auravide auravide

O caminho do silêncio



Quando os sábios chineses falavam sobre o silêncio, o vazio, há mais de 6.000 anos, pode-se dizer que a vida naquela época era muito mais propícia ao encontro da própria essência, já que não havia sirenes de ambulância, aviões sobrevoando os telhados, o rádio ligado à toda, sons de motores, celulares tocando... O silêncio, de certa forma, fazia parte da sociedade.

Mas será que eles falavam deste silêncio exterior? Não, absolutamente, não. O barulho que incomodava os sábios há tanto tempo existe até hoje, e pode nos levar à neurose, às fobias, aos medos, às angústias, aos julgamentos errôneos... é o barulho da mente. Desde aquele tempo, e provavelmente já há 6 milhões de anos, quando os homens-macacos começaram a criar suas primeiras “neuras”, a mente inquieta incomodava a descoberta do silêncio interior.

O que significa este silêncio?

Este silêncio é a origem de tudo. É o contato com o Todo que somos. É a descoberta da potencialidade infinita que nos é concedida eternamente. É o berço das emoções prazerosas, do amor e do deleite. É o nada e por isso é o Tudo. Este silêncio convive com toda esta aparência material que percebemos com nossos órgãos dos cinco sentidos (e até o sexto) e não se abala em nada. O silêncio existe na dor, na guerra, no assalto, na doença. O silêncio existe no amor, no sexo, no prazer, na oração. O silêncio existe no aqui e agora. O silêncio não se extingue. Todo o resto, sim.

O não julgar

Poderíamos dizer que um monge, preso à rotina do monastério, longe das vicissitudes da vida, está mais propício a encontrar este silêncio. Mas isto não é a realidade. Qualquer um está em posse deste silêncio. Como foi dito, o silêncio não é exterior, é interior. E a nossa vida aparentemente caótica é o melhor monastério que podemos querer para viver o silêncio, ou pelo menos, estar em contato com ele.

Observe a fila no caixa do supermercado. Olhe atentamente cada pessoa, cada gôndola, cada gesto. Ouça. Sinta. E não julgue, em hipótese nenhuma. Simplesmente perceba este “filme” passando e sinta internamente o que ele lhe provoca. Não julgue suas sensações também. Podem ser incômodas ou alegres ou de insatisfação. Deixe-as serem o que são. Todas as sensações só têm o valor que damos a ela. Se não damos valor nenhum a elas, elas se desfazem como a fumaça de um cigarro no ar.

Faça isto no trânsito, em casa, no cabeleireiro, nas refeições. Aja assim com seu marido, seus filhos, seus colegas de trabalho. Observação sem julgamento. Você irá perceber, pelo menos em algumas vezes, uma enorme leveza que o não julgar proporciona. Uma imensa sensação de satisfação.

Esta satisfação lhe dá poder. O poder da sabedoria, do saber escolher com propriedade e utilizando o lado criativo do cérebro. Aprendendo a utilizar este poder adquire-se um feeling que permite saber a hora de parar uma discussão, quando escolher tomar uma decisão importante, qual o melhor caminho para ser tomado. Tudo isso sem pensar. Tudo isso sem estresse mental. Feeling é sensação, não é diálogo interno.

Assim, a vida transforma-se repentinamente num jogo de cores, vibrações, sensações, oportunidades. As dores desaparecem. O medo desaparece. A insatisfação desaparece. A sabedoria de 6.000 anos atrás encontra o ser humano do século XXI trazendo-lhe um benefício que toda a modernidade tecnológica não é capaz de dar: a paz interior.
 

Alex Possato é professor de constelação familiar sistêmica e terapeuta sistêmico. Saiba mais, clicando aqui

Texto revisado por Cris


Publicado dia 23/4/2007
  estamos online

Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 60



foto-autor
Autor: Alex Possato   
Terapeuta sistêmico e trainer de cursos de formação em constelação familiar sistêmica
E-mail: alexpossato@hotmail.com | Mais artigos.

Veja também
© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.




publicidade











auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa