Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

O Brilho da alma

por Paulo Tavarez
O Brilho da alma

Publicado dia 3/5/2020 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


O diamante já é um diamante, mesmo quando está escondido no manto terrestre ou mesmo sob o lodo de um pântano, nada vai mudar a sua natureza. O homem pode fazer o seu brilho refulgir através de um processo de lapidação, mas isso não significa que o diamante era menos diamante antes da ação do homem. 

Tudo isso serve de analogia, pois o homem também é um diamante, embora creia-se, muitas vezes, ser algo sem muito valor, justamente por estar envolvido com sentimentos e emoções de baixa qualidade, mas na verdade, toda a sua essência permanece a mesma, intacta. 

O seu Espírito sempre esteve pronto, a fraqueza, o tempo todo, pertenceu à carne. Toda a beleza, todo o brilho, toda a plenitude sonhada pelo homem, embora ele não saiba, já fazem parte da sua Verdadeira Natureza, são alguns de seus atributos. 

Acontece que tudo aquilo que se move ou que vibra, também está inserido em um processo de lapidação, desde o mineral até o hominal, pois cada pedra, cada planta, cada bicho, enfim, cada filho do carbono ou do amoníaco estão submetidos às mesmas Leis.

A Natureza é a grande artesã e ela não tem pressa, não dá saltos, pois mudanças são lentas e gradativas e são processadas sob a égide da eternidade.

Existem duas formas de lidar com isso: ou nos revoltamos com a realidade e nos refugiamos em um mundo ilusório criado pela mente (Matrix), ou aceitamos a nossa condição e nos entregamos à essa lapidação da Natureza. 

Acredito que quanto mais rápido possível deixarmos de lutar contra a realidade, mais aceleramos esse processo de lapidação.

Deixar de lutar, portanto, implica em aceitar a vida como ela é, as pessoas como elas são, as experiências como surgirem, assim por diante. Tudo deve ser tratado como uma Graça recebida, tudo deve ser aceito como aprendizado, tudo deve ser reverenciado como a Vontade do Pai, mas, para isso, serão necessárias algumas ações da nossa parte. Teremos que ter humildade, confiança, alegria, coragem, perseverança, serenidade e renúncia. Virtudes, essas, que são indispensáveis para fazer a nossa alma brilhar. 

Por não aceitar o Eu, que é uma instância real, o homem cria o ego, que é um personagem ilusório construído a partir dos seus próprios desejos. 

Quando ele se vê diante do martelo da lapidação, ele foge, com isso, mergulha na escuridão do abismo, volta para o útero da terra e tenta construir a sua realização em meio às trevas. Não percebe que está apenas atrasando o processo e construindo mais sofrimento para si. 

Parece um contrassenso: o homem não gosta da realidade e vive em busca da realização, sem perceber que realizar é tornar real.

O homem precisa voltar para a casa do Pai, voltar para a realidade, renunciar os desejos e acordar. Quanto sofrimento será necessário para isso? 
Texto Revisado

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 37

Sobre o Autor: Paulo Tavarez   
Conheça meu artigos: Terapeuta Holístico, Palestrante, Psicapômetra, Instrutor de Yoga, Pesquisador, escritor, nada disso me define. Eu sou o que Eu sou! Conheça mais sobre mim em: www.paulotavarez.com - Instagram: @paulo.tavarez
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Quando a economia vai melhorar? Júpiter em marcha direta irá ajudar?
artigo Porque vínculos traumáticos abusivos são difíceis de romper?
artigo Kyudo 2
artigo Babaji - O padrinho espiritual secreto

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.








horoscopo



auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa