auravide auravide

UM SOPRO DE AR FRESCO



Como andei falando sobre os elementos e recebi muitos e-mails perguntando-me detalhes, resolvi escrever sobre cada um deles separadamente. Assim posso me expandir mais um pouco o que, aliás, é função do Elemento Ar – Expansão.

Para começar, que título é esse? Ar fresco, a princípio, seria redundância já que o ar essencialmente é fresco e quando não o é, significa ar carregado com substâncias densas. Vocês podem estar pensando em uma simples poluição, o que está correto, porém falo daquela provocada por gases poluentes no meio ambiente que se aderem à atmosfera causando uma alteração, pesando o que seria essencialmente leve. Mas não me refiro só a essa espécie. Existe ainda a poluição que uma pessoa com pensamentos nocivos pode causar através da própria respiração. E isto se dá da mesma forma.

Inalamos fazendo o ar viajar por nossos sistemas, oxigenando as células de nosso cérebro que, estimuladas pela química de nosso organismo, desprendem outras substâncias na expiração. O que ocorre com esses, digamos assim, produtos químicos que inalamos? Vão diretamente para a corrente sanguínea, levados aos pulmões, e após esse passeio pelos nossos sistemas, são devolvidos na expiração com o conteúdo das toxinas acumuladas em nosso organismo, do qual o cérebro é o comandante. O que não costumamos parar para pensar é que inseridas na respiração, estão toxinas daquilo que pensamos.

O ar que devolvemos ao ambiente através de nossas vias respiratórias é inalado por aqueles à nossa volta, num sistema de eterna permuta entre os seres. Assim, podemos concluir que o ambiente que habitamos é um tremendo sistema circulatório. A respiração faz as substâncias químicas viajarem de dentro de nosso organismo para fora dispersando as substâncias químicas que não são destruídas, para dentro da corrente sanguínea de terceiros.

Uma curiosidade que uma médica homeopata me explicou é a seguinte: das substâncias desnecessárias ao corpo, a expiração é responsável pela eliminação de mais de 70%. Isso me fez pensar seriamente sobre as escolhas que fazemos de nossas companhias. Aquilo que existe entre você e a pessoa à sua frente, e ao seu lado, entre você e o computador onde está lendo esse artigo, é ar. É ele que preenche todos os espaços.

Pela respiração podemos nos comunicar e influenciar as pessoas, sem emitir uma palavra sequer. Isso pode ser facilmente observado no caso de um bocejo, de um suspiro, ou mesmo quando alguém tenta reter o riso em uma ocasião onde uma gargalhada não cabe (aquele riso de nervoso). Por terem muita força magnética, imediatamente o bocejo, o suspiro e o riso, literalmente “pegam” quem está por perto.

Entretanto, aquele que tiver mais consciência de seu ritmo respiratório poderá influenciar o ritmo de todos. Cada um tem seu ritmo individual e profundidade respiratória, por isso é que às vezes “pegamos as coisas no ar”, “sentimos que há algo no ar”, “algo lhe cheira bem ou mal” e quando se vai a um lugar energeticamente carregado podemos sentir que o ar estava pesado. E é literalmente verdade.

Isso tudo é para demonstrar a onipresença do elemento Ar e embarcarmos na importância dele como sinônimo de movimento. Para se movimentar qualquer coisa, para as palavras chegarem aos seus ouvidos, e para eu ter inspiração para escrever, do que preciso? Bem, já disse: AR.

Ele é, digamos assim, o primeiro elemento. Por quê? Se combinarmos uma centelha ao ar, surgirá o fogo, que por ele mesmo, ar, será alimentado. O fogo fará o seu papel queimando. O que nele foi queimado, condensará, criará vapor (água), subirá aos céus, transformar-se-á em chuva que cairá sobre a terra, fertilizando-a. E depois, o caminho inverso é verdadeiro. Lembrei até do que há na Bíblia: “o Sopro Divino”.

Vou tornar o pensamento acima mais claro: o Ar é a idéia, que para chegar a existir, tornar-se ação, necessita do Fogo; tal ação gerará interesse, desejo e fluidez (água) e o resultado final será a forma ou substância – Terra. Tal substância contém todos os elementos. Nós somos bons exemplos disso, não é verdade?

Bem, esse assunto é longo, porém o meu ponto aqui é agradecer a todos os e-mails que recebi e avisar que como resultado, modifiquei meus cursos de Perfumeterapia para “Como preparar perfumes segundo os Elementos da Natureza”; o “Emagrecendo com os O.E.s” transformou-se em “Desintoxicação com Óleos Essenciais” e o de “Meditação”, confesso, não sei ainda o título, mas sei que o objetivo é ensinar as respirações dos elementos com o uso dos óleos essenciais, é claro. Por que é claro? Porque os óleos essenciais podem potencializar nossos objetivos, já que cada um deles pertence a um elemento específico.

Aliás, todas essas novas idéias e transformações estão acontecendo agora que estou no meu 21º dia de uso do Perfume do Elemento Ar. Será coincidência?

Semana que vem volto com outro Elemento. Se vocês tiverem sugestões, como de costume falarei sobre o mais votado, ok?

Recebam no Ar um grande abraço!

Texto revisado por Cris
Publicado dia 21/10/2007

  estamos online

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 11



foto-autor
Autor: Valeria Trigueiro   
Atendimentos: * Mapa astral alquímico; * Tarô Alquímico Sistema Joel Aleixo; * Baralho Cigano; * Tarot de Marselha; * Anamnese profunda com questionário; * Anamnese através dos óleos essenciais - método próprio; * Indicações de defumações, incensos e perfumes de acordo com cada indivíduo para o Momentum específico; *Cursos e palestras.
E-mail: valeriaromerotrigueiro@gmail.com | Mais artigos.

Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade











auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa