auravide auravide

Dor em articulações... já foi ao dentista?

por Dr. Miguel Ferrari Júnior

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


 Nós somos organismos elétricos e a faixa de eletricidade que as células do nosso corpo trabalham normalmente é de: 20 a 70 milivolts, (que é a voltagem) Ex: em casa, as tomadas são de 110 volts e algumas 220 volts; 10 a 20 nano amperes (que é a corrente elétrica ex: o chuveiro da sua casa que tem 1100 watts, tem uma voltagem de 110 volts e corrente de 10 amperes.); 16 hertz a 20 kilo hertz que é a freqüência Ex: um rádio pode operar na freqüência de 1150 kilo hertz.

Podemos medir a eletricidade que cada dente gera com um aparelho de Biorressonância. Um aparelho de Biorressonância possui pontas de medição. Uma ponta toca no dente e a outra toca em algum lugar úmido da boca para fazer os dois pólos. Quando um dente está desequilibrado por cárie, doença nas gengivas, no canal, alergia a restauração, ele pode estar gerando acima de 100 milivolts e mais de 1000 nano amperes!! (muito mais do que as células do nosso corpo aguentam!) O dente joga essa eletricidade gerada no corpo da pessoa através dos nossos meridianos elétricos. Como as células só conseguem sobreviver até a faixa que eu falei anteriormente, elas são destruídas e morrem.

Dependendo do dente que está com problemas, um determinado grupo de órgãos e estruturas do corpo, vai sofrer o impacto do excesso de eletricidade. Ex: Se um pré-molar superior direito estiver gerando 250 mv e 4 m amperes de eletricidade para o corpo, os órgão afetados serão: a glândula TIMO, lóbulo posterior da hipófise, o intestino grosso direito, o pulmão direito, a palma da mão, o dedo maior do pé, o cotovelo, as células etmoidais e alguns segmentos cervicais e lombares da coluna vertebral. Muitas vezes no dente que está o problema, o paciente não sente dor nenhuma. Ele sente dor é em alguma articulação, parte do corpo, ou dor de cabeça... Ex: paciente que chegou ao consultório de cadeira de rodas e o problema era um siso....Uma vez extraído o dente do siso, o paciente voltou a andar!

Grande parte das pessoas tem problemas de oclusão. Por causa de restaurações, próteses, extrações, tratamento ortodônticos, os dentes tem suas posições normais alteradas e pode acontecer de ficarem com contatos prematuros, ou seja quando o paciente fecha a boca, 1 ou mais dentes tocam primeiro e são violentamente sobrecarregados. Quem for mais fraco, o osso ou o dente vai sofrer mais... o dente pode cair por perda óssea ou se desgastar completamente. São 700 kg de carga durante a mastigação. Além do que o dente com contato prematuro tem seu PH alterado, o que o predispõe a cáries... Muitas vezes, um ajuste oclusal livra o paciente de sérios problemas de saúde! Então, dores nos joelhos, cotovelos, tornozelos, mãos e pés, podem ser apenas sintomas de um desequilíbrio energético em um ou mais dentes.

Curiosidade...

Aparentemente inofensivos e até recomendados para a autolimpeza dos dentes, as gomas de mascar podem ser muito prejudiciais ao organismo como um todo. Como os chicletes hoje em dia são muito macios e não oferecem resistência mecânica durante a mastigação, os dentes ao mascar o chiclete recebem cargas de força constante e repetitiva, que é transmitida através da caixa craniana, para a coluna vertebral, causando problemas na ATM (articulação temporo mandibular) O atrito constante entre os dentes altera a voltagem e amperagem muito aumentada nos dentes. Essa carga elétrica anormal é descarregada nos órgãos de acordo com os meridianos elétricos de cada dente em relação ao corpo. Então, o hábito de mascar chicletes constantemente, literalmente "bagunça" as frequências do organismo, desarmoniza... Se uma pessoa saudável sofre com esse hábito, imagine alguém que está passando por uma doença, um desequilíbrio orgânico... Vamos, então, trocar de hábito e deixar os chicletes de lado.

Antes de fazer uma peregrinação em vão por ortopedistas, massagistas, endocrinologistas, geriatras e gastar muito dinheiro em ressonâncias magnéticas, radiografias e tomografias, antiinflamatórios, analgésicos, antidepressivos, etc.. consulte um dentista que esteja familiarizado com biorressonância. Você reencontrará seu bem-estar, sua prosperidade e sua felicidade!

 

Dra. Monica Regina Fernandes Ferrari  www.clinicaoscincopilares.com.br

CROSP-32465

Cirurgiã dentista-Homeopatia-Bioressonância - Hipnose fone: (11) 3062 3003/ 3081 0829

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 39

foto-autor
Sobre o Autor: Dr. Miguel Ferrari Júnior   
Dr. Miguel Ferrari Júnior, biofísico e psicólogo, atua há 16 anos na área da saúde. Realiza diagnósticos e tratamentos e usa como instrumento a medicina frequencial , a bioressonancia.
E-mail: dr.miguel@clinicaoscincopilares.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.
Publicado dia 11/8/2009 em Corpo e Mente

Veja também
artigo Você está pronto para o risco?
artigo Tempo
artigo Pressão emocional como forma de abuso
artigo Dicas para melhorar a Energia

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa