auravide auravide

Conheça a Oligoaromaterapia


Facebook   E-mail   Whatsapp

Até a década de 90, o olfato era um dos sentidos mais desconhecidos e as pesquisas se concentravam principalmente na análise da audição e da visão, dois sistemas sensoriais aparentemente mais vitais.

O premio Nobel de medicina em 2004 foi recebido por Richard Axel e Linda B. Buck - os dois cientistas revolucionaram este campo de pesquisa ao serem os primeiros a usar a metodologia molecular para determinar o funcionamento deste sentido.

Axel e Buck descobriram a existência de cerca de 1.000 genes que atuam como receptores olfativos, capazes de reconhecer e memorizar as cerca de 10.000 substâncias aromáticas conhecidas.
Assim, cada célula olfativa é especializada em identificar um número determinado de odores, enviando o sinal ao cérebro através de impulsos elétricos.

Todos os receptores são proteínas relacionadas entre si mas que se difere em pequenos detalhes. Cada receptor consiste em uma cadeia de aminoácidos ligada à membrana celular e a atravessa sete vezes.
Cada pessoa reage aos aromas de uma maneira diferente. A qualificação que damos ao cheiro depende de questões sociais, gostos pessoais, experiências relacionadas com os cheiros, o tipo de alimentação que temos e hábitos de vida. Mas existem reações específicas que trazemos em nossa memória genética e que fixas em todos os seres humanos.

Os nervos olfativos terminam numa região do cérebro que não usa o mesmo tipo de lógica dos nossos centros do intelecto. Embora os odores formem um tipo de sistema de comunicação, não podem constituir uma linguagem, pois funcionam por associações e imagens e não são analíticos. Esta área é chamada de sistema límbico.

O sistema límbico envolve uma área do nosso cérebro relacionada com a nossa memória e os instintos mais primários de sobrevivência que herdamos do reino animal como: fome, sede, sexo, defesa.
Os cheiros agem justamente nesta área, estimulando reações comportamentais positivas ou negativas, podendo com isso auxiliar a trabalhar traumas, distúrbios de personalidade e alterações comportamentais.

Visão holística da doença:

Estudos sobre a medicina vibracional lançam um novo olhar sobre a doença; não sendo apenas física, mas tendo origem nos planos emocionais e mentais para então, instalar-se no físico. Pois o corpo é um reflexo dos nossos pensamentos e crenças interiores.
Estar sempre “engolindo sapos” pode provocar uma indigestão ou até uma gastrite. É lógico, que apenas um evento dificilmente irá provocar uma doença, mas a constante com que repetimos essa ação no cotidiano, acaba formando bloqueios energéticos que se não sejam cuidados resultam em doença no corpo físico.
Os sintomas são apenas as formas físicas de expressar os nossos conflitos internos. Quando estamos em desequilíbrio emocional, o corpo reage fisicamente criando o sintoma que sinaliza a doença.
Cada doença possui uma relação específica com características psicossomáticas e neste ponto é onde a psicoaromaterapia possui sua mais potente ação, podendo ajudar no clareamento mental das condições psíquicas que tem gerado as doenças.
A Aromatologia, que provém da escola francesa, o uso interno de Óleos Essenciais é uma possibilidade importante a ser estudada, para atender a um tratamento específico. Mas tal uso deve ser cuidadoso e realizado sob a orientação e acompanhamento de um profissional - aromaterapeuta - especialista nesta técnica.
A Aromaterapia, apesar de milenar, foi desenvolvida e teve sua expansão no começo do século 19, na França, onde a aplicação, a inalação e as compressas tópicas são difundidas até hoje. Mas, quando a Aromaterapia foi introduzida na Grã-Bretanha, ela chegou principalmente como uma ferramenta para tratamentos terapêuticos estéticos, cosmetológicos. O código da terapia da beleza - a cosmetologia - não permitia, na época, o uso interno (via oral) e tal conceito acabou ficando como norma das primeiras associações de Aromaterapia, se propagando até hoje, mundo afora, sem um questionamento maior sobre a origem de tal normatização.
A escola de Aromaterapia britânica se restringiu genericamente ao uso dos OEs diluídos em um óleo carreador (base ou excipiente) para serem aplicados em massagens e tratamentos tópicos.
Entretanto, a Aromatologia, que preservou os ensinamentos originais da escola francesa, permite, sob a condição de muito estudo e aprofundamento, o uso interno de alguns óleos essenciais, obviamente, com dosagens e posologias indicadas por profissional autorizado e competente.
O público em geral necessita estar ciente do potencial de alguns OEs que, nas mãos de um terapeuta corretamente treinado, podem ser usados internamente com segurança e eficácia, fundamentados em pesquisa cientificas.
Os aromas dos óleos essenciais possuem um marcante impacto ao campo energético (aura) das pessoas e sobre suas emoções.
A Oligoaromaterapia é uma técnica de tratamento dentro da aromatologia, essencialmente usada para o tratamento do sistema emocional do ser.
Oligo: prefixo de origem grega e significa "pouco", "em pequeno numero". A pequena quantidade de um óleo essencial de alta qualidade que trás em sua consistência a energia da planta e com ela uma ação direta no sentido do olfato.
Através da Oligoaromaterapia há uma ação exercida sobre a mente e emoções humanas a partir de sensações que são estimuladas pelos característicos aromas de cada óleo alcançando a libertação de medos, dores e processos emocionais negativos registrados e podendo assim alcançar a total saúde e consequentemente felicidade.

Ajuda a tratar: estresse, depressão e desânimo, tensões pré-menstruais e musculares, pânico e traumas, ansiedade, falta de concentração, cansaço em geral, lapso de memória e demais emoções que são as causas de doenças já instaladas no físico.
Na consulta com o aromatologista define-se, através de analise energética e terapêutica, quais os sentimentos a serem trabalhados e com isso os aromas envolvidos, assim o paciente começa um tratamento que mensalmente pode ser avaliado até a cura.
Venha conhecer esta técnica que pode ajudá-lo alcançar a felicidade.

Lúcia H. Corá
Aromaterapeuta e Aromatologista

Texto revisado por: Cris

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 9


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

foto-autor
Conteúdo desenvolvido por: Lucia H. Corá   
Lucia Corá, empresária, terapeuta vibracional há mais de 15 anos. Formada em Reiki, Karuna Reiki, Magnified Healing®, Light Healing®, Theta Healing®, Cura Multidimensional Arcturiana, Aromatologia e TRF. Praticante Certificada de Registros Akáshicos
E-mail: [email protected] | Mais artigos.

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Corpo e Mente clicando aqui.

Veja também © Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade










Receba o SomosTodosUM
em primeira mão!
 
 
Ao se cadastrar, você receberá sempre em primeira mão, o mais variado conteúdo de Autoconhecimento, Astrologia, Numerologia, Horóscopo, e muito mais...


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa