auravide auravide

CLONAGEM HUMANA e ESPIRITUALIDADE

por Maísa Intelisano

Publicado dia 9/9/2009 em Espiritualidade

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


A clonagem nada mais é que a cópia idêntica de um indivíduo ou partes dele, obtida de forma artificial. Ela mesma não é positiva nem negativa. É apenas uma técnica de reprodução humana por meio de cópias de seres humanos já existentes. O que se faz com essa técnica é que pode torná-la positiva ou negativa, de acordo com os fins que se pretendem e também com o efeitos que se produzem a partir da sua utilização.


A clonagem não é assunto novo no meio científico, mas só se tornou público recentemente com a história da Dolly. Os clones já são largamente utilizados para reproduzir animais e plantas geneticamente mais fortes, mais produtivos e melhor adaptados. Nesse caso, a clonagem seria uma técnica positiva, usada para melhorar as espécies animais e vegetais para a humanidade.

Já com relação à clonagem humana, a coisa é um pouco diferente. Como já dissemos, clonar um ser humano, seria, basicamente, fazer uma cópia aritificial desse ser humano. Seria imitar, artificialmente, o que a natureza faz espontaneamente, quando gera gêmeos idênticos, já que gêmeos idênticos são clones naturais.

Todos nós conhecemos, pelo menos, um par de gêmeos idênticos e sabemos que, por mais parecidos que sejam, eles, na verdade, não são exatamente iguais. Resta-nos perguntar por quê?

Embora eles tenham corpos físicos exatamente iguais, inclusive do ponto de vista genético (o mapa de genes deles é exatamente igual, pois eram um único corpo - gerado por apenas um espermatozóide e um óvulo - que, por algum processo da natureza que a ciência ainda não conhece bem, se multiplicou em dois corpos - ou até em mais, às vezes), eles não são o mesmo espírito, pois um mesmo espírito não pode dar vida a dois corpos diferentes ao mesmo tempo, mesmo que esses corpos sejam geneticamente iguais. Ora, se eles não são o mesmo espírito, eles também não são a mesma pessoa, pois são individualidades diferentes, já que a individualidade está sediada no espírito, conforme entendem as doutrinas espiritualistas.

Assim, espíritos diferentes, pessoas diferentes. Ainda que os corpos sejam absolutamente iguais, trata-se de duas pessoas diferentes. Querer que dois gêmeos idênticos (ou dois clones) sejam absolutamente iguais, seria a mesma coisa que querer que duas pessoas se tornassem idênticas, física e psicologicamente, apenas por vestirem a mesma roupa, já que o corpo físico é como uma roupa que o espírito usa durante uma encarnação e troca para a encarnação seguinte.

Agora, digamos que um cientista consiga reproduzir perfeitamente o corpo de uma pessoa já falecida. Do ponto de vista espiritual, poderíamos dizer que existe a possibilidade de que o mesmo espírito reencarnasse no novo corpo clonado. Sim, isso é perfeitamente possível. Mas será que assim essas pessoas seriam exatamente iguais?

A resposta seria não, simplesmente porque as características da personalidade de um espírito mudam minuto a minuto, durante uma mesma vida, nos intervalos entre as vidas e, consequentemente, de uma vida para outra, e podem ser influenciadas pelo meio em que vive, pelo ambiente, época, cultura, família, cidade, educação, etc.

Mas nós podemos ir mais longe e supor que um desses cientistas consiga duplicar o corpo de alguém falecido e consiga também, proposital ou acidentalmente, fazer com que, nesse corpo, reencarne o mesmo espírito. E que este cientista, sendo espiritualista e querendo "enganar a natureza", isole esse espírito, reencarnado numa cópia física de seu último corpo, num mundo fictício (como naquele filme com Jim Carrey- O Show de Truman), um mundo exatamente igual àquele em que ele foi criado e viveu na sua vida anterior, enfrentando os mesmos fatos, passando pelos mesmos acontecimentos, situações, experiências, com um corpo igual ao clonado. Será que assim esse cientista obteria um clone perfeitamente igual à pessoa falecida?

Novamente a resposta seria NÃO, simplesmente porque, entre uma vida e outra, no período em que esteve desencarnado entre as duas encarnações com corpos iguais, aquele espírito viveu e aprendeu várias coisas e já não reagirá da mesma forma às experiências a que for submetido em vida, mesmo que essas experiências sejam exatamente iguais às da vida anterior.

O espírito é algo extremamente dinâmico, progressivo, que evolui constantemente, e, embora sejamos teimosos e gostemos de ficar marcando passo em comportamentos errados, não conseguimos ficar tão estáticos e estacionados a ponto de sermos iguais em duas vidas consecutivas.

Portanto, a clonagem pode até dar certo do ponto de vista físico, mas nunca vai dar certo do ponto de vista espiritual.

A par dos aspectos espirituais, que podem ser considerados apenas uma questão de fé, não podemos deixar de considerar os aspectos éticos e legais envolvidos na clonagem humana, como por exemplo:


- o indivíduo gerado será "irmão" ou "filho" do indivíduo original?

- supondo que se consiga fazer um clone de um herdeiro vivo de vasta fortuna, esse clone teria os mesmos direitos de família e de herança que o seu "irmão" que lhe deu origem?

- supondo que se clone alguém falecido, o cônjuge em situação de viuvez deixaria de ser viúvo?

- supondo que se clone alguém com doença genética desconhecida no momento da clonagem, esse clone teria direito de mover ação contra seu "irmão", por herança genética defeituosa?

E assim poderíamos listar uma série enorme de implicações sérias, tanto do ponto de vista ético, como do ponto de vista legal, para as quais os seres humanos ainda não estão preparados.

No entanto, não podemos simplesmente descartar uma descoberta científica apenas por ainda não sermos capazes de lidar com ela. A clonagem humana é uma possibilidade real e precisamos exercitar nossa consciência para essa possibilidade.

Além disso, a clonagem humana não representa apenas aspectos negativos. A clonagem de órgãos humanos, por exemplo, pode vir a ser a solução definitiva para a fila mundial de candidatos a transplantes, a cura para diversas doenças hoje consideradas incuráveis ou a grande descoberta para a "produção" em série de próteses naturais.

As doutrinas espiritualistas entendem que Deus, o Criador,  não erra e não comete injustiças, e que tudo o que permite ou concede o faz tendo em vista sempre o bem maior. Se a clonagem humana vier a ser uma realidade efetivae largamente usada, deveremos estar prontos para nos perguntarmos o que Deus pretende que aprendamos e venhamos a conquistar com ela.

Mesmo nos nossos erros Deus nos permite aprender e crescer, e com a clonagem não será diferente. Ainda que o homem corrompa a clonagem, utilizando-a para fins ilícitos e imorais, ela poderá ser a experiência que forçará a ciência a olhar mais detidamente para o ser humano e se perguntar: o que há no homem, além do corpo e da mente, que o torna tão único e original, que não somos capazes de copiá-lo?

Talvez esteja aí a oportunidade que Deus está nos dando para que, finalmente, reconheçamos a existência do espírito.


Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 14

foto-autor
Sobre o Autor: Maísa Intelisano   
Psicoterapeuta com formação em Abordagem Transpessoal, Constelações Familiares, Terapia Regressiva, Florais de Bach e Reiki II, é também tradutora e revisora; palestrante e instrutora em cursos sobre espiritualidade e mediunidade; e fundadora e presidente do Instituto ARCA de Mediunidade e Espiritualidade.
E-mail: maisa@maisaintelisano.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.


Veja também
artigo Pontes Imagináveis
artigo Auto avaliação
artigo Recado espiritual de um Amparador Budista
artigo O que significa viver no presente?

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa