auravide auravide

VOCÊ JÁ CALÇOU OS SAPATOS DA DOROTHY?

por Valeria Trigueiro

Publicado dia 26/9/2008 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Talvez o título não seja apropriado, já que nossos sapatos são apenas nossos e as pessoas não devem usar aquilo que não pertence a elas. Certo? Quase certo, pois existe aquele ditado inglês que numa tradução livre significa dizer para alguém se colocar no lugar do outro antes de fazer qualquer julgamento. “...Walk a mile in someone else’s mocassins”, mas se usarmos a tradução literal vamos encontrar: “andar uma milha com os sapatos alheios”. Se fizermos isso, não julgaremos e estaremos aptos a ajudar o “outro” com nossa compaixão e talvez uma boa palavra (lembrando que o “outro” somos nós). O que não devemos é “comprar o problema” para nós mesmos, invadir o espaço emocional do indivíduo. Temos que deixá-lo exercer o Direito Divino de se abrir à própria inspiração e viver as experiências que lhe cabem com as ferramentas que tem. Cada um passa por aquilo que precisa passar e não pelo que quer. A Natureza é sábia e provê.

O assunto hoje são os “sapatos da Dorothy”... lembram do Mágico de Oz? Se não lembram, leiam o meu artigo: “Você Já Andou Pela Estrada de Tijolos Dourados?”. Pois é! Depois de passar um tremendo sufoco ela encontra a Fada Glinda, toda de cor-de-rosa, que é a cor do chacra cardíaco e da harmonia. Glinda acaba com a Bruxa do Oeste, pega seus sapatos de rubi – representando o chacra básico, ou seja, a ação - e entrega para a menina sua ferramenta mais preciosa dizendo que, acontecesse o que acontecesse, ela não deveria tirar aqueles sapatos, ou seja, não desistir da realidade e da ação.

Todos nós temos um manancial de possibilidades, criatividade e afazeres emocionais que muitas vezes nem sequer nos damos conta de que eles existem e estão ao alcance de nossas mãos – ou pés, como queiram. Ficamos no mundo das idéias pensando “e se...”, seguidos de vários “não posso”, “não sei”, “não é para mim”, “não dá...”. E ficamos paralisados no primeiro passo para a concretização de qualquer coisa que é o desejo.

O desejo é o início de tudo, porém sem ação ele é frustração que pode nos levar à “Síndrome da Vítima”, culpando a Vida por não havermos alcançado o nosso intuito. Ok! Ele é apenas a fagulha que dá partida em nossos sonhos e idéias de concretização. Por isso lembrei-me de calçar meus sapatos de rubi e partir em busca do que eu desejava e desejo.

Entretanto, vale lembrar que se você tem um desejo, ele é seu e é você quem precisa caminhar em direção à concretização dele através de suas atitudes, pois se colocá-lo nas mãos de terceiros achando que as coisas acontecerão da forma idealizada, gerará frustração. Isso porque poderá até ter conseguido materialmente seu intuito, mas ficará o vazio da ação não feita, do sucesso adquirido por terceiros ainda que para você. Não realizou. A frustração continua e o indivíduo permanece insatisfeito sem saber a razão. Isso pode até gerar sentimentos contraditórios em relação àquela pessoa que o ajudou a conseguir seu intuito. Se você calçar seus próprios sapatos de rubi e partir para a ação consciente de si mesmo, de que você também é sagrado, seus desejos também o serão. Isso me fez lembrar uma passagem bíblica que li no livro “O Código de Moisés”:
“O Senhor viu que ele se aproximava para observar. E, então, do meio da sarça Deus o chamou: “Moisés, Moisés!”  “Eis-me aqui”, respondeu ele.” (Êxodo 3.4) “Então, Deus diz a ele: “Não se aproxime. Tire as sandálias dos pés, pois o lugar em que você está é sagrado.” (Êxodo 3.5)

O autor conclui maravilhosamente mostrando que não era apenas aquele lugar que era sagrado, mas ele, Moisés, também o era, por ser parte do Criador, ser UM com Ele, mostrando que se Deus é Onipotente, Onipresente e Onisciente, então, Moisés e todos os seres e lugares também o são. E quando Moisés diz: “Eis-ME aqui”, ele reconhece Deus e a Si Mesmo como UM.

Deixo aqui algumas idéias:
1. Leiam o livro que citei;
2. Usem seus sapatos de rubi e sigam seus desejos com ação;
3. Não desviem de Suas Estradas de Tijolos Amarelos, e
4. Vejam o resultado de eu haver calçado os meus. O site está pronto. Aguardo sua visita lá: www.valeriatrigueiro.com.br

Até breve.

Texto revisado por Cris


Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 49

foto-autor
Sobre o Autor: Valeria Trigueiro   
Atendimentos: * Mapa astral alquímico; * Tarô Alquímico Sistema Joel Aleixo; * Baralho Cigano; * Tarot de Marselha; * Anamnese profunda com questionário; * Anamnese através dos óleos essenciais - método próprio; * Indicações de defumações, incensos e perfumes de acordo com cada indivíduo para o Momentum específico; *Cursos e palestras.
E-mail: vale[email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Treinando a não-mente
artigo Horário
artigo Ativação dos sentidos interiores
artigo Amigos extrafísicos

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa