auravide auravide

OLHAI OS LIRIOS DO CAMPO.

por Daniel Toniolo

Publicado dia 24/1/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Jesus chorou. Sim, chorou com a morte de Lázaro e chorou também quando chegou às portas de Jerusalém. E sua tristeza era compreensível. As lágrimas que banharam seu rosto em ambas as ocasiões aconteceram em momentos distintos, mas pela mesma causa: a incrível quantidade de gente morta que estava ao seu redor. Essas pessoas estiveram todo o tempo a seu lado, conviveram com ele e mesmo assim não entenderam a simplicidade de sua mensagem, mesmo ele repetindo tantas e tantas vezes...

É comum pensarmos de uma maneira primária que sua tristeza no caso da morte de seu grande amigo Lázaro provinha do simples fato em si: a morte física que tudo nos leva, tudo desintegra e apaga... Porém, a dor de meu mestre foi muito mais profunda e dilacerante que isso. Suas lágrimas em ambos os casos refletiam uma tristeza além do compreensível para aqueles que sempre estiveram a seu lado...

Por várias e várias vezes ele disse a quem quisesse ouvir, sem parábolas, sem metáforas nem jogo de palavras: "Vocês estão mortos e é necessário que renasçam e abandonem suas mortalhas dentro de suas tumbas onde viveram por tantos e tantos anos..."

A ressurreição de Lázaro causou grande espanto a todos que ali estavam, mas Jesus continuou ali, em pé, e ele ainda chorava, pois somente Lázaro reviveu; o resto dos cadáveres não, eles ainda permaneciam mortos, espiritualmente mortos. Tais pessoas sequer entenderam a grandeza daquele momento, o que realmente havia ocorrido ali. Isso é realmente muito triste... lamentável...

Por mais difícil que seja encarar esse fato as coisas não mudaram muito de 2000 anos para cá. Os anos passaram e os tempos mudaram, porém a maioria das pessoas ainda não acordou, ainda permanece morta. Pessoas que vão para seu trabalho, compram e vendem coisas, cantam, às vezes riem, até na igreja elas vão, mas ainda estão mortas. E o que é pior: ainda não sabem disso...

Hoje tenho um convite muito especial para fazer a você: caso você esteja se sentindo assim meio dormindo eu o convido a acordar, a se levantar de sua tumba e vir pra fora. Deixe em sua antiga tumba todas as máscaras e preconceitos; essas coisas têm impedido que sua vida seja plena e equilibrada. Aprenda de hoje em diante a cultivar a maravilhosa arte de ser você mesmo. Pare de tentar impressionar as pessoas que o cercam com belas roupas, perfumes caros e frases feitas. Acorde...

Ser simplesmente o que somos é muito gratificante. Você nunca terá que se explicar a ninguém, não terá que fingir nada nem dar desculpas...

Esse é o grande risco que correm as pessoas que vivem de meras aparências: a autenticidade as incomoda. A simplicidade é muito pouco para elas, então, precisam o tempo todo de embalagens e rótulos, morrem de medo de serem descobertas, seus medos têm que permanecer no mais absoluto segredo, guardados dentro de gigantescos cofres que elas mesmas construíram.

Ouse ao menos uma vez em sua vida ser somente você mesmo sem se preocupar em demasia com a aparência ou com o que o resto do mundo vai dizer: se a oportunidade aparecer, brinque com uma criança até se sujar todo, envolva-se como nunca fez até então, não tenha medo de dizer "Eu não sei" e, acima de tudo, pare de tentar controlar tudo e todos ao seu redor o tempo todo. O que as pessoas pensam de você não tem a menor importância. O valor que elas lhe atribuem é insignificante diante de quem você realmente é.

Ande descalço sem ter medo de sujar os pés, cante uma canção bem alto mesmo que não saiba direito a letra ou sua voz não seja assim tão afinada. Aperceba-se que quanto mais a pessoa tem medo de se expor ao ridículo, mais ridícula ela se tornará.

Aprenda que o bobo da corte é quem equilibra o espírito do rei e não o sábio de seu reino. Portanto, não tenha medo de ser meio palhaço às vezes; a verdadeira sabedoria e equilíbrio sempre provêm de coisas muito simples. Desnude-se, jogue fora suas máscaras e venha para a vida...

Perceba que a verdadeira beleza não está nos grandes monumentos, mas se esconde nas pequeninas coisas da vida e isso, na maioria das vezes, nos passa despercebido. E o que é pior... quando nos damos conta dessas pequeninas coisas que são tão belas e raras isso nos incomoda muito...

No ponto exato em que você abrir sua consciência a essa grande verdade, sua vida sofrerá uma grande transformação, toda pressão interna desaparecerá, você será todo um conjunto compondo equilíbrio, graça e beleza, aquela beleza... que as roupas não podem lhe dar.

Quando meu mestre diss "Olhai os Lírios do campo" que não têm a menor preocupação de como irão se vestir; simplesmente eles são o que são e assim permanecem independentemente de quem os observe...

Seja simples como um lírio do campo, belo somente em sua essência, então, descobrirá o que realmente meu mestre quis dizer quando comparou a grandeza e a glória de Salomão diante de um simples lírio do campo. Busque essa beleza dentro de você arduamente, descubra onde ela está escondida. Foi você mesmo que a escondeu, lembra? Por achá-la tão simples... tão insignificante...

Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 31

foto-autor
Sobre o Autor: Daniel Toniolo   
Daniel Toniolo é autor do livro OS CAMINHOS QUE LEVAM A DEUS. Também realiza palestras com temas voltados para a espiritualidade sem fronteiras e sem limites.. Ele o chama para que você descubra o Deus que existe em si mesmo...
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Qual é a sua ambição?
artigo Porque estamos novamente falando da Era de Aquário?
artigo O Universo num Corpo Humano
artigo A noite escura, de são joão da cruz

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa