auravide auravide

Terapia é coisa pra corajoso!

por Daniela M. P. de Azevedo

Publicado dia 8/3/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Apesar de toda evolução científica que observamos todos os dias, percebe-se o grande número de pessoas que vêem a psicoterapia como algo “de outro mundo” ou como “coisa de louco” ou ainda como último recurso quando já se chegou ao fundo do poço e já não se sabe mais o que fazer.

Acredito que esse tipo de crença está baseada no medo. No medo de realizarmos descobertas em nós que não nos agrada tanto e que, por isso mesmo, é melhor ficar escondido a sete chaves!

Na minha vivência em consultório percebo esse movimento todos os dias. Quando parece que o individuo vai começar a se movimentar no sentido de transformar crenças, padrões de comportamentos e atitudes, de repente desiste da terapia, justificando que está sem dinheiro; ou que nada muda, então não adianta; que está cansado; com problemas na família; alguém doente, enfim, inúmeras justificativas para continuar no “velho jeitinho de funcionar”.

Claro que, algumas vezes, existem motivos realmente concretos que impedem o andamento do processo psicoterapêutico; no entanto, na maioria dos casos, observo uma dificuldade muito grande de continuidade por medo inconsciente de sair do padrão que estão acostumados a viver e, sendo assim, se torna muito mais fácil continuar do jeito que está.

Transformar atitudes, crenças, comportamentos já padronizados exigem de nós comprometimento, disciplina e sobretudo coragem. É preciso muita coragem pra admitir que temos esse ou aquele comportamento que causa nosso sofrimento, mas também nos mantém numa zona de conforto.

É preciso coragem pra reconhecer que temos medos e que talvez eles não desapareçam pelo simples fato de procurarmos ajuda e que vamos precisar de mais um pouco de coragem pra conviver com eles até que consigamos transformá-los.

É preciso coragem pra percebermos que tudo o que nos acontece é responsabilidade nossa e que não somos vítimas das circunstâncias e das pessoas.

É preciso coragem pra sentar na frente de um profissional e se desnudar interiormente e muitas vezes se sentir frágil sem saber exatamente o que este profissional vai fazer com o que ouviu.

Enfim, somente aquele que está comprometido com seu próprio crescimento (mental-emocional-espiritual) pode desenvolver a coragem suficiente para olhar para suas dores, sua sombra e extrair delas a lição necessária para ir ao encontro de sua luz!

Por isso que eu digo: terapia é coisa pra corajoso!

Daniela M. P. Azevedo
Psicoterapeuta, especialista em Psicologia Hospitalar, Terapia Floral e Terapia de Vida Passada.
Blog: link
(11) 3699-3517 (consultório) e (11) 8643-6826.

Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 4

foto-autor
Sobre o Autor: Daniela M. P. de Azevedo   
Daniela M. P. Azevedo, psicóloga e psicoterapeuta. Possui consultório em Osasco, realizando atendimentos para crianças, adolescentes, adultos e casais. Para agendamento de consultas, entrem em contato por meio dos telefones: (11) 3699.3517 ou (11) 8643.6826
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Treinando a não-mente
artigo Horário
artigo Ativação dos sentidos interiores
artigo Amigos extrafísicos

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa