auravide auravide

Por que escrevi o livro IQ3: Por um Amor Sincero

por Jorge Menezes

Publicado dia 13/11/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Quando se escreve um livro, é importante colocar o que vem do coração. Um autor não deveria escrever para ser autor de mais um livro. Os livros são das pessoas que lêem e é para elas que devem ser escritos. Por se preocupar em prestar um bom serviço, o autor deve escrever pensando em seus leitores. Dessa forma, entre outras coisas, deverá se empenhar em ser o mais claro possível.
Se o autor escreve só para ser aclamado sua naturalidade se perde em certo grau e seus escritos, com certeza, não tocarão o leitor, porque sua sinceridade fica prejudicada. É preciso perceber, no entanto, que não me refiro a agradar o leitor. Fazer isso seria o mesmo que escrever para si mesmo.
Um livro deve ser um instrumento capaz de acender o espírito do leitor, deve fazê-lo encontrar dentro de si o reflexo daquilo que está lendo. Um autor só conseguirá fazer isso se escrever com a perfeição de sua alma.
Escrever com a alma significa falar a mesma língua de quem lê, significa conseguir expressar em palavras a própria verdade interna, que é a mesma para todos, visto que em essência todos somos um na perfeição. Somos diferentes nas imperfeições, mas, na perfeição, somos iguais. É por isso que escrevendo com base na essência perfeita, autor e leitor se reconhecem.
É importante não ter medo de se expor, principalmente, quando sabemos que a mensagem a ser transmitida fará diferença para a vida das pessoas. Ao escrever penso em passar as idéias de forma clara para que o maior número de pessoas possa se beneficiar.
São lindas as respostas que recebo de leitores de diferentes regiões do planeta. É algo real que aprimora os vencedores que se realizam em todos os setores da vida: saúde, afetivo, profissional...
Sente-se no planeta o medo de se entregar, uma forma de boicote aos nossos corpos quânticos que ganhariam mais circuitos coloridos na dinâmica do amor. Por isso escrevo para trocar informações, por entender que a vida pode ser diferente, e que pode e deve ser aprendida a Arte de Ser Feliz.
Sobre o IQ3: Por um Amor Sincero, a idéia é essa, porque acredito que uma das coisas que pode ser diferente, e que precisa ser diferente, é o aprendizado do amor sincero. Aprendizado, sim. É necessário aprender a não dificultar a manifestação integral do amor.
E precisamos urgentemente aprender a exercer a sinceridade nos relacionamentos. Somente o entendimento das técnicas para o livre exercício do amor sincero garante energia livre e suficiente em nossos corpos, para agirmos e conquistarmos a liberdade.
Entristece-me e me espanta observar uma sociedade com dificuldade para amar; em que o amor, até quando é alcançado, pode ser um problema, porque muitas pessoas não sabem como mantê-lo vivo e feliz. A sociedade em que vivemos valoriza a forma e exerce sua autoridade à medida que cria modelos a serem seguidos. Moldadas por essa sociedade e já dotadas de um olhar preconceituoso, as pessoas se sentem preservadas, porque não correm o risco da exposição. Não precisam se revelar nem se sentem estimuladas a valorizar a sinceridade. Assim se vigiam para não darem passos em falso que revelem quem realmente são.
Mas isso é uma contingência da atualidade. As pessoas, em sua maioria, não fazem isso de caso pensado. Por isso é preciso tocar no assunto sinceridade para que vejam que existe uma outra forma de ser e de viver, muito mais bonita.
Não exercer a sinceridade nos relacionamentos congela o potencial do amor pelo medo que as pessoas têm de não serem aceitas. Muita gente, em função disso, acaba não se posicionando, o que impede que a natureza de cada um seja exercida. Falta inteligência quântica para viver o amor em toda a sua beleza, porque as pessoas vivem em função do que acreditam que o outro mais aprecie. Com essas pessoas as coisas acontecem de fora para dentro e não de dentro para fora como deveria acontecer.
É preciso perceber que encobrindo as verdades da alma fugimos da causa do fracasso das relações. Ocorre um engessamento no estar doentio e neurótico que nivela por baixo a qualidade das relações, retirando a oportunidade da liberdade do amor.
Sem o amor com inteligência quântica, os bloqueios e medos, apesar do amor, acabam por esconder o quanto somos originais e únicos. As pessoas retornam à solidão com mágoa, desencantadas com a vida e decepcionadas com os companheiros de jornada.
Ao me referir à sinceridade quero esclarecer que a sinceridade assume uma dimensão bem mais ampla do que normalmente as pessoas julgam existir.
Você viverá de uma outra forma, porque é bonito, porque o seu corpo quântico estará cada vez mais descondicionado, capaz de viver sua sinceridade de forma integral. Por isso tudo...IQ3: Por um Amor Sincero... para aqueles que acreditam.

Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 44

foto-autor
Sobre o Autor: Jorge Menezes   
Os livros de Jorge Menezes podem ser adquiridos em seu site www.jorgemenezes.com
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Treinando a não-mente
artigo Horário
artigo Ativação dos sentidos interiores
artigo Amigos extrafísicos

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa