auravide auravide

O Reencontro das Trevas para a Luz

por Wilson Francisco

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp


Traição e suicídio encerraram a história de amor, cujos protagonistas foram Henri e Berthe.
Há no Universo paralelo, espiritual, escolas, laboratórios e Estâncias preparatórias para a Reencarnação. 
Os personagens deste episódio estão ali, diante dos Mestres e Engenheiros extrafísicos, que orientam e preparam renascimentos na Terra.

- Berthe, minha querida filha, que decides a teu favor? - indagou Rômulo, com lágrimas no coração.
Sem erguer a cabeça e fitar quem quer que fosse, Berthe respondeu incisivamente:
- Sei que sou uma desgraçada. Nada escolho, nada posso escolher. Entrego-me à Lei de Deus.

Rômulo sentenciou, aprovando o que ouvia:
- A Lei determina: "A cada um será dado segundo as próprias obras".

Você realizou a traição, Berthe de Sourmeville, receberás traição. Criaste ódio no coração dos que te amaram. Encontrarás ódio em torno de ti, minha filha.
Entretanto, tudo isso poderá ser aliviado. Dependerá do teu proceder diário, na próxima vida física.

É o que mereço: respondeu ela.
- Que Deus se compadeça de ti, concluiu o Espírito.

Num impulso de compaixão, outro personagem Thom, se adianta e diz, com emoção:

- Ofereço-me para auxiliá-la no que for possível.
- Peço permissão para reencarnar a seu lado, como seu irmão mais velho.

Seu desejo será atendido. Sim acompanhará a amiga, nessa nova jornada.

No mesmo cenário, está Henri, que se suicidara, por causa da traição da mulher amada.

- Quanto a ti, Henri, aconselho-te a tomar novo corpo o mais depressa possível.

Precisarás completar a existência que você cortou, aos vinte e sete anos de idade.
E assim curar também esse traumatismo que infelicita teu ser espiritual.
É preciso estar de novo em um corpo carnal para corrigir tal anormalidade.

Henri, após ser traído por Berthe se jogou num penhasco, se suicidando. E sofria, no Além as angústias da culpa, do remorso e do medo.
Acolhido pela Lei da Compaixão, é premiado com esse Reencontro.

Isso, no entanto, não tira a sua responsabilidade. Cometeu o delito e agora deve se reconciliar com Deus e consigo próprio.

A dor é a grande educadora do nosso caráter. Tu mesmo traçaste o teu destino, no dia em que te arrojaste de uma montanha para deixar de sofrer a dor de viver sem a mulher amada. 
O suicídio terá de seguir a sua rotina sinistra até que se extinga o último vestígio dele nas tuas vibrações gerais.

Serás irmão carnal de Louis, protagonista  da traição, a fim de mais facilmente acontecer a reconciliação.
Algoz e vítima vão juntos, viver uma nova existência.

Você, Henri, fez créditos expressivos em sua vida, foste amigo e dedicado em servir ao próximo, liberal, desprendido dos bens terrestres. Então, renascerás em condições financeiras favoráveis e conforto de que necessitarás na vida difícil que deverá levar.

As dificuldades naturais provocadas pelo suicídio são os desacertos emocionais do remorso e da culpa. E também as afetações neurológicas e impulsos inconscientes.
Henri nada respondeu. Não tinha o que responder.
Curvou-se ao imperativo da Lei.

O mentor, rematou: - Foi pena que cometesses esse erro, o suicidio. Foi o único, de gravidade intensa, que cometeste

É sempre importante saber que todo renascimento é controlado pelos mentores espirituais  preparados para esse
melindroso serviço, são técnicos,  especialistas no assunto, auxiliados pelo guardião de cada pretendente ao retorno à Terra e, acima de tudo, pela Lei Divina do Amor e da Justiça

No caso de Berte e Henri, os protagonistas apresentam estados evolutivos já bem desenvolvidos, o processo é diferente.
A fim de deliberarem definitivamente sobre a reencarnação
das nossas personagens delituosas, reuniram-se esses técnicos para escolherem o que mais lhes convinha, isto é, local de nascimento,
família, modo de vida etc.
Esse trabalho é sempre difícil de resolver, pois as Leis Divinas devem ser obedecidas.
Entram, como fator importante, a análise dos méritos e deméritos dos reencarnantes.

Olivier de Guzman, que fazia parte da comissão de investigações do meio ambiente familiar a ser escolhido, indicou a família d'Albret, da França, à qual ele próprio pertencera, para Berthe de Sourmeville nascer do seu sangue.

Era uma família nobre, honrada, austera, cujos exemplos seriam lições diárias para esse pobre Espírito que vinha de errar no seio da família.
Berthe foi, portanto, advertida de que poderia vencer no novo meio familiar, bastando apenas ser atenta ao cumprimento dos deveres que lhe seriam indicados, dia a dia, através de exemplos e advertências.

Que não se descuidasse dos deveres para com Deus e do respeito às Suas leis, pois Arnold Numiers, pai de Henri, não a perdoara pela traição e a julgava culpada da morte/suicídio do filho.

Estando no mundo espiritual com esse desejo de vingança, se constituiria um perigo para a a paz de Berthe porque a odiava, não quisera lhe perdoar o crime contra Henri e poderia prejudicá-la, se não moderasse o seu ódio, até mesmo prejudicando a sua existência com a obsessão.

Antoine Thomas, o Thom, apresentara-se voluntariamente para reencarnar com ela na qualidade de irmão mais velho, a fim de reconfortá-la e guiá-la no que fosse lícito, pois a vitória de Berthe dependeria apenas da obediência aos postulados do Evangelho.

Thom reencarna, portanto, em certa família bretã, na França, à espera de Berthe de Sourmeville, e recebe o nome de Victor Prançois Joseph de Guzman d'Albret.
Deliberado fora, então, na mesma reunião, que Louis Fredérych de Stainesbourg e Henri Numiers reencarnassem na mesma família como irmãos gêmeos, a fim de que os laços fraternos corrigissem, de uma vez para sempre, as hostilidades que havia séculos se repetiam.

Interpelado se aceitaria ser irmão carnal de Louls, Henri respondeu, em lágrimas, que sempre o considerara irmão, e que a traição sofrida do mesmo não chegara a fazê-lo odiar porque Louis também sofrera muito.

Amava Berthe desde a infância, e ele, Henri, sabia-o arrependido do ato praticado, pois, freqüentemente, ouvia as súplicas de perdão que ele dirigia a Deus em sua intenção.
Louls, porém, como causador da desgraça de Henri, deveria auxiliá-lo agora, consolá-lo, ajudá-lo no seu calvário de suicida reencarnado, pois Henri seria um doente, um sofredor em testemunhos continuados de humildade, resignação e fé em Deus.

E reencarnaram na família de Guzman d'Evreux, Estavam, portanto, Berthe, Louis e Henri, por um acréscimo de misericórdia da Lei Divina, unidos como irmãos e primos, já que era tão grande o amor.

Esse drama se desenrolou na província francesa da Bretânea e foi  observado na ambiência etérica da Flandres Ocidental, através da faculdade psicométrica espiritual da médium Ivone Pereira.

Essa médium extraordinária deixa prá nós uma linda notícia:

"Nos dias presentes todos os personagens deste drama estão redimidos sob a inspiração imortal da lei do amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo!"

Texto Revisado
 

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 26

foto-autor
Sobre o Autor: Wilson Francisco   
Terapeuta Holístico. Desenvolve processo que faz a Leitura da Alma; Toque Quântico para dar qualidade à circulação e aos campos vibracionais; Purificação do Tronco Familiar e Cura de Antepassados para Resgatar, Atualizar e Realizar o Ser Divino que há em você. Agendar pelo WhatsApp 011 - 959224182 ou pelo email wilson153@gmail.com
E-mail: wilson153@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.
Publicado dia 5/1/2021 em Espiritualidade

Veja também
artigo Posicionamentos
artigo As Cartas de Cristo
artigo Quando eu te vejo, em espírito e verdade...
artigo Destilar Emoções

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.


auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa