auravide auravide

A visão Crística de amor


Facebook   E-mail   Whatsapp

Jesus Cristo nasceu em uma manjedoura, local rústico demais para os valores materialistas de poder e riqueza associados às elites dominantes de sua época. Jesus cresceu no seio de uma família pobre, passou dificuldades como toda pessoa desprovida de recursos materiais, e teve que cedo ajudar o pai nas lides da carpintaria. Jesus, como todo ser humano que luta para afirmar as suas idéias em um contexto social conservador e injusto, foi um incompreendido a partir da visão de seu pai e irmãos, que não entendiam o que e porque ele pregava às multidões. Somente a sua mãe, movida pelo sentimento maternal procurava entender e aceitar a vida que o filho levava.

Jesus Cristo pregava às multidões onde predominavam doentes, miseráveis, injustiçados, ladrões e estropiados. A sua missão estava íntimamente ligada às massas pobres e sofredoras, porém, a sua mensagem atingia a todos os níveis sociais, inclusive ricos e poderosos, e isso fez com que as elites se sentissem incomodadas com a presença de um messias suspeito de estar perturbando a ordem social.

Em toda a sua trajetória como instrumento da verdade, Jesus jamais foi condescendente com as injustiças associadas aos poderes político e religioso. Pelo contrário, a sua mensagem foi transparente e firme no sentido de despertar consciências para a necessidade da reforma íntima como meta transformadora de realidades.

Jesus, com a sua mensagem pura, verdadeira e revolucionária, pagou com a própria vida a sua ousadia em tentar transformar um contexto sócio-político-religioso onde predominavam valores de dominação e subjugação. Seu sangue foi derramado, mas a sua mensagem de amor abrangendo a todos os seres da natureza, a partir do compromisso com a caridade e a verdade, permanece como fator fundamental no processo de abertura para a compreensão do significado da vida.

Alguns séculos depois, influenciada pelos valores de ostentação e dominação que ainda vigoravam na época pós-Cristo, a Igreja começou a construir majestosos templos voltados para a riqueza de seu interior. Materialidade que não traduzia o que fora a obra deixada por Cristo, fundamentada nos valores do espírito e construída junto às multidões de pessoas humildes e despojadas de riquezas materiais.

A Igreja, portanto, durante séculos esteve dividida - e perdida - entre os interesses dos poderosos e a prática da mensagem deixada por Jesus, voltada à caridade e ao amor incondicional como instrumentos de fé e de elevação consciencial.

Um episódio histórico envolvendo Jesus e seus apóstolos, simboliza a sua obra como testemunho vivo de seu exemplo. Ele encontrava-se com seus apóstolos e tinha acabado de comunicar que iria morrer e deixar esse mundo. Os discípulos começaram logo a discutir quem iria substituir Jesus depois da sua morte, quem seria o chefe, como é que seria, etc. Jesus olhava para eles e eles permaneciam discutindo. Jesus ficou de pé, vestiu um pano que os escravos normalmente usavam, pegou uma bacia, a encheu de água, pegou um outro pano e foi lavar os pé de Pedro. Este disse: "Não faça isso, eu é que devo lavar os seus pés". Jesus lavou os pés de Pedro e dos doze apóstolos. Ele fez o que os escravos faziam, lavavam os pés de seus senhores. No final ele disse: "Se algum de voces quer ser o maior, trate de servir".

E assim são os interesses que giram em torno de crenças religiosas que não usam a razão como instrumento de fé raciocinada, e sim como uma oportunidade de colocar em prática estratégias que visam a ascenção de interesses meramente pessoais. O problema é que não percebemos o óbvio: a visão Crística de amor "vê" muito além das aparências. É fácil dizer "eu sou cristão", o difícil é perdoarmos o vizinho. É fácil dizer "eu estou com Cristo", o difícil é sermos pessoas espiritualizadas. Se não soubermos perdoar, se não tivermos sido amorosos, a "carteira" de religião de nada valerá como testemunho de nossa obra.


Psicanalista Clínico e Interdimensional.
flaviobastos
Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 6


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

foto-autor
Conteúdo desenvolvido por: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva (TRE), Psicoterapia Reencarnacionista e Terapia de Regressão, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose, e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: [email protected] | Mais artigos.

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Autoconhecimento clicando aqui.

Veja também © Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade










Receba o SomosTodosUM
em primeira mão!
 
 
Ao se cadastrar, você receberá sempre em primeira mão, o mais variado conteúdo de Autoconhecimento, Astrologia, Numerologia, Horóscopo, e muito mais...


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa