auravide auravide

O Discernimento da Formiguinha

por Eda Cecíllia Marini

Publicado dia 15/2/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


É incrível como tudo flui de acordo com o momento e as necessidades certas, como a mensagem vem de onde e na hora que menos esperamos. Só nos resta estarmos atentos para não desperdiçarmos a oportunidade.

Quero registrar aqui a fluência de graças que caem sobre mim e sobre todos que se ligam a esta faixa, ao ler e meditar sobre esta frase de Babaji:

“Sê como a sábia formiga que pega somente o açúcar deixando intacta a areia".

Ela me atinje como a força e luz de um raio e com a ternura da chuva branda que conforta as plantas e clareia o céu! Quanta coisa há para se sentir e pensar, quantas mensagens, quantas advertências, nesta simples mas sábia comparação!
Este Mestre foi buscar um inseto pequenino, rastejante, quase invisível, mas muito poderoso, forte e determinado. Foi buscar grãos microscópicos – açúcar e areia, para exemplificar um ato de grandeza, humildade, discernimento e simplicidade.
Talvez você diga: está na cara! Mas, eu retruco: não, não está na cara! Na teoria, sabemos tudo, mas na prática, nem sempre é assim e agimos de acordo com nossas carências, medos, vaidades e vícios emocionais, com nossas ilusões e pseudo-metas.

Podemos dizer que a formiga é um inseto que faz do trabalho a sua vida, mas isso não a impede de discernir o que é bom ou não para ela e sua comunidade. Seu instinto a impele a procurar comida e tantas coisas mais para todos que vivem no formigueiro, de forma até exaustiva. Mas, com sabedoria, ela escolhe o que realmente é bom para si e os seus, sem se deslumbrar pela oferta que tem à frente, ou pelo que outros insetos fazem.
Pacientemente e com objetividade, mede, analisa, sente e decide.
Ao optar conscientemente (se é que formiga em consciência ...), ela pega só o que lhe serve e só o que agüenta carregar, mesmo que com até certo esforço, mas nunca nada além do necessário ou do que lhe é próprio.
Generosa, ela deixa o resto intacto para ser usado por quem de direito, sem ser maculado.
É um ato de sabedoria (“isto me serve, isto não me serve”), humildade (“preciso somente disto”), desapego (“realmente, não preciso deste outro”) e profundo respeito (“este outro será aproveitado por outros”).

Então, me pergunto:
- Sei discernir entre o que quero e o que realmente preciso? Entre o que realmente posso e o que desejo? Entre quem sou e o que quero parecer ser? Entre a realidade e a ilusão?
- Sei discernir os momentos e as situações que passo, a cada dia, percebendo o que é mesmo válido vivenciar, independente de meus condicionamentos, da vaidade e do medo? Independente da pretensão de ser ou ter mais que posso, das exigências dos “tem que”?
- Consigo avaliar para escolher?

A formiguinha não pára nunca – quer fazer sempre o seu melhor, e sabe que o está fazendo – mas nem por isso se confunde ou se desespera no afã de tudo açambarcar.
É generosa, não limitada.
É flexível, não orgulhosa.
É modesta e dedicada, fazendo o seu melhor, dentro de suas possibilidades.
Sem pretensões absurdas ou falsas.
E assim, ela tem sempre o seu quinhão, pois nada e ninguém são esquecidos pela Divina Fonte que a tudo provê. Uma lição de fé genuína.

Mais comentários são desnecessários.
Agora, mister se faz agir. E, diga-se de passagem, aproveitando o exemplo da formiguinha.
Que esta meditação possa lhe trazer a luz e o conforto que trouxe a mim.

Paz e Luz.

Texto revisado por: Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 9

foto-autor
Sobre o Autor: Eda Cecíllia Marini   
Tels. 11 4427-5783 e 11 98224-0280
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Não se trata do que eu devo nem do que eu quero...
artigo Infeliz
artigo O sagrado
artigo Tenha uma vida afetiva abundante

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa