auravide auravide

O PODER DO FEMININO

por Margareth Maria Demarchi

Publicado dia 28/6/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


O feminino é sensibilidade e a inspiração do amor. Nele a alma irradia alegria, paixão, aconchego, tristeza, raiva e tudo o mais que faz autêntico o sentir. O feminino faz parte da natureza interna da mulher, mas nem sempre é externado, compreendido ou aceito. Existem mulheres que têm medo de expor o sentimento que carregam na alma porque a sociedade as condicionou a pensar e a agir com o masculino e deixar sua feminilidade guardada, pouco fazendo para experimentá-la e valorizá-la.

O poder feminino é divino e mágico. Quando a mulher entender que no íntimo do seu ser existe uma força que necessita ser reconhecida e aceita, irá experimentar a essência do amor verdadeiro por si e por tudo à sua volta.

Você pode passar a entender esse amor através do seu ponto de expressão maior: a maternidade. Ser mãe é uma experiência mágica para a mulher e também a sua maior experiência de contato com o divino. A maternidade no sentido mais amplo é tudo o que inspira o cuidar, no sentido de doação, evolução e/ou para a vida, seja de crianças, de idosos, de jovens, de adultos, de animais, de plantas. Esse ato de doação faz parte do poder feminino e pode referir-se tanto às mulheres como aos homens.

A mulher feminina exerce e reconhece o amor em suas atitudes. Ela vive desse amor.

As mulheres que abandonam a feminilidade para desempenharem os papéis que a sociedade lhes dá, controlam e desconhecem a origem de suas emoções e vivem por valores que estão distantes de suas almas, como o “status”, sucesso, a influência, a beleza pela beleza. A sociedade reduziu o feminino à “beleza estética e comercial” que nada tem a ver com o verdadeiro feminino. É importante que a mulher viva cada um desses valores sem se masculinizar, portanto, sublimando a feminilidade. Para as mulheres o feminino é parte integrada que não precisa resignar-se.

O feminino busca conquistar a parte masculina, assim como o masculino busca conquistar a parte feminina. No entanto, essa conquista só tem seu real valor quando não é invasão, quando não chega pelo poder da influência, e os fazem ser entendidos e respeitados para conquistar a liberdade e paz interior.

São predicados da mulher: ser intuitiva, desempenhar muitas tarefas ao mesmo tempo, ser sensível, ser comunicativa, ser responsável, ser preservadora, ser criativa, ser atenta a diferentes necessidades de diferentes pessoas; isso somente para mencionar alguns dentre os necessários para o exercício da maternidade, não necessariamente aquela advinda da concepção. Predicados que hoje se confundem facilmente com exigências do direcionamento masculino para alcançar prestígio e poder.

Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 4

foto-autor
Autor: Margareth Maria Demarchi   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   


Veja também
artigo Treinando a não-mente
artigo Horário
artigo Ativação dos sentidos interiores
artigo Amigos extrafísicos

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa