Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

A Ordem Sagrada dos Elfos

por Teresa Cristina Pascotto

Publicado dia 27/2/2019 em Espiritualidade

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Vou falar sobre um assunto, que talvez muitos não acreditem. Se você não gostar do que este texto contém, por favor, simplesmente feche a página e busque algo que lhe agrade. Não se ocupe de “emanar energias negativas de crítica” sobre as frequências de luz manifestadas neste texto. Não perca seu tempo e sua energia com isso. Respeito a crença e a descrença de cada um. Respeite também.

No final do texto, talvez entenderão que escrevi sobre isto, pois “assim os elfos queriam”...

Os Elfos são seres dévicos provenientes do Reino Élfico, que estão ativos, vivendo em inúmeros reinos, galáxias e universos.

Já estiveram encarnados como seres humanos aqui na Terra, há milênios, porém com frequências e corpos mais luminosos, pois nessa “época” as frequências terrenas ainda eram menos densas do que são hoje. Por isso, eles viveram entre nós, como seres “incomuns”, com capacidades e potencialidades sagradas que nem é possível descrever em nossa linguagem atual.

Eles eram “a ordem sagrada da vida”, eles colocavam em ordem tudo aquilo que estivesse em desarmonia e dissonância com o sagrado, dentro das limitações da Terra. Nesse “período” (dentro de nossa limitação do espaço-tempo linear) tudo era mais fluido, mais sutil, por isso a desordem era facilmente, apenas com o olhar e a presença de um ser élfico, “colocada em ordem sagrada”. Quer essa desordem fosse apenas em um indivíduo ou um grupo de indivíduos, ou até mesmo nas condições criadas pelas pessoas. A forma como os seres élficos viam e veem a “ordem sagrada” é totalmente diferente de tudo o que possamos imaginar.

Ao longo do tempo, muitos deixaram a Terra, mas ainda existem muitos elfos encarnados, como seres humanos comuns, porém, com poderes e potenciais muitos intensos e a grande maioria ainda mantém esses poderes de forma latente. Poucos são os seres élficos encarnados na Terra que “sabem que são elfos”, que sabem o poder que tem e já os desenvolveram parcialmente. Agora é tempo de esses “agentes sagrados”, da Ordem Sagrada dos Elfos, estarem mais próximos à Terra e, portanto, ajudando os seres humanos a cumprirem sua missão de vida e ajudando esses humanos/elfos a se desenvolverem de forma adequada e a aprenderem a suportar “tamanha carga de energia suprema” que carregam e que precisa aflorar, ao mesmo tempo em que precisam receber e ancorar em si, mais energias élficas, agora provenientes diretamente do Reino Élfico, trazidas por esses Seres. Isto significa que a Terra está evoluindo e, portanto, sendo capaz, assim como a humanidade, de receber essas frequências sagradas e poderosas que são verdadeiros “ajustadores” naturais e poderosos. Sempre trabalhei e ainda trabalho com os Seres Élficos.

Eles são bem intensos e firmes em suas intenções. São seres extremamente amorosos, compassivos, sábios e "justos". Eles trazem os códigos sagrados da capacidade de "se importar verdadeiramente" com os outros humanos e com seres variados. Códigos que precisam ser inseridos e expressos, manifestados pelos seres humanos. O "mundo ideal" é onde todos "se importam" com o bem-estar de todos, uns com os outros.

Novos seres humanos, que são elfos em essência, começarão a encarnar novamente na Terra. Isto é necessário para os ajustes e evolução do planeta. Para a vida terrena cheia de amor e compaixão. Tudo em comunhão com o Sagrado, com o desejo e a vontade do Divino Criador.

Eles ajudam, por ex., a trazer “ajustes internos e individuais”, ajudam a interditar o ego e desbloquear tudo o que o ego criou de sabotagem para que a pessoa não realize os anseios de sua alma. Se o ego estiver criando medo na pessoa, para que ela não consiga fazer o que sua alma deseja, os elfos poderão ajudar a “fazer o que precisa ser feito”. Ou seja, eles poderão tanto intensificar o medo para que o ego não o suporte mais e, assim, se desapegue do medo, liberando seu impulso criativo ou, dependendo do caso, poderão desbloquear e fragmentar a frequência do medo incapacitante, levando a pessoa então a “fazer o que sua alma deseja”.

Eles ajudam todos os seres humanos que perseveram em sua jornada, a avançarem e a superarem suas dificuldades e bloqueios, para alcançarem seus objetivos de vida, para irem além de suas limitações. São excelentes companheiros de jornada. Para eles, algo, alguém ou um cenário, contexto ou situação no mundo em geral, que esteja em dissonância com a ordem sagrada divina, poderá ser conduzido à uma ordem que, para nós, pode parecer desordem maior ou caos total ou, ainda, destruição. Se uma situação está caótica, por conta dos domínios mentais e psíquicos de muitas pessoas, eles poderão tomar a decisão de “acabar com aquilo”, que poderá ser levar à destruição, a acabar literalmente. Acabar tanto com o local físico que está servindo de base/estrutura para essas pessoas em desequilíbrio, tanto como acabar com as pessoas envolvidas.

Seria o caso de tragédias que vemos todos os dias. Aquelas em que morrem muitas pessoas de forma drástica.

Numa certa tragédia que envolva responsáveis por ela e também vítimas da irresponsabilidade de alguns, para os elfos é algo que precisa acontecer. Eles conhecem as frequências de densidade muito bem, e se a energia-consciência como uma grande massa, da irresponsabilidade, desrespeito e falta de cuidados com os outros, precisa ser quebrada, destruída, assim será. Se esse tal cenário contém essa energia-consciência que é mantida e nutrida, e precisa urgentemente ser desintegrada, para não ajudar, por ressonância, a criar outras massas de energia-consciência de desrespeito à vida, então isso precisará ser quebrado também para não criar mais “disso’ no planeta. Os elfos entendem isso como ajustes fundamentais e necessários.

Além disso, ao ocorrer uma tragédia por conta desses motivos, todas as pessoas que tomarem conhecimento do ocorrido, serão tocadas em seu íntimo e perceberão as consequências graves que a falta de respeito ao outro pode causar. Será também um toque consciencial...

Poderão perguntar: mas e as vítimas, que são inocentes? Ou seja, pelo erro e irresponsabilidade ou “loucura” de alguns, outros que são inocentes sofrem consequências graves como a morte, por exemplo. É aqui que está o mistério com relação ao tipo de entendimento dos elfos e suas devidas tomadas de decisão. Mas isto, somente nos casos mais graves, nos grandes contextos que envolvem muitas pessoas, onde essa massa negra e destrutiva ocorre e precisa ser quebrada, antes que vá se unir com outras massas de igual conteúdo e densidade maléfica, potencializando-a.

Para eles, neste exemplo, todos os que estão envolvidos em uma tragédia são, de certa forma, responsáveis. Se não for de forma direta, será de forma indireta. No mínimo essas pessoas “inocentes” possuem a mesma frequência em termos de atitudes em relação à vida e aos outros. Que seja numa micro ou numa macro situação ou relação, essas pessoas, vítimas da tragédia, também agem de forma irresponsável ou descuidada em suas vidas, e até mesmo de forma egoísta com relação aos outros. Muitas pessoas unidas com afinidades frequenciais, dentro de uma empresa, por exemplo, são igualmente responsáveis ou até mesmo coniventes (inconscientemente) com aqueles de posição superior na hierarquia.

Muitos “irresponsáveis com relação à vida dos outros” em situações corriqueiras, desde o egoísmo e falta de atenção ao outro, até com coisas mais graves, juntos, formam um forte campo energético denso e destrutivo, de irresponsabilidade e de indiferença à vida humana. São aqueles que não se importam com ninguém, a não ser consigo mesmos. O não se importar é, no mínimo, não sentir compaixão. A pessoa pode não ter nada a fazer para ajudar alguém ou não saber ajudar, mas se pelo menos ela se importa e deseja que o melhor possa acontecer com certa pessoa, ela emana frequências de compaixão, que poderão reverberar pelo todo, e se não for diretamente por ela, será a partir dela, pelo simples fato de ter se importado, ela deixou a mensagem para o Todo e, de alguma forma, alguém fará algo pela pessoa que precisa de ajuda. Assim, ela direcionou sua intenção por se importar.

A grande maioria das pessoas não se importa com o outro. Se importam apenas consigo mesmas. Se fazem algo pelo outro, a “tal caridade”, rarissimamente, será pela compaixão. Em geral, fazem caridade para se sentirem bem, para provarem para Deus que são boas. Não têm a ver com o outro, mesmo que haja uma mínima fração de bondade em si.

Enfim, um grupo de pessoas que fingem que se importam e fingem que são boas – sabemos muito que socialmente as pessoas são pura máscara e falsidade, são amáveis no mundo e tiranos em casa, p. ex. – se atrairão pelos contextos, ou emprego, p.ex., com os quais se afinizam, tanto nas “coisas boas” quanto nesses aspectos de indiferença ao outro. Então, quando por conta de erro humano, por não se importarem com a segurança de todos, alguma tragédia que poderia ser evitada, acontece, e mata inúmeros “inocentes”, é aqui que o senso de ajustes e de “justiça” dos elfos entra. Eles entendem que todos os que estavam ali, participando do cenário, do desenvolvimento da empresa, estavam igualmente contribuindo para fortalecer o campo energético denso e negativo do “não se importar” e isso, ao longo de um período, se condensa gravemente, e os elfos fazem com que “estoure”. Esse campo “explode”, causando a ruptura, a destruição e tragédia com algumas ou muitas mortes. Todos os que morreram na tal tragédia, são “coniventes” com o “erro vibracional” que imperava e se sustentava na empresa, eles nutriam com seu egoísmo e com sua falsa bondade.

Isso não significa que são culpados como os diretamente responsáveis pela tragédia. Mas contribuem muito para isso acontecer. Por exemplo, eles poderão ser sorridentes e amistosos no mundo, mas quando estão no seu ambiente íntimo, estão sempre com inveja, cobiça, ódio de quem tem o que eles não tem, estão às vezes tratando mal seus familiares, ou desprezando-os, não ajudando ou acolhendo-os em suas necessidades, e estas simples condições, causam tragédias internas, sofrimentos variados nas pessoas, a tragédia da dor do desprezo, da solidão, que poderá condenar uma pessoa a uma síndrome do pânico, simplesmente, talvez, porque um pai, tão “legal” com os outros, é sempre crítico e agressivo com seu filho e este vive com medo do pai, o que acaba gerando pânico e destruindo a vida da criança. Isto é uma grave tragédia causada por um pai.

Então, se esse pai, o tal bonzinho e bacana com os outros no seu trabalho, morre numa tragédia, todos dirão: coitado, era uma pessoa tão boa, tão generosa... Mas ninguém sabe o quanto era destruidor e torturador do próprio filho, em quem descarregava suas frustrações. Essa era a verdadeira identidade desse “pobre trabalhador” e pai. Ele, juntamente com os que ali estavam, na empresa, estavam unidos, criando o campo energético destrutivo.

Alguns poderão ser “realmente inocentes” dentro desse cenário de tragédia, não continham essa frequência de irresponsabilidade e desprezo aos outros. Esses poderão ser seres mais elevados, em termos de jornada de alma, que estarão ali, na hora da tragédia, e morrerão, mas isso será a missão deles: imediatamente após a morte, em espírito, estarão ali, acolhendo os falsos e desprezadores, dando a eles a frequência da compaixão, oferecendo para os egoístas, amorosamente, sem julgamento, aquilo que tanto recusaram aos outros. Grande lição! A morte em si, não é um castigo, é apenas a consequência da jornada escolhida pela alma.

Tudo isso é organizado e planejado pela ordem sagrada e divina da vida, pelo Criador, o Deus Pai-Mãe.

Nos primórdios, eles eram mais presentes quase que em sua expressão de luz, depois foram se adaptando ao corpo humano, mas sempre tiveram uma força e luz diferenciada, sempre foram seres “diferentes” e aparentemente mais frios, porém essa frieza entendida pelos humanos, é distorcida, pois os elfos sempre foram e são extremamente amorosos e compassivos. Eles são apenas mais equilibrados e distanciados das “paixões desequilibradas” humanas. Apesar de nos dias atuais não termos mais esses seres de forma tão mais perceptível e luminosa, mas que ainda encarnam como humanos, ainda assim, eles continuam sendo poderosos e continuam participando da ordem sagrada dos elfos, que é a ordem sagrada e divina de Deus.

Alguns seres élficos ainda encarnaram e encarnam, com frequências altíssimas, porém apenas “interiorizados no âmago da essência divina” do ser, que tem como origem de essência, a frequência do Reino Élfico.

Mas a densidade da Terra, na 3D, principalmente por conta do extremo racionalismo que impera, mesmo com as pessoas buscando a espiritualidade, impede que essa manifestação élfica seja mais livre.

Como apesar da densidade, estamos recebendo muita ajuda cósmica e muitos influxos de luz de frequências elevadíssimas, como a frequência do Espírito Santo está “conseguindo” adentrar mais essa densidade terrena, assim como a consciência Crística, isso também vai proporcionando uma melhora e um facilitador, para o despertar e o expressar dos seres élficos que estão encarnados.

Os exemplos que citei acima são somente os acontecimentos mais graves, para retratar o poder dos elfos no sentido de trazer ordem sagrada à Terra. Mas o princípio da realidade élfica, é o amor, a paz e a vida plena e realizada.

Não precisamos de catástrofes e tragédias em massa para a ordem acontecer. Se cada um cuidar de si mesmo e refletir sobre que possíveis tragédias possa estar gerando nos outros, por seu simples egoísmo ou indiferença, cada um cuidará de sua densidade e não contribuirá para criar a grande massa de energia densa e destruitiva.

 Mas muitas vezes, é por conta de algo assim, que os seres humanos ficam impactados e, de alguma forma, por força das energias divinas, são intuídos e tocados em seu íntimo sobre essas verdades, é como se no “fundo”, todos soubessem que a falta de compaixão é que levou a tragédia acontecer. Toques conscienciais divinos..

A ordem divina e sagrada de “Deus”, implica em conduzir os seres humanos a se “importarem de verdade” uns com os outros. É o despertar do dom sagrado do "se importar", em qualquer momento, em qualquer interação humana, com/em qualquer ser humano, pessoa, profissional, pai/mãe, amigo, companheiro...

As condições simples e corriqueiras que as pessoas vivem, "não se importando" com os outros, vão se unindo em frequências, formando uma grande e obscura massa densa de desrespeito e egoísmo. Esta massa vai envolvendo as pessoas e levando-as a ficarem mais egoístas, gerando mais situações de dor e sofrimento para todos.

Portanto, por condições desde as aparentemente mais simples e as mais graves, da grande desordem (não) divina que impera na humanidade, a ordem sagrada dos elfos, está formada e trazendo Seres Élficos vindos diretamente do Reino Élfico, para atuar juntamente com os Mestres, Mentores, Guias, Amparadores, Seres Estelares, para colaborarem com a mudança real que precisa acontecer na Terra, na humanidade.

O “toque divino e sagrado” desses seres, é no sentido de sensibilizar as pessoas para que comecem a se importar. O que ocorrerá com cada um, será apenas consequência de suas escolhas de se abrirem para um fluxo maior do divino e sagrado, e terem seu impulso criativo e amoroso expressado, ou bloquearem esse impulso criativo e sofrerem.

Os Seres Élficos da Ordem Sagrada, irão atuar também, diretamente junto aos seres humanos encarnados que são elfos em sua essência. Isto porque, é preciso um despertar desse poder e um encorajamento para os humanos que são “elfos”, para atuarem divinamente na Terra, dando apoio à humanidade, despertando a compaixão e o amor.

Está tudo em desordem. A Ordem Divina e Sagrada da Vida e de cada ser em sua centelha individuada, será o foco da espiritualidade e do Universo neste momento.

Desejem, permitam e tenham a intenção de se abrirem, em comunhão com os Seres Sagrados, os seus Mentores, para que os impulsos sagrados de luz, amor compaixão e ordem, adentrem e organizem o seu ser integral, em todas as suas dimensões. Naturalmente você começará a sentir mais leveza e compaixão. Sua vida fluirá mais.

Não pense nesses Seres Élficos de maneira mítica, não vá para o caminho da fantasia. Assim como os Seres do Reino Angélico existem e atuam entre nós, estes seres também, além de tantos outros seres, de tantos outros Reinos.

Assim como há seres de outras galáxias, planetas, reinos e universos, encarnados na Terra, como seres humanos, assim também é com os Seres Élficos e inclusive com os Seres Angélicos. Expanda sua consciência, não fique preso ao pensamento limitado da “mente/ego”, ative em você a parte de você que acredita, não ative o cético em você...

Viva a Luz... Viva o amor...

Texto Revisado


Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 111

Sobre o Autor: Teresa Cristina Pascotto   
Atuo a partir de meus dons naturais, sou sensitiva, possuo uma capacidade de percepção extrassensorial em níveis transcendes. Desenvolvi a Terapia Transcendente, a qual objetiva conduzir à Cura Real e à libertação integral do ser. Sou uma pesquisadora do inconsciente profundo, para descobrir seus mistérios e as chaves para a libertação real.
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Cuide da sua energia
artigo O Invisível, visível, 2
artigo Quando as Estrelas Descem Para Dançar no Coração do Homem
artigo O poder do desinteresse

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.








horoscopo



auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa