Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

O que eu fui pode influenciar quem eu quero ser?

por Izabel Cristina Heberle

Publicado dia 31/8/2020 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Pergunta estranha, não é mesmo?

Vamos explorar um pouco mais algumas crenças, como:
  • Eu nasci assim, não tem como mudar agora;
  • Na minha família sempre fizemos assim e deu certo. Não, isso definitivamente não é para mim;
  • Tenho dificuldades em relacionamentos e minhas finanças nunca foram melhor do que isto, por que mudaria agora? Não, acho que eu não nasci para usufruir de dinheiro e felicidade, isto não é para mim.
Você já se perguntou de onde vêm estas crenças?

Você já tentou ao menos passar para um próximo nível, buscando mais conhecimento sobre o que elas representam e como afetam a sua vida?

Bem, vamos um pouco mais fundo nas crenças. Você já ouviu falar em regressão? Pois bem, muitas crenças têm origem em vidas passadas, e quando começamos esta jornada de autoconhecimento, não é bom descartar esta investigação para saber se você está reforçando as atitudes positivas e as vitórias que você conquistou em outro tempo, quais os equívocos que você cometeu e se você continua seguindo os mesmos moldes.

Lembrando que nós não somos somente o que apresentamos neste momento. Hoje nós somos a soma de todas as nossas experiências anteriores e estamos evoluindo cada vez mais, esta é mais uma das oportunidades de crescimento e evolução que estamos vivenciando neste tempo. Por isso, é urgente despertar e ressignificar todas as crenças, compreender que tem muitas coisas que ainda não sabemos porque não nos demos a oportunidade de expandir nossa consciência e entrar em outro nível de constatação.

O mundo não é tão previsível quanto achamos que é, tem muito mais coisas inseridas nesse contexto que não ousamos parar para investigar.

Despertar é isso, entender a urgência de mudanças, buscar dentro de si todas as respostas, reforçar os pontos positivos e ir em busca da solução para os diversos pontos de melhoria que ainda buscamos.

Antes de você querer salvar os outros, lembre-se que tem que salvar a si mesmo. Se você não se conhece, como quer conhecer o outro? Se não consegue mudar nem as pequenas coisas que precisa em você, como pensa que poder guiar o outro? É simples, não é? Porém, não é o que vemos por aí. Todo mundo tem receita para tudo, mas se for investigar você perceberá que a maioria das pessoas que vêm com receitas para resolver os seus problemas, essas mesmas pessoas não se autoaplicam, então podemos dizer que o velho ditado está certo: faça o que eu digo e não faça o que eu faço.

Toda jornada precisa de um passo inicial para começar, da mesma forma que todo processo precisa de uma decisão inicial para acontecer, e esta decisão tem que ser pessoal, só dará certo se quem precisa foi quem tomou a decisão. Porque essa decisão vem de dentro, não é receita externa. Cada um sabe no fundo o que precisa, porém, na maioria das vezes, o que nos falta é coragem para iniciar um processo de mudança.

O processo evolutivo vem com algumas questões que não estão muito claras na maioria das vezes. Crescemos acreditando que existe um Deus que premia se você é bonzinho e que castiga se não for.

Quem estabeleceu estas regras? O que é bom e o que é ruim e para quem? Partindo deste princípio, podemos evoluir para um pensamento mais aberto, como, por exemplo: como seria acreditar que todas as suas preces já foram ouvidas na primeira vez? Então, você me pergunta: se foram ouvidas, por que ainda estou nesta situação?
Não confunda, eu disse que foram ouvidas, não que foram julgadas adequadas.

A espiritualidade não trabalha com caprichos, e, se você observar, na maioria das preces a formulação é de um ou mais pedidos, poucos começam agradecendo e movimentando a energia de concretização para receber o que foi pedido.

Qual a sua parcela de contribuição para o pedido? Você acha que pede e que tudo tem que vir rápido e do modo que você entende que merece?

Aqui temos outro problema. Quem determina que você é merecedor ou não?

Este é o problema das crenças, elas fazem você ver somente um lado e não o todo, e quando você tira as crenças da frente e começa a fazer um raciocínio mais simples, ele se torna preciso.

Voltando à questão do merecimento. Todos somos merecedores, e por esta razão nossas preces são ouvidas já da primeira vez, porém, você tem que agir para concretizar o que você quer, e isso requer disciplina, trabalho e constância. Neste ponto, podemos perceber como é mais fácil criticar quem conseguiu, voltando ao ponto que abordei na primeira página deste livro. Quando você olha para a pessoa que alcançou sucesso, fortuna, felicidade, você está olhando para aquele único momento em que ela está desfrutando, mas deveríamos fazer a pergunta: qual o caminho que ela trilhou para chegar neste exato ponto e colher os seus frutos?

Somos imediatistas, queremos que tudo se materialize sem esforço, ou, por outro lado, muitas vezes aplicamos muito esforço em algo que precisa ser refeito desde a base para dar certo.

Para que as coisas se concretizem em nossas vidas, devemos compreender que existem passos para a materialização. Em um universo vasto e cheio de prosperidade e abundância, a criação se dá por meio de ações que, quando compreendidas, geram a energia necessária para a concretização, e não é somente no pensamento, pois este pensamento precisa ser exercitado, tem-se que criar uma estratégia que moverá as engrenagens corretas para que tudo entre na energia e na frequência harmônica do seu querer.

Busquei um ensinamento que há muito tempo está comigo, foi quando tive pela primeira vez o insight correto de como deveria trabalhar para concretizar o que eu precisava. Foi no livro Haja Luz, com o ensinamento do Elohim Paz, que comecei a compreender esta dinâmica que compartilho agora com vocês.
  1. Significa o nascimento (do sonho, do processo, do querer) e equivale a uma resolução: “Eu quero fazer alguma coisa”.
  2. Não basta querer fazer alguma coisa, é necessário estudar e obter conhecimento sobre o que se quer materializar. Ter certeza da forma, da textura, da cor, do aroma, de todos os detalhes que você precisa dominar para poder concretizar com maestria.
  3. Expressão de Amor que nasce pelo esforço de realizar algo importante e significativo em prol do todo.
  4. Expressão da Pureza – manter a pureza do modelo divino, ou seja, a pureza que está em seu desejo, lá no início.
  5. Persistência – “Onde quer que estejais e tudo o que queirais fazer espontaneamente, um dia tereis de realizar”. Cada um tem um plano divino para cumprir, cedo ou tarde (nesta ou na próxima experiência carnal), cada um, mesmo que arrastando as pernas, terá que cumprir o Plano Divino (evolução).
  6. Ritmo – manter o ritmo, não importa se tem altos ou baixos, o importante é não parar e manter a ação com ritmo.
  7. Manutenção da Paz – Sem paz não conseguimos realizar muitas coisas. Manter a paz é manter a frequência harmônica que nos leva à concretização.
Portanto, o que podemos aprender é que sempre podemos melhorar a cada dia, a cada momento, a cada nova decisão. Esta busca não é fácil e nem é curta, ela tem data para começar e não tem data para terminar, pois a evolução é constante e tem ritmo próprio, o seu ritmo.

Você escolhe como e o quanto quer avançar, bem como escolhe também onde quer chegar, o que quer se tornar.

Chegamos nesta experiência na Terra pela reencarnação e aqui temos que aprender e reaprender constantemente novas formas de fazer melhor o que precisamos, porém, a melhor forma de se autoconhecer é começar pela investigação de quem você é hoje e ter definido o modelo de quem quer se tornar. E uma das primeiras coisas que devemos fazer é duvidar de tudo, perguntar, buscar conhecimento, pois quando fazemos isto as crenças começam a cair por terra, e a primeira delas é a da culpa do carma.
Carma não existe, é algo que nos foi ensinado, porém, se formos parar para analisar, a culpa nos prende ao carma e nos joga em um looping sem saída. Então, a afirmação de que estamos aqui para pagar carma é falsa. Como vou pagar uma dívida que não lembro? Isto faz sentido para você? Passar uma vida inteira se autopunindo por sentir-se culpado de algo que não tem certeza do que seja e esperando uma outra vida para saldar a dívida. Que sentido há nisso?

O momento de despertar é aqui e agora, a culpa não existe, existe a responsabilidade por tudo aqui e agora, é aqui que você tem que resolver, e, se deixar para depois, você terá esquecido e terá que recomeçar do zero novamente.
Pergunto: você já quitou quantas dívidas que você se lembra? Se quitou, porque está padecendo aqui novamente, mergulhado em um breu sem fim e repetindo tudo novamente?

Pense nisso e comece a colocar em prática tudo o que sonhou para esta existência, para esta experiência, e enriqueça sua encarnação com novas vitórias e novos aprendizados sem culpas e sem contrair mais carmas.

Texto Revisado

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 22

Sobre o Autor: Izabel Cristina Heberle   
• Orientação • Consultas à distância • Psicoterapia Reencarnacionista (Presencial) • Regressão Terapêutica (Presencial) • Florais • Coaching - www.espacomultidimensional.com.br - Atendimentos presenciais na Rapha-El Centro de Treinamentos - http://escolaraphael.com.br
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Cuide da sua energia
artigo O Invisível, visível, 2
artigo Quando as Estrelas Descem Para Dançar no Coração do Homem
artigo O poder do desinteresse

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.








horoscopo



auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa