Menu

Quero ser Bella Baxter (Reflexões sobre o filme Pobres Criaturas)

Atualizado dia 2/16/2024 11:15:11 PM em Autoconhecimento
por Patrícia Marques Barros


Facebook   E-mail   Whatsapp

O que dizer sobre a personagem principal do filme "Pobres Criaturas"? Bella Baxter é espontânea, curiosa, independente, voluntariosa, tem personalidade forte. Ela é egoísta, de maneira saudável. Sim, de maneira saudável, pois é saudável não ignorar os próprios desejos e necessidades. E se a personagem é "egoísta" isso não quer dizer que ela não seja capaz de amar. Ela ama o seu "pai", Godwin Baxter, que ela chama "God", e o seu marido, Max.

Uma característica marcante da personagem é que ela ignora os "ditames morais" da sociedade. Ela deixa a casa de God para buscar a sua própria identidade e conhecer o mundo. Ela viaja e vive aventuras com um advogado, Duncan Wedderburn, e não se apaixona impulsivamente, desavisadamente por ele. Nós, mulheres, somos educadas desde a infância para considerarmos o "amor" como o aspecto mais importante das nossas vidas. Também somos educadas para acreditarmos que o único aspecto que define o nosso valor é a aparência ou que este é o aspecto mais importante para "avaliar" uma mulher - como se o valor de um ser humano pudesse ser mensurado. Bella foge destes padrões transmitidos pela cultura patriarcal. Ela é uma mulher verdadeiramente livre. A personagem exerce a sua sexualidade conforme sente ser a atitude correta para determinado momento.

Nós, mulheres, somos educadas para agradar aos outros. Muitas de nós têm dificuldade para dizer "não". Bella não tem esta preocupação e não chega a magoar com suas atitudes as pessoas que verdadeiramente se importam com ela, God e Max. É claro que se trata de uma obra de ficção e na vida real alguém que age desta maneira pode acabar magoando, decepcionando outras pessoas ou causando-lhes preocupações. De qualquer maneira as atitudes de Bella levam o(a) espectador(a) a refletir. Ela é sincera consigo mesma, não ignora a sua própria verdade.

Faz sentido que Bella não tenha sido influenciada pelos padrões de comportamento feminino considerados aceitáveis pelo patriarcado, pois podemos dizer que a personagem é uma criança que se desenvolveu muito rápido, sem ter sofrido a influência cultural.

É interessante o contraste entre as atitudes de uma personagem como Bella e um ambiente vitoriano (na verdade steam punk, com elementos modernos), mas é inegável que a opressão contra a mulher continua presente atualmente. As ideias transmitidas pelo patriarcado continuam presentes nos dias de hoje. A violência contra a mulher continua a existir. Por isso a existência desta personagem é de fundamental importância e discutir sobre ela é urgente no momento atual.

É claro que, sendo uma mulher, eu introjetei muitas ideias transmitidas pelo patriarcado. E, como deixei claro neste texto, eu questiono os padrões de comportamento feminino exigidos pela cultura. Sim, quero ser Bella Baxter.

Texto Revisado



Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Conteúdo desenvolvido por: Patrícia Marques Barros   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Autoconhecimento clicando aqui.
Deixe seus comentários:



Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


Siga-nos:
                 




publicidade










Receba o SomosTodosUM
em primeira mão!
 
 
Ao se cadastrar, você receberá sempre em primeira mão, o mais variado conteúdo de Autoconhecimento, Astrologia, Numerologia, Horóscopo, e muito mais...


 


Siga-nos:
                 


© Copyright 2000-2024 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa