auravide auravide

Porque as dietas não funcionam

por Andre Lima

Publicado dia 10/3/2009 em Corpo e Mente

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


A todo momento surgem dietas inovadoras. Dieta da lua, do carboidrato, da proteína, do tipo sanguíneo, shakes para substituir refeições, suplementos, remédios para tirar fome... Livros e mais livros sobre o assunto, revistas e artigos na internet dando "dicas" para emagrecimento.

O fato é que a vasta maioria, mesmo estando acima do peso e afirmando que deseja seguir o regime, simplesmente não vai conseguir por muito tempo. Normalmente abandonarão a dieta após um tempo e vão "achar" depois todos os quilos que "perderam". O famoso efeito sanfona. Raros são os casos de pessoas que perdem o peso permanentemente. E as que conseguem, fazem um grande esforço e um sacrifício eterno para manter.

O problema não está na dieta, e sim, no interior, no emocional de cada pessoa. Quais motivos nos levam a comer além do que necessitamos? Não parece algo antinatural? Nosso organismo é perfeito e a fome deveria ser o suficiente apenas para saciar nossas necessidades fisiológicas. Comemos além da fome física.

Veja que animais que vivem na natureza, não sofrem com problema de peso extra. Já alguns bichinhos de estimação sofrem, depende das condições onde moram, se passeiam, se ganham atenção dos donos e etc...

Tudo está absolutamente ligado à parte emocional. O desejo irresistível de comer além do que o organismo precisa para se manter, vem para compensar inquietações interiores. Problemas emocionais, raivas, frustrações, mágoas, solidão, culpa, medo, stress, rejeição, abandono, problemas familiares, e etc... Tudo isso junto começa a fazer pressão no nosso sistema emocional, gerando uma inquietação que chamamos de "ansiedade". Comer é um prazer natural, que nos traz um conforto momentâneo.

Quanto mais inquietos estivermos, mas vamos necessitar de um prazer como a comida para nos sentirmos bem. O problema é que a sensação de satisfação é passageira. Logo que a barriga começa a esvaziar, o sentimento de inquietação aparecerá, levando a pessoa a comer de novo além do que necessita.

Esse mesmo processo é o que leva as pessoas a outras compulsões como: cigarro, drogas, bebidas, diversão em excesso, sexo em excesso, navegar na internet horas a fio, assistir televisão demais, trabalhar demais... Quando alguém tenta controlar a quantidade de comida usando apenas a força de vontade, a tendência é que vá buscar outros hábitos para compensar. E normalmente são hábitos negativos. Ou então vai ficar mais nervoso e ansioso descontando nas pessoas ao redor.

As comidas mais calóricas - doces, massas e gorduras - são as que provocam maior estímulo e maior prazer, e por isso são as que despertam mais desejo quando estamos ansiosos. Eu nunca vi ninguém ter um ataque e ficar compulsivo por cenoura, brócolis ou alface.

Então, qual seria a solução? Trabalhar e resolver profundamente aspectos emocionais que estão guardados. Isso traz redução da ansiedade, calma e paz interior. Dessa maneira, não vai haver razão para se descontar nada na comida.  As dietas não resolvem porque não vão resolver a origem do problema. Você pode passar a vida inteira tentando se controlar para não comer em excesso ou não comer porcaria, ou então seguir um caminho de resolver suas questões e, assim, emagrecer sem sacrifício. Isso trará reflexos positivos em várias áreas da sua vida.

Interessante o que ocorreu comigo há uns dois anos. Estava bem acima do meu peso. O estresse no trabalho e vários problemas que eu já carregava estavam me deixando muito ansioso. Toda noite, precisava comer muito antes de dormir. Era um desejo quase que incontrolável. Se não comesse bastante, não me aquietava. Rodízio de pizza e sushi toda semana era lei pra mim.  Quando não ia ficava até zangado.

Comecei a me trabalhar com a *EFT (técnica para autolimpeza emocional, baixe o manual gratuito aqui). Tudo que aparecia de negativo, eu ia eliminando com a técnica. O resultado disso, a médio prazo, foi uma diminuição bem considerável da ansiedade. Comecei a comer menos naturalmente. As idas aos rodízios foram diminuindo. Mesmo que eu tentasse comer muito, nem conseguia mais. O desejo por comidas calóricas também foi diminuindo. É interessante que começou a surgir um desejo natural por comidas mais saudáveis: menos carne, menos gordura, menos laticínios, mais frutas, verduras e cereais.

Resultado final: perdi 9 quilos, sem fazer nenhum esforço pra isso. Hoje o peso se mantém sem que eu tenha que me controlar. Sei que se começar a engordar, é porque existe algo emocional a ser trabalhado.

Claro que ainda gosto de algumas coisas nem tão saudáveis, como uma boa pizza, por exemplo, mas nunca na quantidade de antes. Hoje, eu percebo que os momentos que mais tenho vontade de comer pizza são nos dias de final de semana que eu escolho não sair e ficar em casa escrevendo, ou fazendo nada mesmo. É quase irresistível! Comer para compensar o sentimento de estar sozinho.

Perceba, então, que o excesso de peso é apenas um sintoma. Enquanto ele existir, é sinal de que está se compensado algo, ou muitas coisas... E a lista pode ser grande!

André Lima

*EFT - Emotional Freedom Techniques - Técnica que ensina a desbloquear a energia estagnada nos meridianos, de forma fácil, rápida e extremamente eficaz, proporcionando a cura para questões físicas e emocionais. Você mesmo pode se autoaplicar o método. Para receber manual gratuito da técnica e já começar a se beneficiar, acesse este link
 

Texto revisado
 


Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 20

foto-autor
Sobre o Autor: Andre Lima   
André Lima é engenheiro e trabalha exclusivamente com autoconhecimento desde 2006. Vem divulgando e esinando em palestras e cursos presenciais e online sobre a EFT - Emotional Freedom Techniques, uma técnica revolucionária, simples e eficaz, para limpeza e cura de todos os tipos de emoções, pensamentos e crenças limitantes.
E-mail: andre@eftbr.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Pontes Imagináveis
artigo Auto avaliação
artigo Recado espiritual de um Amparador Budista
artigo O que significa viver no presente?

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa