auravide auravide

Ensinamentos do Srimad Bhagavatam: V

por Marcos Spagnuolo Souza

Publicado dia 11/8/2007 em Autoconhecimento

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


O Srimad Bhagavatam é um comentário sobre o Vedanta-Sutras elaborado pelo sábio Sukadeva Gosvami aproximadamente 5000 aC. Nas explanações feitas por Sukadeva ele transmite também os ensinamentos de vários transcendentalistas. Neste artigo vamos evidenciar o conhecimento do sábio vedanta Jada Bharata transmitido por Sukadeva para que possamos ampliar o nosso nível de consciência.

Jada Bharata
O corpo é o transportador. A carga levada pelo corpo não pertence ao corpo, a carga é a alma espiritual. O corpo pode ser magro ou gordo, mas nenhum homem erudito usaria estes termos ao referir-se à alma. Obesidade, magreza, aflição corpórea ou mental, sede, fome, medo, discórdia, desejos de felicidade material, velhice, sono, apego e posses materiais, ira, lamentações, ilusão e o ato de identificar o eu com o corpo são tudo transformações por que passa o revestimento da alma. A pessoa absorta no conceito corpóreo material deixa-se envolver com essas coisas, mas a alma em si está livre de todas as concepções corpóreas. Quanto ao fato das pessoas se julgarem serem reis ou servos é incorreto porque essas posições são temporárias. Hoje podemos ser rei e outras pessoas escravas, mas amanhã essa posição pode mudar. Estas são circunstâncias temporárias e que persistem apenas graças ao uso ou à convenção. Todos estão sendo forçados pelas leis da natureza material; portanto, ninguém é amo e ninguém é servo.

As pessoas interessadas em atividades materiais estão determinadas a executar sacrifícios materiais e a depositar fé em suas atividades materiais. Para semelhantes pessoas, o avanço espiritual está definitivamente imanifesto. A felicidade material quer nesta vida ou na próxima, quer neste planeta ou em planetas superiores, é insignificante. Enquanto uma pessoa estiver contaminada pelos três modos da energia material - paixão, ignorância e bondade - a mente será tal qual um elefante solto e descontrolado. Através do uso dos sentidos, a mente simplesmente expandirá sua jurisdição de atividades piedosas ou impiedosas. O resultado é que a alma controlada pela mente permanecerá no mundo material para desfrutar ou sofrer prazeres ou dores decorrentes de atividades materiais. Devido à mente se ligar aos desejos de atividades piedosas ou ímpias, a mente, com muita naturalidade, se sujeita à influência da luxúria e da ira. Dessa maneira, ela fica atraída pelo gozo dos sentidos materiais e em decorrência fica prisioneira no mundo dos sentidos.

A mente é conduzida pelos modos da bondade, paixão ou ignorância que são energias materiais. A mente determina o nascimento da alma em diferentes espécies de corpos entre os semideuses, os seres humanos, os animais e os pássaros. Ao situar-se em posição superior ou inferior, a mente aceita corpos materiais superiores ou inferiores. Devido à mente a alma sofre ou desfruta felicidade ou aflição material. A mente controlando todas as atividades elabora ações piedosas ou impiedosas e assim a alma fica condicionada. A mente controlando a alma faz a alma vagar por diferentes espécies de vida dentro do mundo material e assim, em diferentes formas, a alma entrega-se aos afazeres mundanos, ora como ser humano, ora como semideus, ora como pessoa gorda, ora como pessoa magra e assim por diante.

Os acadêmicos eruditos afirmam que aparência corpórea, cativeiro e libertação são causados pela mente. Ao se deixar absorver no gozo dos sentidos do mundo material, a mente da alma promove sua vida condicionada e prolonga seu sofrimento dentro da condição material. A mente quando se absorve no gozo dos sentidos materiais produz sofrimento, mas ao desapegar-se do gozo dos sentidos materiais produz o próprio brilho de Deus. Enquanto persistir em aceitar o corpo material e não se livrar da contaminação do gozo material e não despertar seu conhecimento espiritual para, então, estabelecer-se na plataforma de auto-realização, a alma condicionada será forçada a vagar por diferentes lugares e diferentes espécies de vida neste mundo material. A mente é a causa de todas as tribulações no mundo material. Enquanto persistir em ignorar este fato, a alma condicionada terá que aceitar a condição miserável do corpo material e em diferentes níveis ficará vagando dentro deste universo. A mente afetada pela doença, lamentações, ilusões, apego, cobiça e inimizade, acaba criando o cativeiro e uma falsa sensação de intimidade dentro desse mundo material. A mente descontrolada é o maior inimigo da alma. Se alguém se descuida e lhe dá uma oportunidade, ela continuará ficando poderosa e sairá vitoriosa. Embora seja irreal, a mente é muito forte.

A alma controlada pela mente perambula pelos caminhos do mundo material, os quais ela tem muita dificuldade de percorrer, e aceita repetidos nascimentos e mortes. Ficando sob a influência dos três modos da natureza material e deixando-se, então, cativar pelo mundo material, a alma vê apenas os três frutos de suas atividades desenvolvidas sob o encanto da natureza material. Esses frutos são auspiciosos, não auspiciosos e mistos. Ela torna-se, pois, apegada à religião, ao desenvolvimento econômico, ao gozo dos sentidos; contudo, não pode realmente alcançar a felicidade dentro deste mundo material.

Todo corpo material é formado na existência material, permanece por algum tempo e logo depois é destruído voltando a integrar-se na terra. Todos os corpos são meras diferentes transformações da terra. Diferentes corpos e capacidades são simples transformações da terra e cuja existência, é apenas representativa, pois tudo provém da terra e, quando tudo é destruído, volta a ser terra. O corpo é apenas pó e será apenas pó. Todas as coisas materiais possuem o seu começo, o seu desenvolvimento e a sua morte. O universo material não tem existência real definitiva, todas as coisas dentro dele são imaginações. Todas elas são potes feitos da mesma substância, terra, mas recebem diferentes denominações. Todas essas coisas são simples manifestações mecânicas, criadas pela natureza material.

Quando alguém não tiver a oportunidade de se ligar ou servir a um devoto, ele não irá entender a Verdade Absoluta. Ninguém pode compreender a Verdade Absoluta só porque observa celibato, segue à risca as regras e regulamentações da vida familiar, deixa o lar, pertence à ordem da vida renunciada ou se submete a rigorosas penitências. A verdade absoluta revela-se apenas a quem recebeu a misericórdia de um devoto grandioso. Pelo simples fato de associar-se com devotos elevados, qualquer pessoa pode alcançar a perfeição do conhecimento e, com a espada do conhecimento, esmagar as associações ilusórias existentes dentro deste mundo material. Através da associação com devotos, a pessoa pode ocupar-se em serviço ao Senhor.

Texto revisado por Cris

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 7

Autor: Marcos Spagnuolo Souza   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   


Veja também
artigo A imaginação constrói os problemas
artigo Adestrar x Educar
artigo Luz e sementes conscienciais
artigo O que é o ego?

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa