Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

Obesidade: como tratar?

por Pollyanna Patriota

Publicado dia 7/10/2019 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


A obesidade é uma doença multifatorial e jamais deve ser considerada como "culpa" da pessoa obesa.

A obesidade é uma doença reconhecida pela Organização Mundial de Saúde. Uma epidemia mundial que atinge todos os grupos sociais e de diferentes estratos sócio-econômicos.
De origem multifatorial, esta doença exige tratamento que contemple todos os aspectos que influenciam no desenvolvimento da mesma.

O ambiente obesogênico é aquele que favorece o desenvolvimento da obesidade. Um ambiente que induz à adoção de comportamentos alimentares e de um estilo de vida inadequados.

A obesidade é resultado de um consumo energético excessivo e consumo deficiente de nutrientes importantes para manutenção de um bom estado nutricional (vitaminas e minerais), além de um gasto energético deficiente, determinado pelo sedentarismo.

Importante refletir sobre alguns aspectos que favorecem o desenvolvimento de práticas alimentares e de um estilo de vida inadequados:

a) Ausência de Programas de Prevenção à obesidade que foquem no ambiente obesogênico e não somente centrado no indivíduo como o promotor da doença. 

b) A publicidade massiva (em todas as mídias) dos alimentos ultraprocessados como saborosos, saudáveis, fáceis de preparar ou consumir, além de induzir a uma falsa sensação de alcance de um status social privilegiado.

c) Disponibilidade ampla de alimentos ultraprocessados. Uma incrível facilidade de acesso em diversos estabelecimentos (supermercados, lanchonetes, bares, restaurantes e até em farmácias) com preços acessíveis a todos os públicos.

d) Sedentarismo ocasionado pela modernidade e uso frequente de alguns eletroeletrônicos (elevadores, controles remotos, televisores, computadores, tablets, smartphones).

e) Não administrar adequadamente o tempo (a maioria das pessoas tem tempo para ficar frente a uma tela, seja de computador, celular ou TV, mas relata não ter tempo para preparar sua própria refeição ou manter-se mais ativo, por exemplo). A falta de estrutura ambiental que favoreça a prática de atividades físicas ao ar livre também é um fator facilitador do sendentarismo, assim como a violência urbana que impede as pessoas de circularem livremente nos espaços públicos.

f) Divulgação inadequada de dietas da moda e alimentos milagrosos que fazem emagrecer. A busca pelo milagre de recuperar a saúde sem modificar o estilo de vida tem sido reforçada por depoimentos falsos de famosos e pessoas que se intitulam especialistas na área de alimentação, coloca em risco a vida de pessoas que necessitam de um tratamento complexo.

O que eu posso fazer para superar a obesidade?

a) Procure ajuda especializada. Busque acompanhamento de uma equipe multidisciplinar. Um profissional especializado saberá encaminhá-lo para profissionais que atuarão em conjunto no tratamento (educador físico, médico, nutricionista, psicólogo). Um programa de gerenciamento da obesidade de boa qualidade oferecerá esta composição mínima de profissionais.

b) Não foque no peso e nem busque reduzir em poucas semanas o que você levou meses aumentando (o peso). Esse posicionamento de imediatismo no tratamento só trará mais estresse, ansiedade, não educará e, portanto, não trará resultados permanentes. Quanto mais o indivíduo é submetido a falsos tratamentos mais desmotivado e doente tende a ficar.

c) São falsos e prejudiciais à saúde, com danos muitas vezes irreversíveis, diversos suplementos que prometem redução de peso. Só utilize suplementos (medicamentosos ou alimentares) que forem prescritos por profissionais especializados. Tenha certeza que isto só ocorrerá em casos de extrema necessidade (carências nutricionais detectadas).

d) O êxito no tratamento da obesidade é alcançado quando o indivíduo se mantém motivado para melhorar a qualidade de suas escolhas alimentares, mantém-se ativo, alcança um manejo adequado do estresse e da ansiedade e uma consequente redução do peso progressiva e mantida em longo prazo. De nada adianta reduzir peso se o processo de educação nutricional e melhoria do estilo de vida não ocorrerem.

Não sinta vergonha ou culpa pela obesidade. Como toda doença, para ser devidamente tratada, a melhor atitude é procurar boas informações sobre o assunto, compreender o que é e quais os fatores determinantes.

Estabeleça metas para curto, médio e longo prazos.Não foque no peso, foque na melhoria de sua qualidade de vida. Busque sentir-se bem, respirar bem, relacionar-se bem com os alimentos e com as pessoas. Faça atividades físicas prazerosas e de preferência na companhia de pessoas que façam você sentir-se bem. Desenvolva um comportamento de cuidado de si mesmo. Esta dedicação diária trará resultados sustentáveis. Lembre-se que a mudança de apenas um hábito pode transformar toda uma vida, então, comece com uma pequena mudança e persista.
Comece hoje! Daqui a um ano você comemorará seus êxitos por ter tomado uma atitude em tempo oportuno.


Texto Revisado

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 14

Sobre o Autor: Pollyanna Patriota    
Nutricionista, Mestre em saúde Materno-infantil, Doutora em Nutrição. Publicou artigos, livros, capítulos de livros. Atua como colunista na área de Nutrição e colabora com alguns sites, Revistas e jornais.Palestrante com experiência Nacional e Internacional. Eventos e/ou Palestras : [email protected]
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Cuide da sua energia
artigo O Invisível, visível, 2
artigo Quando as Estrelas Descem Para Dançar no Coração do Homem
artigo O poder do desinteresse

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.








horoscopo



auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa