auravide auravide

Sathya Sai Baba com quatorze anos

por Marcos Spagnuolo Souza

Publicado dia 16/8/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Atualmente sabemos que quando o corpo de Sai Baba fica totalmente inerte, rígido e com respiração fraca é quando Ele deixa o corpo e utilizando o corpo sutil viaja para outros lugares. No entanto, na adolescência, seus familiares não sabiam das possibilidades das viagens metafísicas do adolescente. Assim sendo, Sai Baba com a idade de quatorze anos, em um determinado dia, ficou inconsciente e rígido; não falava e Sua respiração ficou totalmente fraca. Seu irmão Seshama Raju trouxe um médico que aplicou uma injeção e outros remédios, mas o garoto continuou inconsciente durante toda a noite.

Depois de dois dias Sai Baba levantou da cama e começou a se comportar de maneira totalmente anormal, tendo uma transformação completa de personalidade. Não respondia a ninguém que falava com ele e não aceitava nenhum alimento, passando todo o tempo em silêncio. Ocasionalmente o silêncio era interrompido por cânticos e citações da filosofia Vedanta, outras vezes recitando longos versos em sânscrito. Ocorriam risos e choros alternados, eloqüências e silêncios profundos. Outras vezes Ele cantava e falava sobre Deus, descrevia lugares de peregrinação os quais ninguém conhecia e dizia que a vida era uma peça teatral.

Um dia, como de costume, Sai Baba estava deitado sem tomar consciência do ambiente ao redor, quando pediu que alguém trouxesse o erudito da casa vizinha salientando: “Ele está lendo o “Bhagavata” de maneira errada, está explicando de maneira errada! Vá e traga-o até aqui”, ordenou! O erudito não foi e salientou: “O que esse pirralho sabe sobre este Bhagavata em sânscrito e sobre as explicações que estou dando agora para estas pessoas aqui? Diga a ele para cuidar de sua própria vida”, e continuou com suas explicações para o público presente. Sai Baba insistiu dizendo que queria o erudito em sua frente. O erudito acabou indo para satisfazer os parentes de Sai Baba que disseram: “Venha e ensine ao menino uma lição de humildade. Ele está incontrolável ultimamente”. Quando o erudito chegou, Sai Baba pediu-lhe que repetisse a exposição e mostrou onde ele tinha errado; fez uma série de perguntas, tais como: "Quem é o pai de Vali? Quando Ravana nasceu? Quem é a irmã de Garuda?" O erudito ficou surpreso e caiu aos pés de Sai Baba, pedindo Seu perdão por não ter obedecido de imediato ao Seu chamado.

O médico que estava acompanhando o caso de Sai Baba diagnosticou como sendo uma variedade de histeria e aconselhou determinado tratamento que foi seguido à risca por três dias e os estranhos sintomas não desapareceram. Astrólogos foram chamados e disseram que um fantasma, ocupante anterior da casa, seu primeiro inquilino, tinha se apossado do menino. Trouxeram um exorcista para cuidar do garoto. Ao vê-lo Sai Baba disse: “Venha! Você tem me adorado todo dia como “Ishtadevatha” e, agora que veio, sua tarefa será Me adorar e ir embora”. O exorcista ouviu o aviso falado pelo próprio “Ishtadevatha” e aconselhou os familiares a tratarem o menino com reverência, pois Ele estava em contato com Deus e não atormentado pelos demônios.

No garoto aumentavam os surtos ocasionais de quietude, cânticos ou discursos e de repente dizia à sua irmã: “Aqui, faça o “arathi”, os deuses estão atravessando os céus”. Novo exorcista foi chamado e ele tentou de tudo para expulsar o demônio que estava no corpo de Sai Baba. Sacrificou ave, cordeiro, colocou o garoto no centro de um círculo de sangue, entoou todos os encantamentos que conhecia, raspou a cabeça do garoto e com instrumento afiado fez três cortes em X. Nos cortes que sangravam colocou suco de alho com limão e outras frutas ácidas, batia com uma vara grossa nas juntas do garoto, elaborou uma mistura ácida e aplicou nos olhos de Sathya. O garoto não dizia uma palavra e não movia sequer um dedo.

Os dias passavam e Sai Baba recitava versos sagrados e poemas. Algumas vezes demonstrava força de dez pessoas; em outras, ficava fraco como o talo de lótus. Um advogado, amigo da família, aconselhou que levasse o garoto ao templo de Narasimha (manifestação de Visnu em forma híbrida de leão e homem). O garoto ouvindo as palavras do advogado disse: “Engraçado, Eu já estou lá em Ghatikachalam e você quer Me levar para Mim!”

Referência: Resumo do livro "A vida de Bhagavan Sri Sathya Sai Baba", volume um. Escrito por N. Kasturi. Publicação da Fundação Sai.


Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 6

Autor: Marcos Spagnuolo Souza   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   


Veja também
artigo Treinando a não-mente
artigo Horário
artigo Ativação dos sentidos interiores
artigo Amigos extrafísicos

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa