçar eventos que suportem e justifiquem essa Escolha e que dêem a ela a densidade e a consistência suficientes para mantê-la.

Isso equivale a dizer que se escolhemos um relacionamento, um trabalho ou uma atividade, remetemos-nos neste momento ao passado, para identificar os eventos que sustentem a escolha feita e que possam justificá-la. Tal acesso é feito ao nosso arbítrio. Do mesmo modo, ao fazermos uma Escolha de vida, apoiamo-nos em nosso passado e criamos a possibilidade de disponibilizar e acessar eventos no futuro que se prestem igualmente a sustentá-la e justificá-la.

Como se vê, se estivermos seguros e entregues à Escolha, não há como gerar conflitos entre as escolhas cotidianas que fazemos em nossa vida. O único risco que corremos é o de não nos alinharmos com nosso Propósito e nos deixarmos levar por uma corrente de eventos ou relacionamentos os quais nos enfraquecem e dificultam nossa possibilidade de escolher. No conceito do 3º nível, o acerto das escolhas se dá quanto mais alinhados estivermos com nosso Propósito, pois as escolhas estarão sempre vinculadas a ele; a eleição de opções igualmente sempre estará projetada em direção ao Propósito e a busca de eventos que satisfaçam a Escolha, igualmente será condizente.

Nem sempre, entretanto, temos clareza em relação àquilo que nos é útil em nosso passado; equivocamos-nos às vezes acreditando que só os fatos marcantes são determinantes, quando muitas vezes fatos insignificantes possuem uma força energética tal, capaz de nos impulsionar em direção ao nosso Propósito e apoiar nossa Escolha.
Para sentirmos-nos mais seguros em relação aos fatos que realmente podem influenciar nossa Escolha, devemos estar atentos à sua repercussão em nós, em todo o nosso dinamismo energético e em nosso coração, por intermédio dos sentimentos presentes.
Nosso corpo também nos serve como um sinalizador constante de percepções, muitas vezes decodificadas, mas não compreendidas, ou não assimiladas. Mas se estivermos atentos à sua linguagem através de nossas sensações, perceberemos a repercussão de uma influência energética sobre nós.

As influências mais acentuadas são somatizadas e tornam-se sintomas, mas existem também influências sutis que se estivermos atentos aos nossos movimentos, às nossas sensações corpóreas, conseguiremos perceber essa influência.
Algumas vezes uma simples erupção na pele ou uma reação na pele já é um sinal de uma influência energética. Às vezes uma dor profunda é um sinal claro, outras vezes uma fragilidade localizada é também um sinal. Basta que estejamos atentos para perceber e diferenciar, com isso também saberemos optar por eventos, circunstâncias ou relações que apóiem nossa Escolha ou dela nos afastem.

Acima de tudo, o que nos move sempre em direção às escolhas adequadas e alinhadas com nosso Propósito são o Amor e a Ética e em relação a tais sentimentos e conceitos, não temos como nos equivocar.
Por fim, devemos ter clara a necessidade do questionamento constante para que sejam evocadas as informações latentes e que surjam os potenciais adequados para o encaminhamento, concretização e enraizamento de nossa Escolha.

Texto revisado por: Cris
Publicado dia 6/3/2007

  estamos online

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 26




Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade











auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa