auravide auravide

Viemos para compartilhar vida



O homem não sobrevive sozinho. Dependemos uns dos outros e por esse motivo reencarnamos em meio a um coletivo de pessoas chamado família, inserida numa coletividade maior denominada sociedade, para os resgates e aprendizagens necessárias na escola da vida.

O nosso querido amigo sente-se há muito tempo solitário a caminhar naquela estrada que nunca termina e que não leva a lugar algum: "Não sei o que estou fazendo nessa estrada, ela não acaba nunca e já estou cansado de andar...".

O dirigente do trabalho mediúnico inicia, então, o diálogo com a entidade manifestante através de uma breve apresentação: "Meu amigo, estamos todos aqui reunidos em nome do Pai Maior, fonte do amor universal e de Jesus Cristo, a Luz que ilumina a nossa estrada, para ajudá-lo a encontrar o verdadeiro caminho. Seja bem vindo a esta casa!"

Aos poucos, confuso, e acordando de uma espécie de letargia, o amigo confirma que há muito tempo caminha e que sente-se exausto porque não encontra o fim da estrada.

Gentilmente, o dirigente da reunião convida-o a entender a sua situação, ao mesmo tempo em que solicita aos demais médiuns presentes que elevem seus pensamentos sintonizando com a equipe espiritual responsável pelo trabalho para que o amigo possa retornar ao tempo (regredir) e acessar o motivo da sensação de estar perdido e desorientado.

Retornando no tempo o caminhante acessa uma cena em que vê o seu corpo caído na beira de um mato e percebe que fora vítima de homicídio e que ali, naquele local, desencarnara.

Regredindo ainda mais no tempo começa, aos poucos, entender a sua real situação: tivera uma vida solitária e de aventuras, seu hobby preferido. Preferia estar solitariamente junto à natureza do que estar em meio às pessoas, inclusive, entre seus próprios familiares. Fora um aventureiro em contemplação com a natureza.

Sendo permitido pela equipe espiritual e sob a coordenação do dirigente mediúnico, a fluência regressiva do nosso amigo continua. Foi-lhe, então, permitido acessar a vida passada para que entendesse ainda mais a sua real situação. Fora um pai dedicado e intimamente envolvido com a família. Pai carinhoso e conselheiro, contudo, muito recluso ao ambiente familiar. Não interagia com as demais pessoas e não compartilhava nada com ninguém que não fossem seus amados filhos. A família era tudo para ele e o resto não existia.

E o continuar do fluir da revivência, leva-o a compreender porque falhara na última vida de aventureiro solitário, afastado que fora do convívio familiar e social, uma vez que, na fase pré-reencarnatória do espírito, havia estabelecido combinações de que retornaria para abrir-se no sentido de estender o alcance do seu amor de proposta fraternal além dos limites do "eu" e da família.

Percebe que na última vida desviara-se do que havia proposto a si mesmo. E, ao repetir o padrão comportamental escolhera um caminho de isolamento da sociedade, deixando dessa forma de compartilhar aprendizagens na convivência com os seus semelhantes. Por esse motivo, à medida que desencarna, permanece na sintonia que havia gerado durante a vida: a de solitário aventureiro junto à natureza, motivo pelo qual passa tanto tempo "caminhando" sem encontrar ninguém que venha em seu auxílio, até que surge o momento da ajuda.

A partir de seu despertamento, o nosso querido amigo compreende que viemos, acima de tudo, para dividir amor, carinho, afeto, experiências e conhecimento. E que a existência é uma grande escola repleta de almas por todos os lados com o objetivo maior do aprender mútuo através do interagir e compartilhar vida, pois, fora desse contexto social, somos como estrelas isoladas no firmamento cujo foco, lentamente, começa a apagar.

Somos como estrelas cintilantes, viemos para compartilhar luz e brilhar!

Psicanalista Clínico e Interdimensional.
flaviobastos
Curso de formação em Psicoterapia Interdimensional e Terapia Regressiva. Informações no site do autor.

Texto revisado por Cris
Publicado dia 22/9/2007

  estamos online

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 15



foto-autor
Autor: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Psicoterapia Holística, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: flavio01bastos@gmail.com | Mais artigos.

Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade











auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa